rdb_noiserv2010_header

Noiserv

A primeira coisa que salta à vista é a amabilidade. Logo a seguir, quando começa a interpretar os seus temas (isto na perspectiva de falarem com ele antes de um concerto, está claro!), é o talento que irrompe, surpreendendo mesmo os mais distraídos.

Noiserv é David Santos. David Santos é Noiserv. Se alguma vez tiveram oportunidade de assistir a um concerto de Noiserv e, antes ou depois, falaram com o David, compreendem o que quero dizer. A primeira coisa que salta à vista é a amabilidade. Logo a seguir, quando começa a interpretar os seus temas (isto na perspectiva de falarem com ele antes de um concerto, está claro!), é o talento que irrompe, surpreendendo mesmo os mais distraídos.

“One Hundred Miles From Thoughtlessness”, o primeiro álbum, foi editado no final de 2008. Antes Noiserv tinha-se dado a conhecer pela mão da já extinta Merzbau de Tiago Sousa, que tanta coisa boa deu ao mundo, com um EP online e disponível para download gratuito. Desde então muito aconteceu na carreira de Noiserv. Quando lhe pedimos para destacar quais os acontecimentos que o mais marcaram, quer pela positiva, quer pela negativa, David sente dificuldades em responder: “É complicado porque realmente muita coisa aconteceu”. No entanto, não deixa de referir que “felizmente não existem momentos que me tenham marcado pela negativa, pois todos os momentos mais difíceis foram muito importantes para o meu crescimento e do projecto”. É seguro afirmar que os momentos positivos se encontram em maioria e, desses momentos, Noiserv não hesita em destacar “o concerto no São Jorge (lançamento do disco), os primeiros concertos no estrangeiro (Áustria e Alemanha) ou o esgotar da primeira e segunda edição do disco”. Os concertos em locais mais pequenos não deixam de ser referenciados porque “sempre que sinto que as pessoas gostam do que faço, tudo isto faz sentido… é difícil escolher os melhores momentos porque todos são importantes e, à sua maneira, únicos e especiais”. O concerto na sala mais nobre da capital, o Coliseu de Lisboa (fez as primeiras parte dos Amália Hoje), ocupa um lugar especial nas recordações de Noiserv porque “desde pequeno que como espectador imaginava aquele momento sem nunca acreditar realmente que um dia fosse possível, e naqueles dias estando em cima do palco com todos os meus instrumentos… é um sonho tornado realidade, algo que já fiz e que ninguém me tira… sem palavras…”.

No início de Maio, David Santos marcou presença num workshop de songwritters na Áustria. O convite para participar surgiu na sequência da pequena digressão que o levou àquele país no início do ano. A experiência, essa, foi memorável como as palavras de David deixam claramente transparecer: “é complicado explicar por palavras uma das melhores semanas da minha vida”, e continua dizendo que “foram sete dias de música, de partilha, de emoções, de felicidade”.

Mais recentemente, em meados de Julho, foi editado pela mão da Optimus Discos e do responsável pela direcção artística, Henrique Amaro, o EP “A Day in the Day of the Days”, “um disco conceptual, e neste caso a banda sonora para um dia nas nossas vidas”. No alinhamento do EP saltam à vista dois temas. «Time2», editado no EP de estreia e «B.I.F.O.», um tema tocado regularmente ao vivo mas que ainda não tinha sido registado em estúdio. A pergunta relativamente ao porquê incluí-los é feita e a resposta é pronta: “apenas os coloquei porque me faziam sentido a nível do conceito que tinha traçado, a tal banda sonora”. Os próximos tempos servirão para promover o novo lançamento. Sempre que termina alguma coisa, David sente que deve dar-lhe “tempo para respirar e para poder ser ouvida” e acrescenta ainda que é também uma forma “para eu próprio perceber o que fiz”.

Uma rápida procura pelo You Tube revela bastantes vídeos de Noiserv. Porém, nenhum deles tem cariz oficial. Noiserv reconhece que “é um dos pontos em falta e, embora já tenham existido uma série de ideias, por um motivo ou por outro nunca foram em frente”. Mas ao que parece existem planos para que dentro de algum tempo possamos ver Noiserv enquanto o ouvimos e uma das pessoas envolvidas é Diana Mascarenhas, que o acompanha regularmente em palco, realizando ilustrações em tempo real que dão ainda mais vida à música de David Santos.

Para terminar, lançámos um pequeno desafio a Noiserv: escolher dois nomes com quem gostasse de colaborar, um nacional e outro internacional. A escolha portuguesa recaiu sobre aquele que muitos dizem, uns mais timidamente que outros é certo, que se irá tornar no Carlos Paredes da nossa geração, Norberto Lobo. Já a nível internacional, a lista que deverá ter passado pela cabeça de David Santos era longa mas acabou por avançar o nome de Spencer Krug, mentor dos Wolf Parade e dos Sunset Rubdown, “pois gosto muito e identifico-me com tudo o que ele faz”.

O futuro afigura-se risonho para Noiserv. Os concertos têm sido regulares, tendo lugar um pouco por todo o Portugal, e o final do mês de Agosto marcou mesmo a estreia na Eslovénia, com a participação em dois festivais naquele país. Por aqui fica a sugestão: se o puderem ver ao vivo, não deixem passar a oportunidade. Não se vão arrepender!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This