rdb_londondesignguide_header

London Design Guide 2009

Um dos aspectos importantes no qual Londres se destaca é determinado por um movimento na área do Design tão diversificando e inovador que tem vindo a tornar a cidade como uma verdadeira referência para a comunidade internacional de designers e criativos.

Londres… Um voo de aproximadamente 2 horas, e actualmente com os Low Cost que nos levam até Londres por vezes por valores abaixo dos 20 euros, e estamos junto ao Big Ben, Buckingham Palace, Westminster, Baker Street e o Museu do Sherlock Holmes, Soho, Tower Bridge e do London Eye que nos dá uma visão de toda a cidade que não acaba onde a nossa vista alcança… Depois temos o Convent Garden, os mercados de Portobello ao sábado de manhã, o de Camden Lock ao domingo, as super populadas Oxford Street e King’s Road e todos os sítios que servem para fazer desta cidade uma verdadeira ode ao consumismo desenfreado. À noite a passagem religiosa pelos pubs de Old Street ou Brick Lane e no final, após uma espera à entrada de horas, não podemos faltar à chamada do mítico Fabric até altas horas da noite (ou da manhã…).

Coisas para fazer, ver e comprar na capital do Reino Unido não faltam e é sempre um prazer aquele momento em que saímos do avião e somos surpreendidos por um tempo sempre frio e chuvoso que já sabemos que vamos encontrar.

Mas depois de seguirmos à risca os guias da cidade e vermos todos os locais obrigatórios repletos de turistas como nós, como podemos conhecer Londres a fundo, o que move a cidade e aqueles que nela trabalham e vivem e fazem dela um sitio tão especial e multifacetado?

Um dos aspectos relevantes no qual Londres se destaca é certamente determinado por um importante movimento de Design tão diversificado e inovador que é hoje em dia uma verdadeira referência para a comunidade de designers e criativos. Seja qual for a área, desde gráfico, multimédia, motion, de equipamento, moda ou interiores, o design em Londres é vibrante e energético, marca uma posição muito forte num mundo super competitivo e que evolui a um ritmo alucinante que só os melhores sabem acompanhar. A quase ausência de regras, aliada a uma educação de excelência que forma tantos criativos ingleses, mas também estrangeiros que, atraídos pelo carácter multicultural acabam por fixar residência aqui, faz com que apareçam cada vez mais profissionais, mais estúdios de design por toda a cidade, mais eventos e locais que procuram promover e mostrar o que se tem vindo a desenvolver entre portas.

Como visitantes de uma cidade assim, todas as ajudas para descobrirmos o que de melhor acontece na cena do Design são bem-vindas, por isso uma publicação como a London Design Guide 2010 merece a nossa atenção.

Foi editado o primeiro número desta publicação por altura do London Design Festival em Setembro deste ano, e os seus autores pretendem fazer dele uma publicação anual de referência. Este guia procura basicamente destacar as melhores e mais conceituadas lojas, galerias e instituições ligadas ao Design celebrando o espírito cosmopolita que se vive em Londres. O LDG procura ser mais que um simples livro turístico, adicionando às suas listagens de locais de interesse críticas e artigos escritos por colaboradores especialistas em diferentes áreas do design. Exemplo disso é um dos artigos que constitui uma proposta de organizar o design tão eclético que habita a cidade de Londres, da qual resulta a denominação Design Tribes em que são identificados diferentes grupos de designers que trabalham segundo filosofias e atitudes semelhantes. Sujeitos a receberem algumas críticas neste aspecto pelo seu carácter generalizador, os autores identificaram várias “tribos”, entre elas The New Modernists, Escapists, Reactivists, Digitalists, e Revivalists.

O guia está organizado por áreas geográficas, destacando estabelecimentos comerciais especializados em produtos e mobiliário contemporâneo e do século 20; galerias de design dedicadas a artigos de coleccionismo; instituições e museus relevantes pela sua abordagem mais educativa e histórica do design e, finalmente, livrarias e bibliotecas que dediquem grande parte do seu portfolio à temática do design em geral. Cada área vem identificada num mapa simples e são sugeridos percursos e locais a visitar, assim como recomendações de estadia e restauração de acordo com a temática do livro.

A par do livro, a equipa do LDG mantém um blog constantemente actualizado com notícias, acontecimentos, eventos e artigos, sempre sobre a matéria do Design Londrino (ou do Design que passa ou influência esta cidade), o que vem complementar o livro de modo a que este seja não só um guia para quem visita a cidade, mas também um canal que permite a quem ali vive manter-se informado sobre o que se passa de mais relevante no contexto da criação contemporânea.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This