20180309_MLX_50_day_one_048

MLX N.50 | Dia 1

A 50ª edição da ModaLisboa celebrou o ciclo da criação e foi com a apresentação das coleções Outono/Inverno dos novos talentos que se deu início ao primeiro dia do evento.

,
20180309_MLX_50_day_one_037

Carolina Machado SS18

Federico Cina, um dos jovens talentos que se deu a conhecer pela primeira vez na ModaLisboa, deu arranque aos desfiles do Sangue Novo com a coleção que exprime a sua infindável vontade de liberdade criativa e, simultaneamente, a necessidade de se proteger do mundo exterior. Assim, destacam-se os sobretudos com formas oversized e as cores primárias.

Inês Nunes do Valle apresentou “I’m in the Wrong Joke” que reflete a problemática da sociedade hipertexto vivida nos dias de hoje. O vermelho, o azul e o cinzento são as cores chave da proposta da designer.

“Fake it until you Make it” foi o nome dado por Opiar, uma dupla de designers – Artur e Vera – à sua coleção que faz uma sátira ao uso dos social media atualmente, que se traduzem cada vez mais pelo “parece” e o “faz parecer”. O mote espelha-se no choque entre a linguagem romântica e o estilo desportivo, que representam o paradoxo entre o que mostramos que vivemos e o que realmente vivemos.

Frederico Protto inspirou-se numa viagem a Montevideo, no Uruguai, a sua terra natal. Uma viagem que despertou uma reflexão entre os conceitos origem e destino e que se materializou em peças com uma grande carga espiritual e nas quais a pele de vaca foi a principal matéria prima.

A criação da dupla “N’a Pas de Quoi” deu origem a “Ophelia”, uma homenagem a uma das personagens femininas mais marcantes da história. Silhuetas lânguidas, camadas de tecidos e a sua fluidez são alguns dos pormenores de uma coleção que transporte Ophelia para o mundo contemporâneo.

O desfile de Sangue Novo termina com Isidro Paiva a apresentar “Beauty of Misfit” em tons branco, verde militar, titanium, antracite, verde oliva e castanho avelã.

Nesta edição o vencedor do Prémio ModaLisboa foi Filipe Augusto e foram, ainda, atribuídas duas Menções Honrosas a Frederico Protto e a Rita Sá. O Prémio “The Feeting Room” foi atribuído a Inês Nunes Do Valle, que dá a oportunidade à designer de ter a sua coleção à venda na loja que dá nome ao prémio. Rita Sá foi a vencedora do Prémio FashionClash selecionada pela direção do Festival de Moda Holandês para representar Portugal.

20180309_MLX_50_day_one_040

Carolina Machado SS18

Carolina Machado SS18

Integrada na Plataforma Lab, Carolina Machado apresentou “Passionate” que contou uma história de amor moderna, na qual o conceito de casal surge renovado através do tempo e do espaço. Silhuetas cintadas que transmitem feminilidade e tons neutros que espelham sobriedade corrompida pelos tons fortes de vermelho e fúcsia.

DUARTE SS18

DUARTE SS18

20180309_MLX_50_day_one_229

DUARTE SS18

20180309_MLX_50_day_one_228

A coleção de Duarte intitulada “Prohibition” transportou-nos para os anos 20 com silhuetas inspiradas em Art Deco e cores como o sangue de boi, verde escuro, verde água, champanhe, cinzento e azul marinho.

20180309_MLX_50_day_one_238 20180309_MLX_50_day_one_242

Aleksandar Protic inspirou-se na personalidade da atriz Theda Bara – The Vamp e criou peças que pretendem transformar em femme fatale todas as mulheres que as vestirem. Uma coleção na qual o preto foi a única cor que se materializou em diversos materiais como lãs, sedas e algodão.

20180309_MLX_50_day_one_458

Morecco ss18

20180309_MLX_50_day_one_421

Morecco ss18

20180309_MLX_50_day_one_410

A noite acabou com Morecco que deu vida à passerelle com uma rave na qual exibiu as suas criações. Cores ácidas e uma mistura de materiais que carregam de energia e personalidade cada peça.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This