rdb_nerds_header

Nerds

A revanche do “caixa de óculos”.

Um grau de miopia no olho esquerdo, 0,75 de astigmatismo no direito, isto é, a mínima patologia ocular, serve hoje como desculpa para aderir à febre do acessório mais representativo da moda nerd: os óculos graduados, em particular, numa das maiores metrópoles da América do Sul, São Paulo, Brasil.

Falemos de estereótipos. Há cerca de 20 anos atrás, os óculos eram símbolo de um grupo de jovens dotados de poderes informáticos, inteligentes e sagazes sentados atrás de um computador, magros e empalidecidos pela sua obrigação virtual que não lhes permitia comer ou afastar-se da tecnologia, e que, rotulando um pouco mais, também caracterizava os rapazes pouco populares da escola, anti-sociais, com dificuldades em estabelecer relações afectivas, principalmente com o sexo oposto. Alguns também sofriam de graves problemas de acne.

Esta descrição era frequentemente representada nos filmes norte-americanos de adolescentes, dos anos 80 e 90, e contrastava especialmente com os corpulentos, mas não tão brilhantes estudantes, jogadores da equipa de futebol do colégio, muito populares entre as meninas.

Quem diria que 20 anos mais tarde, o status e os símbolos dos ditos personagens tímidos e desajeitados, iriam elevar-se a tais patamares, tornando-se chiques, elegantes, desejados e apetecíveis. Assim o é.
Influenciado por uma grande indústria cultural, o nerd do século XXI, ou aquele que segue as tendências da moda nerd, procura afastar-se da homogeneização do conhecimento, da cultura de massa, e daquilo que considera mainstream.

Na era da informação, muitas horas de leitura e passadas em frente à nossa principal ferramenta de trabalho – o computador – levam a que alguns de facto tenham necessidade de usar óculos graduados e acabem por juntar o útil ao agradável. Aqueles que resistem e não padecem míopes, têm também a possibilidade de adquirirem uns com lentes não graduadas. Os modelos favoritos para exibir no rosto são principalmente os de massa, retro e vintage, dos anos 50, 60, 70 ou 80. Os seguidores nerds mais sérios e excêntricos, colocam também um remendo na haste.

É certo e sabido que a moda é cíclica e os padrões da indumentária alteram-se. Ainda existem os nerds genuínos de antigamente. No entanto, esta última tendência não foi necessariamente assumida pelos seus pioneiros, mas sim pelos vários núcleos que procuram o que está em voga. Aqueles que actualmente seguem o estilo, nerds ou não, tendem a ser pessoas sociáveis, cultas, com atenção ao que vestem, gostos musicais que vão do indie ao electrónico, do clássico ao pop, e com apreço pelo que surge dentro dos parâmetros não comerciais, buscando as pequenas bandas e artistas emergentes de todo o mundo.

Sendo São Paulo o motor industrial, cultural e intelectual do Brasil, a moda nerd não iria passar despercebida entre os artistas, designers e outras elites da cidade. Ainda, a grande comunidade homossexual que vive na “São Francisco” da América do Sul, destaca-se pelo cuidado com aspecto exterior e receptividade da moda, fazendo uso de vários acessórios, entre eles, os óculos graduados.

Se fossemos trend hunters, onde poderíamos contemplar algumas das expressões mais interessantes da moda brasileira como estas que referimos?

Depois de cruzar a famosa Avenida Paulista, chegamos à Rua Augusta, o lugar visualmente mais democrático e tolerante da cidade. Nela convivem os seguidores de vários movimentos alternativos e urbanos, que se reúnem em botecos (cafés), cinemas, bares, baladas (discotecas) e antigos puteiros (casas de prostitutas), transformados agora em bares-discoteca. A prostituição e os seus locais de actividade na rua decaíram ao longos dos últimos anos, contudo, muitos ainda resistem, e prostitutas e travestis trabalham a lado a lado dos boémios, gays, emos, rockabillys, etc.

Desta forma, verificamos que as novidades da moda são bem recebidas, que há uma forte identificação com tendências mais retro e ainda, uma combinação entre variados estilos. Paralelamente ao revival dos óculos, assistimos também ao do bigode (masculino), das Chuck Taylor All-Stars, e outros ícones que marcaram os estilos das últimas décadas. Os piercings – túneis (ou alargadores como chamam no Brasil), e as tatuagens, tiveram igualmente uma aceitação muito forte em São Paulo.

Em suma, há uma “salgalhada” de modas, misturadas com um certo glamour, típica dos grandes centros urbanos, porém, o que é certo, é que aqueles que sofreram o trauma do “caixa de óculos” ou “quatro olhos” na escola primária, podem agora ultrapassá-lo e, inclusive, poupar, atrasando a cirugia a laser para o momento em que este look deixe de vigorar.

Fotografia por Clara Canepa



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This