“O Grande Incêndio do Chiado”

“O Grande Incêndio do Chiado” | Alfredo Cunha, Fernando Ricardo, José Carlos Pratas e Rui Ochoa

O dia em que o coração de Lisboa rebentou em chamas

No ano de 1988, o coração alfacinha rebentou em chamas. O grande incêndio do Chiado, sobre o qual se assinalam agora 25 anos, foi um momento marcante da história de Lisboa, provocando, durante muitas horas, intensos momentos de pânico, angústia e coragem.

Em 2013, o Chiado está diferente. Se, por um lado, o comércio mais tradicional deu lugar a uma vertente mais globalizada, por outro ganhou um ar moderno e dinâmico, onde a literatura, a arte, a música, o teatro, a moda e a gastronomia coabitam num espaço comum. Se há 25 anos a Baixa Pombalina era o local obrigatório de visita, hoje em dia é o Chiado que ganha honras de local a não perder para quem escolhe Lisboa como destino turístico.

Para assinalar os 25 anos que mediaram entre a tragédia e a reconstrução, a Tinta da China lançou “O Grande Incêndio do Chiado”, livro que reúne fotografias a preto e branco de Alfredo CunhaFernando RicardoJosé Carlos Pratas e Rui Ochoa, contando com um prefácio de António Valdemar que traça um perfil de duas décadas e meia que inclui as possíveis causas de incêndio, as fragilidades dos edifícios de então, as casas históricas que desapareceram – como a Pastelaria Ferrari, que passou pelas páginas de Eça, ou a famosa Mercearia Martins & Costa, que se especializara em produtos gourmet de primeira água -, as raízes do nascimento do Chiado e algumas linhas sobre o seu processo de recuperação.

“O Grande Incêndio do Chiado”

O resultado é uma fantástica reportagem fotográfica que permite um olhar – neste caso quatro – e quase o teletransporte para o Chiado de 1988, contemplando as várias faces de um dia trágico: a inquietação e o desgosto popular, o empenho e coragem dos bombeiros, um mundo mágico que, em minutos, se transformou em escombros – há aqui um paralelismo acidental com o universo de W. G. Sebald.

Com uma paginação cuidada e um bonito acabamento – impresso sobre papel Gardapat Klassic de 150 g. -, “O Grande Incêndio do Chiado” é um documento histórico essencial, visto pela lente de quatro fotógrafos, de uma cidade que, uma vez mais, se soube reerguer com muita alma acima de uma tragédia imensa.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This