Diana-Gabaldon

“Outlander – Um sopro de neve e cinzas Vol. I” de Diana Gabaldon

Desafiar o destino às portas da revolução

Neste sexto volume da série Outlander, de Diana Gabaldon, Outlander – Um sopro de neve e cinzas Vol.I (Casa das Letras, 2018), o clã Fraser, bem como os seus familiares e amigos, deparam-se como uma ameaça dupla: o destino dos Fraser vaticinado num pequeno artigo de um jornal no futuro, e a iminente revolução que se aproxima, e da qual os protagonistas já sabem o desfecho. Uma luta contra o tempo e o destino, repleta de perigos, emoções fortes e intensas, e desafios tenebrosos, como já vem sendo habitual nas histórias de Gabaldon.

– Temei o gume da espada, pois a cólera traz o castigo da espada, para saberdes que há julgamento.
Estremeci e a mão de Jamie apertou a minha, fria, mas forte. Ele olhou para mim e o meu olhar encontrou-se com o dele. Eu sabia o que lhe ia na alma.
Ele pensava, assim como eu, não no presente, mas no futuro. Numa pequena nota que apareceria dali a três anos, nas páginas do Wilmington Gazette, datada de 13 de fevereiro de 1776.

Diana Gabaldon continua esta saga, com uma narrativa contínua, num ciclo complexo, uma teia perfeitamente tecida, um discurso apelativo, recheado de pormenores históricos aliados ao romance, à sedução e aos elementos fantásticos, seguindo as peripécias do livro anterior, onde os nossos protagonistas se estavam a adaptar à vida nas Colónias, que terminou com os primeiros tumultos e inquietudes provenientes da agitação política que se fazia sentir, e a aproximação de Revolução Americana.

Seguindo a mesma linha temporal, os Fraser continuam a sua vida na povoação de Fraser’s Ridge, no ano de 1772, na véspera da Revolução Americana, rodeados por familiares e amigos.

Um fio de fumo chegou-lhe ao nariz; fumo da chaminé da Casa Grande, mas a sua garganta fechou-se ao cheiro a queimado. De repente, a sua ansiedade aumentou. A luz esvanecia, e a noite espraiava-se. O tordo-imitador silenciava-se e a floresta parecia repleta de mistério e ameaça.

O ataque ao jovem Ian nos bosques, por um grupo de homens armados desconhecidos, e a descoberta de uma cabana em chamas, servem de ponto de partida para a mais recente aventura dos Fraser e dos seus amigos.

500_9789897419614_outlander_vol1
Major MacDonald oferece a Jamie a possibilidade de se tornar num agente indigenista, com o intuíto de persuadir os Índios a lutar pelos Ingleses, quando necessário, mas o timing deste pedido é, para Jamie, algo incongruente, dado que os Franceses já se tinham retirado para a sua base a Norte, no Canadá.
É, então, que Jamie se recorda das palavras de Brianna sobre os acontecimentos futuros, a nova guerra que se aproxima a um ritmo vertiginoso, e isso aterroriza-o, pois isso significa que mais uma vez, se encontram do lado errado da batalha.

Ele sempre soubera que Bonnet voltaria um dia. (…) Bonnet sabia da existência do ouro, e suspeitava que estivesse na plantação. Tentara apoderar-se dele uma vez e fracassara. Bonnet, apesar de não ser um homem cuidadoso, era persistente.
Roger sentiu os ossos retesarem-se na carne, ardendo de vontade de caçar e matar o homem que violara a sua mulher, que ameaçara a sua família. (…)

E como um problema nunca vem só, especialmente no que diz respeito aos Fraser, um inimigo volta a mostrar a cara, deixando Roger Mac num estado de revolta e angústia, ansioso pelo acerto de contas.

Bonnet, fazendo juz à sua má reputação, resolve tentar obter o ouro escondido na plantação, mas as suas breves aparições seguidas de desaparições, colocam os Fraser em estado de alerta, constantemente em busca de pistas do seu paradeiro.

Em estado de alerta e temerosos, os Fraser devem decidir que decisões tomar caso o artigo de jornal esteja correto. Irá Bree voltar ao presente com a sua família, ou ficará ao seu lado?

E se Claire e Jamie sobreviverem, não seria mais seguro enviá-los, na mesma, ao presente devido à aproximação da guerra?

No meio de tanta incerteza e perigo, Roger dedica-se a ajudar Amy McCallum, conduzindo a rumores, e criando uma brecha entre ele e Bree.

Quando a sua relação parece estar por um fio, Roger toma uma decisão de vida inesperada.

Outlander – Um sopro de neve e cinzas vol. I, de Diana Gabaldon, segue com o esplendor da saga Outlander, continuando a despertar emoção e a espicaçar a imaginação do leitor. As aventuras dos Fraser continuam, os perigos estão cada vez mais próximos e são, cada vez, mais difíceis, as decisões que terão de tomar. Um volume a não perder.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This