Novo Cinema do Sol Nascente

A Cinemateca de Lisboa tem sido a “Meca” dos cinéfilos da capital. Todos os meses, a sua vasta programação recupera alguns dos filmes que marcaram a história do cinema e dá a conhecer “outros filmes”, que dificilmente seriam exibidos num grande ecrã. Este mês destacamos um ciclo dedicado ao cinema oriundo do continente asiático, a decorrer durante todo o mês de Setembro.

Fiquem com a apresentação do ciclo e a sua respectiva programação, cortesia da Cinemateca de Lisboa.

“Primeiro foi a fase do cinema japonês e depois, quase em simultâneo, as do cinema indiano e de Hong-Kong. Assim nos foi chegando, a pouco e pouco, o cinema “oriental”, geralmente através de fórmulas que exploravam a imagem exótica de países “longínquos” e “inacessíveis”: o filme de samurais, no primeiro caso, o musical, no segundo e o “kung fu” no terceiro. Agora, que a globalização “encolheu” o mundo, vamos descobrindo os filmes que se desenvolvem em países do Extremo-Oriente como o Japão, a China (a República Popular, acrescida de Hong-Kong) e Taiwan, a que se junta, agora, com uma pujança cinematográfica inesperada, a Coreia do Sul.

O sucesso que muitos desses novos filmes alcançaram em festivais permitiu a sua divulgação, assim como a de novos cineastas, alguns deles transformados em fenómenos de “culto” – desde o japonês Takeshi Kitano ao sul-coreano Kim Ki-duk, enquanto na China uma nova geração se manifesta, antes de mais, em “reacção” contra o esteticismo da anterior (a de Chen Kaige e Zang Yimou), o que é, também, uma forma de manifestação política.

Este breve Ciclo do “Cinema do Sol Nascente” procura dar uma rápida imagem do que essas “cinematografias emergentes” têm trazido de novo, quer internamente, reflectindo as mudanças económicas e políticas das suas regiões, quer externamente, com a profusão de novas ideias e novas formas com que tem “contaminado” o cinema ocidental.”

PROGRAMAÇÃO

REN XIAO YAO
“Prazeres Desconhecidos”, de Jia Zhang Ke

com Zhao Wei Wei, Wu Qiong, Zhou Qing Feng, Wang Hong Wei
Coreia do Sul/França/Japão/China, 2002 – 113 min / legendado em inglês

Imediatamente anterior a SHIJIE / O MUNDO, este filme de Jia Zhang Ke, desconhecido entre nós, foi apresentado no Festival de Cannes de 2002. É a história de dois jovens desempregados e sem perspectivas para o futuro, que procuram a liberdade total e os “prazeres desconhecidos”.

Sala Dr. Félix Ribeiro, Segunda-Feira, dia 4 às 21:30
Sala Luís de Pina, Sexta-Feira, dia 8 às 19:30
SHIJIE
“O Mundo”, de Jia Zhang Ke

com Zhao Tao, Chen Taisheng, Jing Jue, Jiang Zhong-wei
China/Japão/França, 2004 – 140 min / legendado em português

O mais recente filme do autor, é uma belíssima parábola sobre o mundo moderno, em particular sobre a globalização. O MUNDO é um parque temático, situado nos arredores de Pequim, onde se construiram réplicas dos grandes monumentos mundiais, em escala aproximada e que permite aos visitantes viajar “pelo Mundo”. O filme acompanha os dramas de alguns trabalhadores do Parque.

Sala Dr. Félix Ribeiro, Terça-Feira, dia 5 às 19:00

ZHANTAI
“Plataforma”, de Jia Zhang Ke

com Wang Hong Wei, Zhao Tao, Liang Jing Dong, Yang Tian Yi, Wang Bo
China/Hong Kong/Japão/França, 2000 – 154 min / legendado em português

Do mesmo autor dos filmes precedentes, ZHANTAI foi proibido na China devido à forma crítica como retrata a evolução da sociedade na década de 80, acompanhando as deambulações de um grupo de teatro ambulante, onde o destino dos actores reflecte o da sociedade de então.

