Natalapalooza

Depois de um interregno de cinco anos, a “Mundo de Aventuras” vai retomar uma ideia antiga de grande sucesso, a terceira edição da Natalapalooza, uma festa pop-rock com diversas bandas, DJs e VJs.

Com o fim de combater um pouco do espírito meramente comercial em que a época natalícia mergulhou desde há uns anos para cá, a Natalapalooza pretende devolver a este período a sua natureza mais autêntica, promovendo uma confraternização alternativa para todos aqueles que já não se reconhecem nos já nada tradicionais festejos.

Para que o circuito de concertos em Portugal não se resuma apenas aos grandes Festivais de Verão e às frequentes festas das Associações de Estudantes, há que aproveitar e multiplicar a iniciativa. Na base da organização, a cargo da “Mundo de Aventuras”, está a convicção da necessidade em estabelecer parcerias, unir esforços para atingir com os menores custos possíveis, objectivos comuns.

A ideia de uma festa pop-rock em plena época natalícia surgiu em 1997, repetindo-se em 1998; estávamos então num período de pasmaceira quase absoluta em que os interesses da juventude ficavam arredados a um canto. Foi neste ambiente, com as condições ideais e com um público interessado, que se divulgaram nomes como os dos Zen, Ornatos Violeta, Mind Da Gap, Coldfinger ou Squeeze Theeze Pleeze, emergentes do panorama nacional e que viriam a singrar na cena musical com grande sucesso.

Este ano, uma das principais novidades foi tornar a Natalapalooza itinerante. De Norte a Sul do país, a festa terá lugar em cinco espaços diferentes, mas sempre com as mesmas três bandas e a mesma estrutura de produção.

Os cabeças-de-cartaz deste ano são os grupos Sloppy Joe, Dealema, e The Legendary Tiger Man, havendo paralelamente projecções de vídeo a cargo de uma equipa de Vj’s criativos e um grupo de Dj’s convidados que passarão música alternativa festiva, estando já confirmada a presença no naipe dos Dj’s, o guitarrista dos Xutos e Pontapés, Zé Pedro.

Qualquer uma das bandas participantes disfruta já de uma enorme popularidade, o que lhes permite arriscar a realização de espectáculos em nome próprio, em qualquer sala em Portugal. Todos eles editam discos até ao final do mês de Dezembro e têm merecido grande atenção e destaque por parte de toda a imprensa,  o que os levou a receberem convites para participarem em grandes eventos a nível nacional, como foi o caso dos Festivais de Verão que se realizam anualmente.

Os Sloppy Joe têm protagonizado um dos maiores cultos subterrâneos de que há memória na cena musical portuguesa, sendo que as suas influências vão desde o pop ao reggae passando pelo soul. O seu primeiro disco, “Flic Flac Circus”, promete explodir com toda a força nos tops de vendas, e o single de avanço “Six Little Monsters” já provocou uma pequena revolução nas rádios nacionais.
Originários de Vila Nova de Gaia, os Dealema, são já considerados como uma das faces mais visíveis e interessantes da nova cena do hip hop nacional. Acabaram de lançar o seu primeiro álbum “Dealema” que já recebeu óptimas críticas e destaques dos media.

O auto-intitulado “one man show” ligado aos blues e ao rock, protagonizou uma agitação sem precedentes no circuito de concertos nacional. Conhecido pelos seus projectos anteriores, como é o caso dos WrayGunn, é a solo que todas as características do músico de excepção e performer fora de série, adquirem a visibilidade que The Legendary Tiger Man merece.

A selecção das salas onde se realizarão as festas foi extremamente rigorosa. Por um lado, foram escolhidos espaços que reúnam a nível técnico e de ambiente as condições ideais, por outro lado, a aposta recaiu em espaços de grande lotação.

Desta forma, o programa deste ciclo de festas inicia-se a 12 de Dezembro no Pacha, em Ofir, passando no dia seguinte para Albergaria, onde a sala escolhida é a Arena Caffe. No fim-de-semana seguinte, mais concretamente no dia 19, a festa estará no DayAfter, em Viseu. A 20 de Dezembro a Natalapalooza chega a Lisboa, na sala Santiago Alquimista, terminando a 27 no Hard Club, em Vila Nova de Gaia.

Sem dúvida que a fórmula já provou ser de grande sucesso nas edições anteriores, pretende-se que seja um evento regular, contínuo e que tenha uma dimensão verdadeiramente nacional. Com um cartaz de luxo, que abrange todas as esferas da cena musical, o evento quer-se ao mesmo nível.

P.S. – A primeira data da Natalapalooza, 12 de Dezembro no Pacha em Ofir, foi cancelada. O motivo apontado para tal é o do encerramento da sala para obras.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This