“Morte com Vista para o Mar” | Pedro Garcia Rosado

“Morte com Vista para o Mar” | Pedro Garcia Rosado

Crime no País real

Com uma obra onde pontificam livros como “Crimes Solitários”, “A Cidade do Medo” e “Vermelho da Cor de Sangue”, Pedro Garcia Rosado é um dos mais representativos escritores do género policial do nosso País, cuja mestria é reconhecida no universo literário nacional.

Morte com Vista para o Mar” é o seu mais recente trabalho e abre uma colecção de romances que terão como personagens centrais um triângulo constituído por o ex-casal Gabriel Ponte e Patrícia Ponte, inspectora-coordenadora da Judiciária e a jornalista Filomena Coutinho. A responsabilidade da edição deste promissor conjunto de livros é da Topseller, uma chancela da editora 20/20, que faz a sua primeira aposta no registo policial.

Antigo jornalista, Pedro Garcia Rosado divide o seu tempo nos dias de hoje entre as actividades da escrita e da tradução. “Morte com Vista para o Mar” é o seu oitavo livro e assume-se como uma narrativa vibrante e repleta de suspense, onde o crime e a adrenalina escondem-se a cada esquina.

A riqueza dos personagens de Rosado e a sua contextualização na realidade portuguesa confere-lhes uma forte identificação com o leitor, que se envolve num acontecimento que podia acontecer na sua região, na sua cidade, na sua rua.

Exemplo dessa intimidade é a personagem central. Gabriel da Ponte, ex-funcionário da Polícia Judiciária, segue muito a linha de alguns (anti)heróis do policial negro, como o são algumas criações de Dashiel Hammett, Raymond Chandler ou Robert Wilson. E, como Philip Marlowe, Sam Spade ou Javier Falcon, Ponte é uma alma solitária, dorida, escondida em si mesma que, depois de um esgotamento nervoso e da falência pessoal, acabou reformado precocemente do seu trabalho de inspector.

Ainda assim, Patrícia não deixa de contar com o ex-marido para a ajudar nas suas complicadas tarefas e, em “Morte com Vista para o Mar”, Gabriel será um forte aliado na tentativa da resolução do caso da morte brutal de Alberto Morgado – especialista em Direito e ex-amante e professor de Patrícia nos tempos de faculdade -, pois o assassinato ocorreu nas Caldas da Rainha, região onde o ex-PJ habita.

Um contacto realizado meses antes pelo Professor a Patrícia, revelando conhecimento sobre um esquema de corrupção e lavagem de dinheiro que gira em órbita de um empreendimento turístico gigantesco idealizado nas falésias da Costa Atlântica, inicia uma série de peripécias em contra relógio de forma a conseguir encontrar culpados e tentar fugir a um jogo onde, caçador e presa, podem facilmente ser confundidos.

Nesta trama muito bem idealizada e com um ritmo que agarra o leitor às páginas do livro sem cessar, existem interesses locais, investimentos estrangeiros, tráficos de influências, mulheres eternamente insatisfeitas consigo próprias, personagens à beira do abismo, homens violentos e com sede de sangue, personagens frutos do sistema e um blogger anónimo. O motivo de um crime poderá ser legitimado pelo desequilibro emocional e pela ganância de cumprir um objetivo a qualquer custo ou é a vingança um propósito cabal?

No fundo, “Morte com Vista para o Mar” tem tudo o que um policial deve ter sendo o mistério o plano de fundo. As personagens são de carne e osso e não há espaço para heróis ou personagens supérfluas. O conhecimento do autor sobre a realidade portuguesa e dos próprios contornos de uma investigação policial torna os diálogos mais fortes e dá força, coesão e credibilidade à própria história inserida num contexto social onde os media têm uma força desmedida e que podem manobrar a informação consoante a origem ou amizades do patronato.

Rosado consegue um enredo forte e equilibrado entre o caso em si e o conhecimento e profundidade dos próprios personagens, que revelam dados íntimos das suas vidas e do que aconteceu às mesmas, de forma a esclarecer o relacionamento entre si – especialmente no complexo caso de Gabriel, Patrícia e Filomena.

Uma agradável e muito recomendada surpresa, “Morte com Vista para o Mar” faz as delícias dos amantes do género policial e de todos que gostam uma história repleta de acção e suspense.

As boas notícias não acabam aqui. Segundo a editora, em Setembro podemos contar com mais uma aventura deste trio. “Morte na Arena: A Descida aos Infernos” está agendado para o próximo Outono e promete mais crime e boas histórias – as primeiras páginas podem ser lidas no final de “Morte com Vista para o Mar”.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This