rdb_nomeada_head

Nom & Ada

A sandália da avozinha.

Podem não querer ser apanhados a usar as sandálias da vossa querida avozinha, mas estas parecem ter algo a jogar por elas, e foi neste factor que os seus fundadores decidiram apostar. O irreverente, diferente e desafiador, o uso de sandálias fora do comum jovem e inovador. Talvez agora o revivalismo da avozinha comece a sair novamente do armário e a conquistar gostos mais jovens. Usavam esta sandália? E depois de saber o seu custo?

O nome da marca provém dos seus fundadores, o nómada Rie Sawai de Tóquio, Japão, e o adaptável Kimberly Andrade de Portland, EUA. As sandálias são nómadas e adaptáveis como os seus criadores. Conheceram-se na escola de moda Parsons em Nova Iorque, uma das mais conhecidas que figurou na série televisiva Project Runway, e embora ambos criadores tenham negócios bi-continentais que são laboriosos e extenuantes, mas também fornecem benefícios únicos para a marca, considerando as sandálias em si e a sua projecção e fama, a distância parece resultar. Permaneceram amigos após as suas graduações em 2004 e cinco anos mais tarde decidiram encontrar-se novamente entre os seus países, no Havai. Após algum brainstorm, a inspiração atingiu-os e entre uma chávena de café gelado decidiram embarcar nesta aventura. Assim nasceu a Nom & Ada em 2009.

Então o que têm estas sandálias de tão interessante para conquistarem a nossa atenção? Será mesmo pelo design da avozinha? Aqueles fatídicos buracos e padrões escavados na pele da sandália? O típico arranjo floral que nos dá voltas ao estômago? Os pontos do sapatinho de vela tão popular… há uma década atrás!

Sim e não. Sim, pois recordamos os míticos sapatos da nossa avó, não, pois vemos agora nestes transmitido um novo chic e um novo conforto, não só físico mas também psicológico, pois as peças que usamos nos transmitem sentimentos vindos através das nossas memórias, que evocam emoções tão fortes e reconfortantes. A psicologia está também agora patente no mundo da moda, na concepção de vestuário. Cada vez mais vemos a intervenção do designer para chegar mais perto do utilizador das suas peças, de interferir na sua vida e no seu estado emocional, não só como um espectador, mas como um interveniente que nos faz apaixonar, sentir, devido a pequenos pormenores, transmissão através da cor, da forma, do relevo, de tudo e mais alguma coisa. Hoje não existem simples designers de moda, existem designers de sonhos, de emoções. Pretendem quebrar fronteiras e fazer o impossível.

Recentemente lançaram o seu website e boutique online, com o seu sapato debutante, o holoholo moccasin. No Havai podemos traduzir “Holoholo” como “viagem de lazer”, um nome apetitoso para um sapato confortável, com uma tira casual em T. Sawai e Andrade, que talvez tenha origens portuguesas ou brasileiras embora tenha ar total de japónicas. Afirmam-se inspiradas por viagens e nostalgia, e as sandálias creme são perfeitas para viagens de avião, com um par de collants, ou para escalagens improvisadas num piquenique de uma tarde solarenga de fim-de-semana.

Apesar da grande distância que separa as duas amigas e parceiras de negócio, ambas fazem o possível para colaborarem o mais possível. “A diferença horária sem dúvida que nos mata” afirmam, até respondem a emails em conjunto. “Mas isto torna os momentos em que nos encontramos para trabalhar em conjunto verdadeiramente especiais.”

Afirmam que existem também vantagens em terem amigos do outro lado do mundo, referindo que “adiciona perspectivas diferentes às nossas técnicas e processos criativos, e dá-nos uma desculpa para viajar!”

Inserem suas descobertas e inspirações nos seus blogs, que também escrevem juntas. “Embora a maioria das nossas conversas sejam acerca do negócio hoje em dia, ainda conseguimos encontrar uns momentos para as duas actualizarmos a nossa conversa de raparigas.” Declaram as duas.

Suas sandálias são feitas à mão no Japão e vêm nas cores crepe, preto, branco e camel, com esta última disponível com pontos brancos ou flamingo. Vendem seus sapatos e sandálias online por 260 dólares, não são muito acessíveis, mas sem dúvida são únicas. Oferecem dicas no seu site em como conservar os sapatos e sandálias, como manter o cabedal como novo, como lavar e guardar e pequenos segredos que para saberem vão ter que consultar a página. Têm clientes por todo o mundo e estão em plena expansão, apesar de apenas venderem estas relíquias na sua e-botique.

Quem diria que as sandálias da avozinha estão novamente in? Passados quarenta anos ou mais vemo-las novamente a saltarem para o mercado e arrebatarem nossos corações com seus pontos feitos à mão e conforto e adaptabilidade. É de sonhar com uma destas só mesmo pelo conforto, pois ainda não sei se entro também na sandália da avozinha, talvez sim. Aproveitem e comecem a tirar essas relíquias do armário! Viva o revivalismo!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This