Sala Luís de Pina Terça-Feira, dia 5 às 22:00

BU SAN
“Adeus Dragon Inn”, de Tsai Ming-liang

com Lee Kang-sheng, Chen Shiang-chyi, Kiyonobu Mitamura, Chun Shih, Miao Tien
Taiwan, 2003 – 82 min / legendado em português

Uma belíssima homenagem de Tsai Ming-liang, um dos realizadores mais importantes do novo cinema de Taiwan, aos “wu xia” (filmes de sabre) de King Hu. Numa noite de chuva, vai ter lugar a “ultima sessão” de um velho cinema condenado ao encerramento, apresentando o filme de King Hu, DRAGON INN. Dois velhos actores do filme estão presentes no que é uma verdadeira cerimónia fúnebre.

Sala Dr. Félix Ribeiro, Quarta-Feira dia 6 às 21:30

XIAO CHENG ZHI CHUN
“Primavera Numa Pequena Cidade”, de Tian Zhuangzhuang

com Jungfan Hu, Jun Wu, Bai Qing Xin, Xiao Keng Ye
China/Hong-Kong/França/Holanda, 2002 – 116 min / legendado em português

Prémio de melhor realização para Tian Zhuangzhuang no Festival de Veneza de 2002. Uma aldeia chinesa no post-guerra, ainda com os vestígios dos bombardeamentos sofridos. Chega uma visita: um médico da cidade que regressa à aldeia da sua infância e encontra um amigo casado com a sua antiga paixão de adolescente. O amor parece renascer, ou apenas um novo olhar sobre a vida? Um toque de Tchekov na província chinesa.

Sala Dr. Félix Ribeiro, Quinta-Feira dia 7 às 19:00

DARE MO SHIRANAI
“Ninguém Sabe”, de Koreeda Hirokazu

com Yuya Yagira, Kitaura Ayu, Kimura Hiei, Shimizu Momoko
Japão, 2004 – 141 min / legendado em português

Com carreira iniciada na década de 90, Koreeda Hirozaku é um realizador quase desconhecido entre nós. Dos nove filmes que fez, este foi o único que estreou em Portugal. É a história de quatro crianças que a mãe abandona num apartamento da cidade, ficando entregue a si próprias. Baseado num facto real.

Sala Dr. Félix Ribeiro, Quinta-Feira dia 7 às 21:30

OLDBOY
“Oldboy – Velho Amigo”, de Park Chan-wook

com Choi Min-sik, Yu Ji-tae, Kang Hye-jeong, Ji Dae-han
Coreia do Sul, 2003 – 120 min / legendado em português

OLDBOY é um dos mais estranhos filmes de Park Chan-wook, mais conhecido pela sua série de Mr. e Lady Vengeance, e o único que, até hoje, teve exibição comercial entre nós. Grande Prémio do Júri no Festival de Cannes de 2004 (entre muitos outros prémios), OLDBOY é a história de uma vingança, em que um homem, preso misteriosamente durante quinze anos, procura descobrir o que está por detrás de tudo.

Sala Luís de Pina, Sexta-Feira dia 8 às 22:00

2046
“2046”, de Wong Kar Wai

com Tony Leung, Chiu Wai, Li Gong, Takuya Kimura, Ziyi Zhang
China/Hong Kong/França/Alemanha, 2004 – 129 min / legendado em português

De certo modo, 2046 aparece como uma espécie de síntese do trabalho anterior de Wong Kar Wai, retomando algumas das personagens que se encontram na sua obra, com Tony Leung retomando a personagem de FA YEUNG NIN WA / DISPONÍVEL PARA AMAR, e Ziyi Zhang interpretando Lulu, uma personagem de A FEI JING JUEN/”DIAS DE SELVAJARIA”. Personagens em busca de um passado e de amores perdidos.

Sala Luís de Pina, Segunda-Feira dia 11 às 19:30

BIN-JIP
“Ferro 3”, de Kim Ki-duk

com Lee Seung-yeon, Lee Hyun-kyoon, Kwon Hyuk-ho
Coreia do Sul/Japão, 2004 – 88 min / legendado em português

Um estranho vagabundo entra em casas que sabe desertas e adopta o estilo de vida dos seus proprietários. Numa dessa incursões conhece uma jovem, vítima dos maus tratos do marido, e com ela vai iniciar uma estranha relação.

