meo_kalorama_2023

MEO Kalorama | Dia 2 (01.09.2023)

,

Se no dia inaugural da segunda edição do MEO Kalorama era assinalável a quantidade de pessoas às primeiras horas, o dia número dois não ficou atrás. Era bastante respeitável a multidão que os Capitão Fausto lograram reunir para o seu concerto às 16h30. Aproveitando o estupendo som que ecoava do Palco MEO, e a motivação de tocar em casa (Alvalade estava do outro lado da avenida), o habitual desfile de êxitos, originários das diferentes fases da banda, soou ainda mais potente e coeso.

Não tão coerente pareceu a performance de James Holden, no Palco Samsung, estando obviamente em causa um género musical completamente distinto. A verdade é que o entusiasmo que a presença do produtor britânico ficou aquém daquilo que o seu último álbum, «Imagine This Is A High Dimensional Space Of All Possibilities», poderia indicar. O concerto foi agradável, atenção, mas apenas a espaços, nunca conseguindo agarrar plenamente uma plateia que estava bastante aberta e concentrada para essa união.

De volta ao palco principal e, ao invés dos Capitão Fausto, os veteranos Belle & Sebastian padeceram de múltiplos problemas técnicos com os instrumentos, e infelizmente a actuação dos simpáticos escoceses nunca descolou propriamente. Ainda assim, verdade seja dia que nunca perderam a boa disposição, e conseguiram assim ir passando esses bons espíritos, mercê também do nível inerente às suas canções.

A segunda ida ao Palco Samsung servia para testemunhar uns dos jokers do cartaz do MEO Kalorama 2023. Tamino era um daqueles nomes não muito badalados mas que tinha tudo para garantir um dos momentos-revelação do festival. E fê-lo com toda a naturalidade, do alto do seu poderio vocal e a solidez inatacável das composições que giza. Acompanhado por uma banda igualmente estupenda, com grande destaque para a secção rítmica, mas igualmente para a o harpista que assinava simultaneamente coros com uma qualidade absurda. Esta maravilhosa figura belgo-egípcia parece ter aquela aura de quem pode estabelecer um bonito elo com os melómanos portugueses, tornando-se um visitante habitual dos nossos palcos.

Aprestava-se para subir ao Palco MEO a enorme Florence Welch, que já tinha assinado um cameo, surgindo em acção durante a performance de Ethel Caine. Era tema dominante nas conversas deste segundo dia o estado de saúde da superestrela, mas conhecendo-a a maioria estava confiante na sua força para conseguir alto entusiasmante, como é seu apanágio. E assim foi. Florence + The Machine apareceram brilhando, num verdadeiro registo best of, não dando azo ao mínimo momento de sossego, no bom sentido. É inacreditável a lista de sucessos que foram sendo interpretados em palco, já nem nos lembramos de todos até pairarem sobre nós os primeiros acordes. Florence é a verdadeira máquina dentro da máquina, mesmo que debilitada. Na verdade, à excepção dos inúmeros sprints que por norma faz durante a actuação, não denotou qualquer fraqueza.

Havia muita curiosidade para receber, finalmente Aphex Twin, que não demorou a arrasar o Palco MEO com a sua carga, meio industrial, meio rave. Rumámos mais uma vez à área do Palco Samsung (provavelmente o mais agradável do MEO Kalorama, permitindo um ambiente mais intimista e calmo, de forma a intervalar com as maiores produções do festival) para o sempre irreverente e interessante Baxter Dury. Depois de ter passado por um SBSR aquando da digressão de “Prince of Tears”, regressando a solo com mais dois LPs na discografia, incluindo o super recente “I Thought I Was Better Than You”. Com movimentos dançantes em jeito de karaté, debitando o seu sarcasmo costumeiro, Baxter vai soltando o seu spoken word por cima dos ritmos gordos, deixando Madeline Hart reluzir nos refrões, com o seu timbre mais elevado e mais melódico. É uma receita simples, mas bem eficiente, que nos permite dançar, sorrir e pensar ao mesmo tempo. Uma adição que aporta sempre a qualquer cartaz festivaleiro.

Leiam aqui a reportagem do primeiro e terceiro dia de festival.



There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This