O Jazigo

Uma obra de Duarte Barrilaro Ruas que estará em cena de 15 a 28 de Dezembro na antiga cantina da Faculdade de Ciências ao Príncipe Real.

Este espectáculo marca o regresso de Duarte Barrilaro Ruas aos palcos e tem uma forte actualidade com os temas da sociedade portuguesa contemporânea. É uma comédia burlesca que mistura ingredientes do teatro tradicional e da coreografia com imaginários de princípio do século XX, actualizando-os ao nosso tempo. Tenta retratar as preocupações naturais do Homem com a sua sobrevivência, a falta de espaço e a forma como este actua num mundo burocrático e financeiro, onde se utiliza todos os meios para se atingir os fins desejados. Aqui aparece o elemento policial da história que vai aumentando ao lado do mistério e do suspense. O protagonista habita um jazigo, que tem uma atmosfera altamente negra e de falso terror.
O cenário minimalista da peça é acompanhada pela música de Carlos Zingaro ao vivo, o que é uma ajuda valiosa para o ambiente negro e perturbador da história. É uma peça que prende a atenção do espectador tanto pelo ambiente em volta dela, como pela reflexão a que obriga.

Mas quem é Duarte Barrilaro Ruas? Aqui fica um pouco da sua história.

Duarte Barrilaro Ruas nasce em Coimbra a 27 de Novembro de 1967. Iniciou os seus estudos teatrais no Instituto de Formação, Criação e Investigação Teatral (I.F.I.C.T.) no curso de formação de actores de 1987. Frequenta o Conservatório Nacional durante o ano de 1988 mas abandona-o para integrar a Companhia de teatro-dança do encenador Italiano Giorgio Barberio Corsetti com apenas 19 anos e faz como protagonista: ” De Noite”, ” Durante a Construcção da Muralha da China ” de Franz Kafka e ” Il Legno dei Violini ” de Barberio Corsetti. Regressado a Portugal, representa Portugal nos Encontros Acarte 91 com um espectáculo da sua inteira autoria: ” O Povo Das Chuvas Ácidas”. Em 1993 realiza a partir de Edgar Allan Poe, ” A Lua.Cio.Nação “. A partir de ideia sua faz em 1995: ” Acordei Bicéfalo “, sempre com a estreita colaboração musical de Carlos Zingaro. Participa em: ” Os Homens ” de Miguel Esteves Cardoso, encenação de Graça Lobo e ” Grande Noite ” de Filipe La Féria. Integra a Companhia do Teatro Nacional D. Maria II como actor convidado por duas vezes para interpretar: ” Os Jornalistas ” de Arthur Schnitzler e ” Germania III” de Berthold Brecht., com encenações respectivamente de Jorge Lavelli e de Jean Jourdeille.
Participa em inúmeros tele-filmes para a televisão Francesa e em cerca de 30 anúnicos publicitários para a televisão Portuguesa como protagonista. Trabalha como actor protagonista com o realizador Edgar Pêra em ” Swk4 ” de Almada Negreiros e em ” Manual de Evasão Lx 94 “.
Trabalhou como actor-bailarino com os coreógrafos Paulo Ribeiro e Josef Nadj em Lisboa e Paris, respectivamente. Participou como jornalista de investigação e performer nos programas de televisão: ” Filhos da Nação” na Sic, com apresentação de Júlia Pinheiro e ” O Perfeito Anormal” de Fernando Alvim na Sic Radical.



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This