Sala Luís de Pina, Segunda-Feira dia 11 às 22:00

SAMARIA
“A Samaritana”, de Kim Ki-duk

com Han Yeo-reum, Kwak Ji-min, Lee Eol
Coreia do Sul, 2004 – 95 min / legendado em português

Do realizador de BIN JIP, SAMARIA é a singular história de duas adolescentes, em que uma se prostitui enquanto a outra gere o dinheiro destinado a uma viagem ao estrangeiro. A morte da primeira, num dramático acidente, leva a outra a por em causa o que fizera e a tentar perceber as reais motivações da amiga.

Sala Luís de Pina, Terça-Feira dia 12 às 19:30

BOM YEOREUM GAEUL GYEOUL GEURIGO BOM
“Primavera, Verão, Outono, Inverno e… Primavera”, de Kim Ki-duk

com Oh Yeong-su, Kim Ki-duk, Kim Young-min, Ha Yeo-jin
Coreia do Sul/Alemanha, 2003 – 103 min / legendado em português

Talvez a obra-prima do autor de BIN JIP e SAMARIA. Uma história contemplativa que tem por cenário um lago, no meio do qual se encontra um templo flutuante onde reside um monge, cuja vida e contactos com o exterior vamos acompanhar ao longo das estações e dos anos. Uma história de aprendizagem sobre a vida e o que nela importa.

Sala Luís de Pina, Terça-Feira dia 12 às 22:00 e Sexta-Feira dia 15 às 19:30

FA YEUNG NIN WA
“Disponível Para Amar”, de Wong Kar Wai

com Tony Leung, Chiu Wai, Maggie Cheung, Ping Lam Siu
Hong Kong/França, 2000 – 98 min / legendado em português

Uma estranha e romântica história de “casais trocados”. Nos anos 60, um jornalista muda-se com a mulher para um novo apartamento, sendo vizinhos de uma bela secretária casada com um executivo. O primeiro e a segunda, na prolongada ausência dos consortes, ligam-se numa relação platónica marcada pela amizade e gostos comuns, até descobrirem que os ausentes têm uma relação amorosa.

Sala Dr. Félix Ribeiro, Quarta-Feira dia 13 às 19:00
Sala Luís de Pina, Segunda-Feira dia 18 às 19:30

CHIHWASEON
“Embriagado de Mulheres e de Pintura”, de Im Kwon-taek

com Choi Min-sik, Ahn Sung-kee, Yu Ho-jeong, Kim Yeo-jin, Son Ye-jin
Coreia do Sul, 2002 – 117 min / legendado em português

Um dos mais importantes realizadores da Coreia do Sul, e também o mais visto na Cinemateca, nas diversas mostras de cinema coreano (já aqui mostrámos, em 1999, o notável SEOPYEONJE/A CANTORA DE PANSORI). Im Kwon-taek tem uma extensa filmografia iniciada em 1962, tendo adquirido recente notoriedade no Ocidente. CHIHWASEON é um dos seus filmes mais conhecidos e deu a Im Kwon-taek o prémio de melhor realizador no Festival de Cannes de 2002, sendo a história de um famoso pintor coreano do fim do século XIX.

Sala Luís de Pina, Quinta-Feira dia 14 às 19:30

ZUOTIAN
“A Separação”, de Zhang Yang

com Chai Xiuling, Jia Fengsen, Jia Hongshen, Wang Tong, Xing Shun
China, 2001 – 114 min / legendado em inglês

Um dos realizadores chineses da nova geração. Começou a trabalhar em 1997, e dele já vimos em Portugal o magnifico XIZAO/CHUVEIRO. ZUOTIAN, feito logo a seguir a esse, decorre nos anos 80 do século passado e é a história de um actor de cinema cuja popularidade em filmes de série B o vai tornando cada vez mais introvertido e psicótico, devido à acção das drogas.

Sala Dr. Félix Ribeiro, Segunda-Feira dia 18 às 21:30
Sala Luís de Pina, Quarta-Feira dia 20 às 22:00

ZATOICHI
“Zatoichi”, de Takeshi Kitano

com Takeshi Kitano, Tadanobu Asano, Michiyo Ookusu, Gadarukanaru Taka
Japão, 2003 – 116 min / legendado em português

Takeshi Kitano é hoje já um “clássico”, amplamente conhecido e estudado, tendo grande parte da obra estreado entre nós. ZATOICHI é uma experiência singular de Kitano, uma incursão nos filmes de samurais, indo buscar um herói popular deste género de há várias décadas, o guerreiro cego Zatoichi.

