must_winesummit

MUST – Fermenting Ideas

MUST - Fermenting Ideas é o mais internacional evento de vinhos alguma vez realizado em Portugal e já uma referência no calendário mundial dos eventos vínicos. Em 2019, a terceira edição deste wine summit volta a acontecer em Cascais, de 26 a 28 de Junho, no Centro de Congressos do Estoril.

MUST-Fermenting Ideas é um imenso think tank com um formato original nunca realizado em qualquer outro país. É a primeira vez que um summit reúne os maiores especialistas de todas as áreas do mundo do vinho num mesmo local, para perceber e analisar o futuro da indústria. Durante 3 dias, os mais influentes críticos, produtores, membros do trade, enólogos, cientistas, sommeliers, marketeers e jornalistas vindos dos cinco continentes, vão partilhar saber com todos os participantes, num ambiente especialmente criado a pensar no networking de conhecimento. Toda a atenção da indústria mundial do vinho estará concentrada em Cascais.

OS VALORES

Devido a mais um sucesso da edição de 2018, os preços de acesso ao MUST mantêm-se em apenas 300€, valor que inclui os três dias de sessões, três almoços, seis coffee breaks e um final de tarde com provas de vinhos no Forte da Cruz, no Estoril. As inscrições são exclusivamente online e há descontos consoante a quantidade de bilhetes comprados, assim como preços especiais para estudantes e certos estabelecimentos de ensino relacionados com a indústria.

A organização de espaço no Centro de Congressos do Estoril assenta num conceito inovador baseado da criação de um living room para que todos os participantes, oradores e convidados possam estar juntos, partilhar informação e estabelecer contactos vitais para o desenvolvimento do setor Neste espaço haverá vários wine bars especialmente concebidos pelo MUST, para que produtores, regiões ou países países possam, durante 3 dias, mostrar os seus vinhos. O wine summit MUST – Fermenting Ideas apresenta um rigoroso e ousado programa de apresentações entre as 8:30 e as 18:00. Todos os conferencistas convidados reservam um espaço para perguntas e respostas com a audiência do grande auditório. Uma interactividade que é muito valorizada por todos os participantes. Tal como em anos anteriores, haverá provas de vinhos comentadas e outras iniciativas que acontecem durante algumas das pausas dos trabalhos no grande auditório. No final do primeiro dia, todos os participantes são convidados para o Wine Sunset by the Sea. Num forte do século XVIII, junto à praia do Tamariz, no Estoril, acontece um final de dia relaxante com a presença de dezenas de produtores que poderão dar a provar os seus vinhos, num ambiente único e muito valorizado por todos os que tiveram esse privilégio em 2017 e 2018.

OS ORADORES

O MUST – Fermenting Ideas é o primeiro evento no mundo a conseguir juntar no mesmo espaço todas as áreas relativas ao vinho. Em apenas duas edições já se tornou um dos mais relevantes eventos do setor a nível mundial. Para grande parte dos oradores presentes no Centro de Congressos do Estoril, esta será a primeira vez que visitam Portugal. Uma oportunidade única de divulgar e conhecer a realidade dos vinhos portugueses.

Lisa Perrotti-Brown

O painel de participantes da terceira edição do MUST é, mais uma vez, inigualável. Tecnologia, Redes Sociais, Alterações Climáticas ou Classificações são alguns dos temas desta edição que conta com 17 oradores de vários países, autênticas referências mundiais no setor do vinho. É o caso de Lisa Perrotti-Brown, atual editora executiva da Robert Parker Wine Advocate, publicação fundada por Robert Parker e cuja atribuição de pontuações aos vinhos é a mais relevante do mundo, ao ponto de serem conhecidas como as Parker Scores. Após a venda da revista a um grupo de investimento em Singapura, Lisa tornou-se a responsável máxima das pontuações. O tema de Lisa é precisamente uma abordagem contrária ao poder que lhe é atribuído: “Para além das pontuações…”, isto é, Lisa defende que “as pontuações não são tudo. Não me interpretem mal, a importância e poder das pontuações não devem ser subestimadas. Facilmente argumentaria que uma crítica de vinhos não fica completa sem uma pontuação. O problema é que as pontuações, isoladas, podem ser enganadoras. Da mesma forma que acredito que uma crítica é incompleta sem o número, também a pontuação fica incompleta sem uma nota de degustação.” Valéry Laramée de Tannenberg, jornalista e ativista, vem apresentar o projeto Bordeaux 2050, uma iniciativa académica sobre alterações climáticas que resultou num vinho futurista que prevê um conjunto de alterações possíveis naquela que é a mais famosa região de vinhos do mundo com o aquecimento global. Valéry associou-se ao famoso enólogo de Bordéus, Pascal Chatonnet, e à agência McCann para esta iniciativa, que recolheu uvas de várias regiões quentes do planeta, como Argélia e Tunísia, para testar em solo francês as consequências que as alterações climáticas terão na produção. Esta é a primeira vez que este projeto é apresentado num evento relacionado com o vinho, após a sua divulgação no lançamento e na ONU.

