rdb_misterieoflisbon_header

Mistérios de Lisboa

A beleza da tragédia na sua mais pura essência.

Raúl Ruiz constrói a sua obra-prima na realização da longa-metragem “Mistérios de Lisboa”, romance baseado na novela homónima de Camilo Castelo Branco (publicada em 1854) com guião adaptado por Carlos Saboga (“Um Amor de Perdição”, “O Milagre Segundo Salomé”). “Mistérios de Lisboa” tem como ponto de partida a história de um amor proibido que é vivido intensamente apesar de todos os obstáculos. O sentimento de Ângela de Lima (Maria João Bastos) e D. Pedro da Silva (João Baptista) é demasiado belo e puro para morrer e desse amor nasce um filho Pedro da Silva – Criança (João Luís Arrais).

“É fácil perdermo-nos dos olhos dos outros quando os nossos nos seguem por toda a parte”, diz Pedro da Silva (Afonso Pimentel) antes de partir para Tânger. Esta frase transmite-nos angústia e desassossego, sentimentos presentes ao longo das várias tramas que sequencialmente se vão desenrolar nesta longa-metragem. As personagens vão-se transformando no decorrer da história, mistérios desvendam-se às vezes apenas no vislumbre de um detalhe, de uma imagem, mas quase todos são marcados pelo infortúnio. Carlos Saboga leva-nos ao ínfimo interior das personagens; os diálogos criados são mordazes, inteligentes e dão a poética que o romance pede. As palavras estão em comum harmonia com a acção, o que contribui para o enriquecimento das sagas individuais de cada personagem. Esta longa-metragem tem a duração de quatro horas e vinte e seis minutos que condensam esta obra Camiliana (1000 páginas divididas em volumes). Justifica-se por ser uma história tão rica e pormenorizadamente detalhada em que o espectador quer continuar a descobrir os mistérios que vão sendo revelados.

Adriano Luz representa magistralmente essa personagem enigmática que é o padre Dinis composta por tantas outras que participam, de forma directa ou indirecta, no percurso das outras personagens, e assim influenciará o seu destino e a descoberta da sua identidade. A interpretação deste actor é caracterizada por uma perícia que nos seduz e envolve. Ele dá a áurea de mistério necessária para que a sua personagem cresça ao longo da acção e deixe o público intrigado na expectativa do seu próximo passo e que nos faça pensar – Afinal quem é o padre Dinis?

Raúl Ruiz leva o espectador a viajar pelas várias histórias contadas de uma forma inteligentemente construída com toda a sua dimensão dramática, ao abordar histórias de vida que se cruzam com pessoas que procuram resolver as suas maldades, penitências, inquietações. “Um ser humano extraordinário com uma cultura cinematográfica brilhante, um grande cineasta com quem quero trabalhar novamente”, disse-nos, via skype do Brasil, Ricardo Pereira sobre o realizador franco-chileno. Ricardo Pereira interpreta a personagem de Alberto de Magalhães, que passa por uma grande transformação. “Um trabalho muito bem feito com o figurino, o facto de estarmos a criar um boneco meio gipsy, meio pirata, a barba, o detalhe da cicatriz… Tive que ter aulas de francês, de equitação tudo isso ajudou. Este filme marca outro tipo de registo em que o público não está habituado a ver-me”, responde o actor acerca da composição da personagem. “Percebi que seria um filme grandioso, apaixonante mas está todos os dias a surpreender-me”, comenta sobre as suas expectativas para o filme.

A fotografia divinal, que se caracteriza por uma luz húmida, lunar que dá uma alma especial à acção, é da autoria do fotógrafo brasileiro André Szankowski (a sua primeira longa-metragem).

O adjectivo que melhor caracteriza “Mistérios de Lisboa” é belo, mesmo na contradição da tragédia e infortúnio latentes, em que todos são marcados pelo destino.

TRAILER

Mistérios de Lisboa de Raúl Ruiz – Trailer from Clap Filmes on Vimeo.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This