header

MSTRKRFT & Holy Ghost!

Lux, 21 de Maio.

MSTRKRFT e Holy Ghost! foram os nomes escolhidos para mais uma quinta-feira de Maio na discoteca Lux. À partida podia-se deduzir que o ambiente das duas pistas ia ser bem diferente, facto que acabou por se comprovar. Pesos brutos na disco e suaves linhas de baixo no bar.

Com o segundo álbum de originais já no mercado, MSTRKRFT veio pela 3ª vez a Portugal para mais uma actuação no Lux. “Fist of God” é o nome deste novo trabalho da dupla onde não faltam colaborações com grandes nomes do hip-hop americano. Os temas em si revelam unsMSTRKRFT mais pesados do que no álbum anterior e mais direccionados para um electro-rap do que para o rock electrónico. No entanto, parece existir uma grande coerência entre todas as músicas o que as torna bastante semelhantes entre si. Existia mais variedade de sonoridades no álbum anterior “The Looks”.

A pista onde actuaram viu-se sem espaço para suportar tantas pessoas que queriam dançar ao som dos canadianos, mas parecia que ninguém se importava com isso. O público funcionava como uma só massa tanto que, para onde uns balançavam, os outros iam atrás. Houve bastante aderência às músicas e muita euforia por parte dos mais novos, enquanto as colunas debitavam pesadas batidas e distorções estonteantes.

Numa analogia pode-se dizer que os MSTRKRFT são os “muscle cars” da música electrónica. Todavia, o set em si não surpreendeu em termos de originalidade, abundaram músicas consideradas hits, assim como originais dos próprios. É certo que muitos artistas tocam os temas desta dupla canadiana, mas quando são os próprios a fazê-lo é completamente diferente, há uma certa magia no ar.

Já o andar de cima encontrava-se mais calmo, com um ambiente relaxado e descontraído, composto, maioritariamente por quem sabia o que estava a ouvir e alguns desistentes da pista de baixo. Havia mais espaço para dançar e ainda existiam pessoas que tentavam aceder ao piso inferior. A música no bar estava a cargo do duo nova-iorquino Holy Ghost!, composto por Alex Frankel e Nicholas Millhiser.

Pertencem à editora de James Murphy, dos LCD Soundsystem, a DFA e do seu currículo fazem partes remisturas para artistas como Moby, Cut Copy, Jazzanova, entre outros. Até ao momento lançaram apenas um EP em 2007 com o tema “Hold on”, que teve um grande sucesso e foi considerado um disco hit por parte de vários artistas e músicos que o utilizam seus sets.

O duo presenteou o público com um set precisamente virado para o disco house, tanto recente como antigo como o tema “I want your love” dos Chic ou a remistura de Joakim para o tema “Pocket Piano” de DJ Mehdi, entre outras sonoridades. O público reagiu bastante bem a estes rapazes e os sorrisos nas caras das pessoas não enganavam ninguém. O Disco voltou para ficar.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This