Isabelle Legeron

Também Miguel A. Torres aborda na sua apresentação os desafios impostos pelas mudanças climáticas. Neste caso, o tema é “Seca e gestão de água na vinha”, ao qual Miguel A. Torres, presidente das Bodegas Torres e um dos mais prestigiados enólogos do mundo, dedica muito do seu tempo, para encontrar soluções para reduzir e tornar mais eficiente o uso da água na produção do vinho. Miguel Torres ganhou já vários prémios do setor, assim como medalhas e reconhecimentos honoríficos pelo trabalho dedicado ao vinho, não só em Espanha, mas também no Chile, por fomentar melhores relações internacionais. Em 2011, a Time dedicou-lhe um artigo, centrado nas suas preocupações com as questões ecológicas. Isabelle Legeron é uma das pioneiras no que toca a vinhos naturais. Após ganhar o prémio de Wine Woman of the Year, Isabelle criou, em 2012, a RAW Wine, uma pequena feira dedicada a vinhos biológicos e que rapidamente cresceu, para se tornar um dos encontros mais relevantes entre a comunidade que defende a pouca intervenção nos vinhos, procedimentos orgânicos ou biodinâmicos. Atualmente a RAW Wine acontece em Londres, Berlin, Nova Iorque, Los Angeles e Montréal. Não é por isso de estranhar que o tema a abordar por Isabelle no MUST seja: “Vinho e Ética…saber o que bebemos?”. Eric Asimov é uma das maiores referências mundiais da crítica de vinhos e um dos poucos oradores que regressa ao MUST depois da sua participação em 2017. Eric é editor-chefe da crítica de vinho do The New York Times e autor de dois livros dedicados ao tema. Eric Asimov vai abordar a dicotomia entre “Vinhos modernos, técnicas antigas”, respondendo à pergunta “Como escapar às armadilhas da enologia moderna?”.

Felicity Carter

Os nomes portugueses incluem, obviamente, um dos fundadores do MUST, Rui Falcão, que irá abordar a potencialidade de “Colares, a região mais inesperada do planeta?”, visto terem sido plantadas vinhas na zona mais ocidental da Europa, num clima oceânico que torna os vinhos de Colares épicos e diferenciadores pela sua salinidade. Já António Graça vai explorar “O projeto do genoma da videira portuguesa”, não só pelo número impressionante de castas nativas portuguesas, 283, mas também pelo caminho sui generis, e criticado por muitos, que esta investigação seguiu inicialmente. Felicity Carter, é a única oradora presente em todas as anteriores edições do MUST. A editora-chefe da Wine Business International regressa a Cascais com um tema provocador: Vinho no Masculino. Nesta abordagem, Felicity quer falar sobre de que forma um setor tomado por homens e os seus paladares pode ter definido ou condicionado os parâmetros da indústria. A diversidade de abordagens é de facto uma das características mais diferenciadoras do MUST. Prova disso é a presença como orador de Paul Mabray. Paul tem trabalhado na indústria do vinho nos últimos 20 anos, mas mais recentemente tornou-se o maior especialita de redes sociais do sector. Após ter sido pioneiro a desenvolver o e-commerce dedicado ao vinho, a especialização de Paul nas redes sociais será a base para a sua apresentação: “Ouvir, mudar, adaptar e transformar, as palavras chaves do vinho”. Adam Lechemere é o orador que vai abrir o primeiro dia do MUST com um tema dedicado ao enoturismo: Poderá o enoturismo existir sem o envolvimento dos produtores?. Adam é jornalista, atualmente freelancer, e editor da nova revista de vinhos e lifestyle Club Oenologique. No passado, foi editor da Decanter, uma das mais importantes revistas de vinho do mundo e colaborou com tantas outras, nomeadamente Meininger’s e The Guardian. 

Estes são apenas alguns exemplos dos oradores que compõem este painel único e diversificado. De referir que em quase 20 convidados, há três Master of Wine (MWs). E o que é isto? É praticamente uma menção honrosa do setor, um título tão difícil de conseguir que em 50 anos de existência desta atribuição, e apesar de todos os anos centenas de candidatos se apresentarem a exame, existem no mundo apenas 383 Masters of Wine, espalhados por 30 países. No final de cada dia haverá um Painel de Discussão que envolve alguns oradores, consoante os temas. São eles: “O que são os vinhos naturais?”, “Há vida para além das classificações?” e “Faz sentido plantar qualquer casta, em qualquer lugar?”.

 

 



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This