nr4_header

Noites da Rua # 4

Dois concertos exclusivos e uma rara actuação na capital. Dia 15 de Dezembro o Musicbox vai encher para receber Memória de Peixe, Osso Vaidoso e Lovers & Lollypops Soundsystem e Granada, na quarta edição das Noites da Rua.

No dia 15 de Dezembro o Musicbox, em Lisboa, recebe a quarta edição das “Noites da Rua”. Serão apresentados em exclusivo na capital dois novos trabalhos da música nacional: Memória de Peixe, que edita o seu EP de estreia no início de 2012 através da Lovers & Lollypops e Osso Vaidoso, projecto de Ana Deus e Alexandre Soares, que acabaram de editar o seu primeiro trabalho, “Animal”, pela Optimus Discos. Após as actuações a música ficará a cargo do Lovers & Lollypops Soundsystem (Joaquim Durães, Nuno Dias e André Gomes) e Granada.

LINE-UP

22h00 – Abertura de portas / Mário João DJ Set
23h00 – Memória de Peixe (apresentação do EP de estreia) – Link 1  / Link 2
23h45 – Osso Vaidoso (apresentação de “Animal”, disco de estreia editado pela Optimus Discos) – Link 1 / Link 2
00h45 – Lovers & Lollypops Soundystem
04h00 – Granada DJ Set – Link 1

VJ by John HolmesLink 1

Os bilhetes custam 6€, com direito a uma bebida, e podem ser adquiridos AQUI, na FNAC e nos outros locais habituais.

As “Noites da Rua” contam com o apoio da Lacoste L!VE.

TUDO COMEÇOU NUM LOOP

A primeira vez que vimos Miguel Nicolau ao vivo com o projecto “Memória de Peixe” foi no concerto de apresentação do último disco de Balla no Lux (Miguel actualmente colabora com Gomo, Balla e Cavalliers of Fun). Foram cerca de 25 minutos de contemplação. Nessa actuação em particular – que nas suas palavras “deu imensa força para continuar” – Miguel estava sozinho no palco. Agora “Memória de Peixe” junta aos loops da sua guitarra a bateria de Nuno Oliveira e a participação vocal de Da Chick. O primeiro EP será editado no início de 2012 pela Lovers & Lollypops mas no dia 15 de Dezembro vamos ter o privilégio de o conhecer ao vivo numa actuação a não perder.

“Tendo em conta que o nosso projecto assenta na constante repetição de melodias,
que ao serem adicionadas criam outras novas, é quase como um peixe
a viver o seu constante esquecimento”

Oriundos das Caldas da Rainha e com um passado de projectos em comum, Nuno e Miguel arrancaram Memória de Peixe um pouco por acaso: “Memória começou com uma improvisação de um loop, no Hotel Fontana Park, gravado pelo David Francisco (MoopieVideos), com o intuito de concorrer a um concurso da Berklee College of Music (…) como não consegui angariar votos suficientes e não fui dos mais votados, fiquei com aquele registo para mim e foi um excelente pretexto para começar um projecto”, disse-nos Miguel Nicolau.

Tendo como base diversos loops, Miguel considera o método de composição “desafiante” porque “as falhas também ficam memorizadas”. Escolheram o caminho mais longo para a gravação. Primeiro a guitarra, pista a pista (algumas músicas com mais de 50 pistas de guitarra), e depois a bateria em separado. “Foi um autêntico pesadelo para o nosso estimado grande produtor Nuno Monteiro”, concluiu.

Leiam a entrevista com Miguel Nicolau AQUI.

LEVEZA QUE ENCANTA

Lembram-se dos Três Tristes Tigres, cujo trava-línguas ecoou na boca de todos? Ana Deus e Alexandre Soares, os dois membros fundadores do icónico projecto, estão de regresso às lides musicais como Osso Vaidoso. Os tempos são outros mas a paixão pela música e a amizade que nutrem um pelo outro tem como produto final “Animal”, disco recentemente editado pela Optimus Discos e que será apresentado pela primeira vez em Lisboa no dia 15 de Dezembro no Musicbox.

Em conversa com a RDB (ler toda a entrevista AQUI) confidenciaram-nos que se sentem mais “leves” e que “alguma da carga emocional que estava no diálogo das guitarras, programações e das camadas todas que compunham um som bastante encantado, passaram para as letras”. O projecto arrancou nos palcos e, após o concerto no Clube Ferroviário, Henrique Amaro convidou-os para a mais recente edição da Optimus Discos. “Animal” conta com a colaboração de Regina Guimarães, Alberto Pimenta, Tó Trips e ainda Valter Hugo Mãe.

O que esperar de um concerto dos Osso Vaidoso? “Os nossos concertos são sempre diferentes, queremos que as canções cresçam ao vivo, pois foi assim que elas nasceram e não é justo limitá-las à interpretação que ficou registada em disco. Também gostamos sempre de tocar canções mais idosas e outras acabadinhas de fazer. Quem não nos conhece que espreite o disco no site da Optimus ou no Reverbnation e que depois venha ver as diferenças”.

ROCK, DANÇA E MAIS QUALQUER COISA …

O Lovers & Lollypops Soundsystem (Joaquim Durães, Nuno Dias e André Gomes), o som-sistema da insigne Lovers & Lollypops, responsável pelos melhores concertos, bandas e eventos da última meia década em Portugal, é forte no remate, nos pontapés de bicicleta, nos cabeceamentos, joelhadas e nas agressões musicais descaradas. Há promessas de muito rock e dança e outras coisas que não têm nada a ver com as últimas duas.

Granada

Nasceu em Braga, mas em 2009 mudou-se de armas e bagagens para Lisboa. É referência por explorar sub géneros do house, como fidget e bassline, o que o leva a passar música pelas mais variadas cidades do país onde já partilhou cabine com nomes como Brodinski, Congorock, Vicarious Bliss, Proxy, The Very Best, Gold Panda, J-WOW, Bok Bok, Nosaj Thing, Zombies for Money, DJ Ride, Lars Moston, Teenage Mutants, Joyce Muniz , Moullinex, Xinobi, Gunrose e Diamond Bass, etc.

Partilha com Monsta, o projecto SUSHI RIDDIM SQUAD, onde a febre do moombahton e da música tropical preenchem os seus dj sets!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This