rdb_artigo_lula

Lula Pena & Norberto Lobo @ ZDB

A sala de concertos da Zé dos Bois esgotou para assistir ao encontro da dupla em palco.

Perante um auditório ansioso e expectante que encheu o espaço do Bairro Alto no Sábado, 24 de Janeiro, Lula Pena e Norberto Lobo deram um concerto sentido e com toda a certeza inesquecível para os presentes.

Já atrasados, entram em palco e rapidamente o silêncio envolve toda a sala. Não fossem os problemas técnicos que se fizeram sentir ao longo de duas ou três músicas o início desta actuação teria sido perfeita.

A comunicação com o público por parte dos dois músicos não foi verbal, mas sim musical, como se uma onda calorosa de música se espalhasse gradualmente pela sala e nos fosse envolvendo. Uns 20 minutos depois, pairei na atmosfera e acredito que muita gente tenha sentido o mesmo.

A interpretação de Lula Pena não é leve; é sentida, soturna, funda e complexa, mas ao mesmo tempo esperançosa, nostálgica e rapidamente nos sentimos aconchegados na sua voz de timbre grave.

Lula Pena fez-se acompanhar pela sua guitarra acústica, enquanto Norberto Lobo escolheu a guitarra eléctrica para este segundo encontro em palco com a cantora. Guitarra que foi dando pontos expressivos à interpretação única que Lula Pena deu em palco. Porém, é pena que Norberto a tenha escolhido em detrimento da sua guitarra acústica.

Lula passeou-se por temas portugueses e canções emblemáticas da música brasileira que  imperceptivelmente foi juntando. As ovações do público foram quase intermináveis e demonstraram o quanto os presentes desfrutaram deste concerto. Um encontro musical para saborear de olhos bem fechados.

A cumplicidade entre os dois músicos é facilmente perceptível em palco e o resultado foram duas horas de um concerto intimista e único, entre duas almas virtuosas e profundamente conhecedoras da música portuguesa, que, na sua interpretação, juntaram mundos como a música brasileira, o fado e a guitarra eléctrica.

É destas novas roupagens que a música já feita se reveste de modernidade e de contemporaneidade e que temas emblemáticos e fundadores da música popular são apropriados pelas novas gerações.

E foi com esta sensação de frescura e com vontade que Norberto e Lula se juntem mais vezes e me convidem novamente a escutá-los que saí da Galeria Zé dos Bois no sábado à noite.

Fotografia por Vera Marmelo



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This