Sala Luís de Pina, Terça-feira dia 19 às 19:30

SHIQI SUI DE DAN CHE
“Bicicleta de Pequim”, de Wang Xiaoshuai

com Cui Lin, Li Bin, Zhou Xun, Gao Yuanyuan
Taiwan/China, 2001 – 113 min / legendado em português

Um olhar desencantado sobre a juventude moderna na capital chinesa, e sobre os conflitos sociais que este reflecte. O filme encena o confronto entre dois adolescentes, um da cidade e outro vindo da província. Para ambos, a bicicleta representa um estatuto social e o conflito eclode quando a bicicleta do segundo é roubada e descobre que o primeiro é o responsável.

Sala Luís de Pina, Quinta-Feira dia 21 às 19:30

NI NEIBIAN JIDIAN
“Que Horas São Aí?”, de Tsai Ming Liang

com Lee Kang-sheng, Chen Shiang-chyi, Lu Yi-Ching, Miao Tien, Jean-Pierre Léaud
Taiwan/França, 2001 – 116 min / legendado em inglês

Um estranho e enigmático filme, onde um jovem vendedor ambulante, de vida difícil, encontra uma rapariga que parte para Paris, deixando o jovem obcecado, passando a mudar os relógios que encontra para a hora francesa. E enquanto ele vê LES 400 COUPS, de Truffaut, ela tem um estranho encontro num cemitério com o actor daquele filme.

Sala Dr. Félix Ribeiro, Sexta-Feira dia 22 às 19:00
Sala Luís de Pina, Quinta-Feira dia 28 às 22:00

KOHI JIKO
“Café Lumière”, de Hou Hsiao-hsien

com Yo Hitoto, Tadanobu Asano, Masato Hagigawa, Kimiko Yo, Nenji Kobayashi
Taiwan/Japão, 2003 – 103 min / legendado em francês

Uma belíssima homenagem do autor de DONGDONG DE JIAQUI / O VERÃO EM CASA DO AVÔ, ao cinema de Yazujiro Ozu, para celebrar o centenário do nascimento daquele célebre cineasta japonês. Hou Hsiao-hisen foi ao Japão para filmar temas de Ozu: as relações com pais idosos, os planos de casamento de uma jovem, a vida contemplativa e a presença omnipresente dos comboios, tudo num estilo pessoal e inconfundível. A abrir, em Ante Estreia,  QUANTAS COISAS NÃO SÃO CHAMADAS AMOR de Jacopo Mario Gandolfi (ver entrada em “Ante-Estreias”).

Sala Dr. Félix Ribeiro, Segunda-Feira dia 25 às 21:30
Sala Luís de Pina, Quarta-Feira dia 27 às 22:00

SUZHOU HE
“O Rio Suzhu”, de Lou Ye

com Zhou Xun, Jia Hongshen, Hua Zhongkai, Yao Anlian, Nai An
China/Alemanha, 2000 – 83 min / legendado em português

Prémio da crítica no Fantasporto de 2002, entre outros prémios internacionais, SUZHOU HE tem por cenário o rio Suzhu que atravessa Xangai, apresentado aqui como uma espécie de ponto de encontro ou de cruzamento de várias histórias, e local onde desaguam o desespero e o crime.

Sala Dr. Félix Ribeiro, Terça-Feira dia 26 às 22:00
Sala Luís de Pina, Sexta-Feira dia 29 às 19:30

CHA NO AJI
“O Gosto do Chá”, de Ishii Katsuhito

com Maya Banno, Takahiro Sato, Tadanobu Asano, Satomi Tezuka
Japão, 2004 -143 min / legendado em francês

Uma estranha comédia marcada pelo absurdo e pelo onirismo. O centro do filme é Yoshiko, uma adolescente que se julga perseguida por uma dupla de si própria, em versão gigante, enquanto a mãe trabalha num filme de animação e um velho tio chega em busca de repouso.

Sala Dr. Félix Ribeiro, Quarta-Feira dia 27 às 19:00
Sala Luís de Pina, Sexta-Feira dia 29 às 22:00



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This