“Noite”, “Blu” e “Nada Fazi” são as curtas metragens premiadas na edição do Córtex 2012

Ao todo foram exibidas 29 curtas metragens no Córtex 2012, entre as quais 17 curtas nacionais e 7 curtas internacionais, que entraram em concurso, e 5 curtas exibidas na Sessão de Abertura, num ciclo dedicado a Antonio Campos, o convidado de honra e realizador revelação que marcou presença nesta edição do festival. “Noite”, do realizador Flávio Pires, foi a curta vencedora do Prémio Melhor Curta Nacional do Córtex 2012, com um valor de 500 €, uma ficção que narra a vida de um jovem que divide o seu tempo entre uma banda de heavy metal e tomar conta da sua avó. Flávio Pires é um jovem realizador portuense que já se tinha destacado noutros festivais de cinema nacionais, nomeadamente com o filme Artur, um documentário sobre o cineasta Artur Ramadas selecionado para o IndieLisboa e vencedor do prémio Take One! no festival de curtas de Vila do Conde.


O Prémio Melhor Curta Internacional, com um valor de 300 €, foi para “Blu”, do romeno Nicolae Constantine Tanase, também uma ficção, que revela a relação entre os três membros de uma família – pai, mãe e filha – que ficam inesperadamente parados no meio da estrada com uma avaria no carro. Nicolae Constantine Tanase ganhou vários prémios pelas curtas Zombie e Outrageously Disco e atualmente encontra-se a trabalhar numa curta metragem de ação e a desenvolver a sua primeira longa,The World is Mine, para a qual ganhou uma residência em Berlim em 2011.

Por fim, o Prémio do Público para a Melhor Curta Nacional, com um valor de 200 €, foi atribuído a “Nada Fazi”, de Filipa Reis e João Miller Guerra, filme premiado no início do ano com o Prémio Cinema Português 2012 do Fantasporto. Nada Fazi (“É inevitável”, em crioulo) narra a história de três investigadores que estão no Bairro Casal da Boba a desenvolver uma tese. A sua câmara de filmar é roubada e ao deambular de mão em mão entre os jovens do bairro, regista um crime. Filipa Reis e João Miller Guerra foram os vencedores da Competição Nacional do Doclisboa 2010 com a longa Li Ké Terra e em 2011 e 2012 respectivamente, os fillmes Orquestra Geração e Bela Vista marcaram presença nas selecções oficiais do mesmo festival.

Laura Soveral, Rita Blanco, Teresa Villaverde e Vasco Câmara foram os elementos do júri que selecionaram as curtas vencedoras da 3ª edição do Córtex, à excepção do Prémio do Público, resultado da votação dos espectadores do festival.

Michel Simeão e José Chaíça, fundadores e programadores do Córtex, agradecem a todos os parceiros pelo seu apoio e prometem estar de volta em 2013 para mais uma edição de um festival que todos os anos apresenta uma seleção de curtas que se vão destacando ao longo do ano em território nacional e além fronteiras.

 



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This