books1

Mão cheia de livros

Semana # 45

Esta semana vamos viajar até ao Vaticano, recuamos até aos fantasmas da Segunda Guerra Mundial, acompanhamos a saga de uma família turca em Istambul, aprendemos como vencer uma guerra tendo a música como arma principal e sabemos tudo, mas mesmo tudo, sobre o patrão da América. E não, não falamos de Donald Trump.

O português José Rodrigues dos Santos é conhecido pela ação, contextualização histórica e mistério com que sublinha as suas obras. “Vaticanum” (Gradiva) é o seu mais recente livro e os seus fãs vão encontrar as habituais e referidas premissas. Tudo começa quando um comando do Estado Islâmico entra clandestinamente no Vaticano e o papa desaparece. Horas depois surge na internet um vídeo em que os terroristas mostram o sumo pontífice em cativeiro e fazem um anúncio chocante. O papa será decapitado em direto à meia-noite. Os dados estão lançados e resta a Tomás Noronha descobrir o paradeiro do papa.

img_400x5202016_09_28_15_13_09_1070

Em “A Outra Metade de Mim” (Bertrand Editora) da norte-americana Affinity Konar, relembramos o terror nazi e embarcamos numa viagem entre o perigo e a esperança. No epicentro da narrativa estão Peral e Stash, duas gémeas que chegam a Auschwitz em 1944 na companhia da mãe e do avô. As meninas fazem parte da população de gémeos para experiências conhecida como o “Zoo de Mengele” e, como tal, conhecem privilégios e horrores desconhecidos dos outros. Começam a mudar, a ver-se extirpadas das personalidades que em tempos partilharam, as suas identidades são alteradas pelo peso da culpa e da dor. Nesse inverno, num concerto orquestrado por Mengele, Pearl desaparece e o mundo de Stasha entra numa nova e desconhecida espiral que vai mudar a sua vida.

"A Outra Metade de Mim" Affinity Konar

De Orhan Pamuk esperam-se histórias apaixonadas sobre o seu país natal, centradas na capital Istambul. É sobre esse pressuposto que nasceu “Uma Estranheza em Mim” (Editorial Presença), um romance que combina uma história de amor marcante com um retrato muito pessoal de Istambul e das profundas mudanças aí ocorridas entre 1969 e 2012. O protagonista é o sonhador e apaixonado Mevlut que decide largar tudo e fugir com a paixão da sua vida. Mevlut viu-a apenas uma vez mas foi o suficiente para se apaixonar. Após 3 anos de cartas enviadas em segredo, decidem fugir. A noite torna-se aliada da fuga mas a luz de um relâmpago revela um engano terrível que os marcará para sempre.

"Uma Estranheza em Mim" Orhan Pamuk

Jurou a pés juntos que Jesus bebia cerveja, questionou qual o destino dos guarda-chuvas e confessou alguns dos livros que o seu pai devorou. Com um conjunto de obras ímpares, Afonso Cruz assumiu-se como uma das mais acutilantes vozes da literatura nacional e faz-nos agora chegar mais um novo romance. “Nem Todas as Baleias Voam” (Companhia das Letras) remete-nos para um cenário bélico particular onde o Jazz é uma arma de arremesso. A Guerra Fria vista pela imaginação de Afonso Cruz é um conflito apetecível. Erik Gould, pianista de blues, exímio e apaixonado, que o diga.

"Nem todas as baleias voam" Afonso Cruz

Mais que um livro, “Born to Run” (Elsinore), a autobiografia de Bruce Springsteen, é o sinónimo maior do sonho americano. Escrita ao longo de sete anos com uma paixão única e carregado de derrotas e vitórias, estamos perante uma obra que conta, sem espinhas, a vida de um dos maiores mitos da história do Rock. Fazendo uso de um misto de coragem, honestidade, humor e originalidade, o Boss abre o coração, revela a sua alma e oferece-nos uma vida cheia.

bruce-springsteen-book-born-to-run-depression



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This