montana_header

Montana

Qui est Montana?

Claude Montana é sem dúvida um marco dos famosos e apaixonantes anos 1980 do Design de Moda mundial! Hoje em dia continuamos a ver esta famosa década revisitada por vários designers, reutilizando as afamadas tendências que ainda hoje se prolongam-se nas passerelles de Paris, de Milão, de Londres, de Lisboa…

Nascido em Paris em Junho de 1949, Claude começou por estudar Química e Direito, disciplinas totalmente opostas à sua verdadeira vocação. Começou pequeno a trabalhar para outros designers e a ganhar experiência antes de se aventurar na sua própria marca que apelidou com o seu nome Montana em 1979.

A base principal da sua marca sempre foi e será Paris. Embora tenha tido lojas espalhadas por todo o mundo, Claude sempre foi um fã de sua cidade natal, totalmente apaixonado por Paris e sua magia.

Admira a incrível designer Madame Gres (1910-1993) como uma criadora de alta-costura e inspirou-se nos seus designs em várias colecções que criou. Claude vocacionou-se em cores fortes, tecidos monocromáticos, e bastante cabedal e lã. O seu macacão clássico estruturado caracterizava-se por um acabamento e concepção impecáveis e fortes silhuetas com proporções dramáticas.

Claude, embora homossexual assumido, casou com a top model, musa e sua grande amiga Wallis Franken em 1993. Tendo sido um casamento de conveniência, viviam como melhores amigos e bons companheiros, numa relação platónica pois cada um provavelmente teria seus amantes e suas aventuras. Tragicamente, após três anos de casamento, Wallis Franken suicida-se, atirando-se da janela da cozinha do apartamento conjunto em Paris. Foi um choque para toda a comunidade da moda francesa e mundial já que Wallis era reconhecida mundialmente pelo seu talento, extravagância e excentricidade. Um golpe maior para Claude que inexplicavelmente perdeu sua melhor amiga, companheira e mulher.

As celebridades têm sempre com vidas atribuladas e cheias de altos e baixos, glamour, traições e escândalos. Montana não fugia a este cliché, embora sempre tenha conseguido manter a sua vida profissional e pessoal separada de modo a não implicar ou disturbar sua marca. Montana não era somente um talentoso Designer de Moda, também era um gestor, economista, um relações públicas que mantinha a sua marca num estatuto elevado e reconhecido.

Claude coleccionou vários prémios ao longo do seu tempo dentro do mundo da moda. Um Óscar de melhor colecção feminina em 1985 na Ópera de Paris, Óscar de melhor Designer Europeu em 1987 em Munique, e em 1989 recebe em Madrid o prémio Balenciaga de melhor Designer. Ganha duas vezes consecutivas, em 1991 e 1992, o prémio Golden Thimble, pelas colecções que desenvolveu de alta costura para a Lanvin. Em 1989 o Prix Medicis pela sua linha de perfume de homem, e em 1990 o prémio Frangance Foundation pelo seu perfume de mulher.

Devido a má sorte e ao mercado da moda, Montana viu-se forçado a vender a sua companhia em 1997 na qual colocou muito sangue e dedicação, angariando vários sócios que coordenaram a empresa e possuem a maioria das acções. Apesar de ter um acordo para ficar à frente da equipa de design como coordenador criativo e designer principal por próximos dez anos, este contrato acabou em 2007 o que levou Claude a reformar-se e a deixar o mundo da moda.

Hoje, Montana tem 62 anos. Não se sabe nada deste famoso designer, provavelmente a aproveitar a sua rica reforma numa ilha deserta ou a relaxar nas suas diversas casas de campo. Sabemos que tem duas filhas e bastante família para o manter ocupado e confortável até ao final da sua vida. Montana teve a sua gloriosa época, durante mais de vinte anos manteve-se no topo, mas tal como tudo na vida, nada dura para sempre. A casa de moda Montana acabou por cair em esquecimento, e é notável ver como uma casa de moda perde totalmente o seu valor e notoriedade se não tiver o seu fundador. No caso de Montana, sem dúvida que esta marca não é somente um nome, um conceito, uma moda, mas sim uma pessoa que construiu desde raiz o que este nome representa. Montana deixou de ser Montana sem o Claude. Uma bela história de amor entre uma marca e seu fundador.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This