Janis – a little girl blue

Parkinsons, Sharon Jones e Janis Joplin no IndieMusic

O IndieMusic desenha o retrato de alguns dos mais prodigiosos talentos musicais.

Música, juventude, resistência, drogas, alucinações, doença, caos, morte. É assim desenhado pelo IndieLisboa o retrato dos mais prodigiosos talentos musicais.

O caos selvagem dos The Parkinsons que os levou tão rápido até à ribalta quanto os devorou por dentro chega agora em imagens e sons inéditos reunidos no documentário “A Long Way to Nowhere” (dia 22 de Abril, sexta-feira, às 21h15, no Cinema São Jorge), de Caroline Richards (que estará presente na sessão). A banda punk de Coimbra actua depois da sessão no âmbito do IndiebyNight, a partir das 23h, na Taberna das Almas.

Um dos mais notáveis baixista do seu tempo, Jaco Pastorius, um produto acabado do jazz louco dos anos 1970, é objecto de retrato em “Jaco” (dia 22 de Abril, sexta-feira, às 19h00, na Culturgest).

Outro vulto da música do século XX é o multifacetado músico folk Leon Russell. Em “A Poem is a Naked Person” (dia 24 de Abril e 1 de Maio, domingo, às 23h45 e 19h00, no Cinema São Jorge) é o o tema principal do filme póstumo de Les Blank.

“Emocean” (dias 23 e 30 de Abril, sábado, no Cinema São Jorge) é um documentário musical tripado pela música da banda pop psicadélica Fenster, que conta aqui, em modo home made, quão alucinada foi a aventura por trás da gravação do seu terceiro álbum.

Também a pop electrónica portuguesa é olhada – e ouvida – de perto com o mais recente filme de Eduardo Morais, “Tecla Tónica” (dia 30, sábado, às 21h30, na Culturgest), um filme que se alicerça em intervenções preciosas de alguns notáveis, tais como DJ Vibe, Vítor Rua ou José Cid. A sessão de cinema é seguida, às 24h00, da festa de encerramento do festival, que regressa à garagem da Culturgest. Ghost Hunt, W.A.S.T.E. Club, Nunchuck DJ set e Lena Huracán VJ set fazem parte do programa de música concebido pelo próprio Eduardo Morais.

O Indie debruça-se também em dois talentos desaparecidos precocemente por causa das drogas, Janis Joplin e Mark Linkous.

A primeira revela-se num conjunto de cartas que enviou a pais, amigos e colaboradores. Em “Janis: Little Girl Blue” (dia 22, sexta-feira, às 21h30, Cinema São Jorge), as palavras secretas de Joplin são lidas por Cat Power sobre imagens da “rainha do rock and roll”.

O segundo, vocalista da banda Sparklehorse, levou uma vida “bela e triste” de luta permanente contra a depressão e a toxicodependência. “The Sad & Beautiful World of Sparklehorse” (dias 21 e 30, quinta e sábado, às 21h30 e 23h45, no Cinema São Jorge) é um filme feito por quem conviveu de perto com Linkous até ao dia que decidiu terminar com a sua vida. Os realizadores Bobby Dass e Alex Crowton estão presentes na sessão.

A história inspiradora da vocalista dos The Dap-Kings é o tema do documentário mais recente da oscarizada Barbara Kopple, “Miss Sharon Shones” (26, às 21h45, no Cinema São Jorge). Um filme que mostra a luta contra um cancro no pâncreas enquanto procura usufruir do sucesso que lhe escapou ao longo da vida.

Sonita” (dia 23, sábado, às 18h00, no Cinema São Jorge) resiste não à doença do corpo, mas à doença da sociedade em que vive. Ela é uma imigrante afegã de 18 anos a viver ilegalmente no Irão. Sonita transforma os obstáculos da conservadora sociedade iraniana num motivo para inspirados temas rap que desafiam a ordem patriarcal em vigor.

Outra história de resistência contra a intolerância e a injustiça é “Mali Blues” (dia 30, sábado, às 18h00). Um filme que reúne o melhor da cultura maliana para uma viagem pela estrada fora por um País que corre o risco de ver a suas formas de expressão amordaçadas pela lei da Xaria.

Em “Breaking a Monster” (dia 24, domingo, às 16h00) conhecemos os Unlocking the Truth, uma banda que em 2014 abriu concertos de Guns N’ Roses, Motorhead e Queens of the Stone Age. Terá o sucesso chegado rápido de mais?

Por fim, uma escola de veteranos: “Journal d’hérésie”(dias 20 e 25, quarta-feira e segunda-feira, às 21h45 e às 23h15, no Cinema São Jorge e Cinema Ideal)pelo documentarista francês Benoît Bourreau; um filme onde faz o retrato de três artistas que partilham experiências numa mesma residência artística. Bourreau revela o backstage artístico do “poeta sonoro” francês Anne-James Chaton, do guitarrista da banda holandesa The Ex Andy Moor e do fundador dos Sonic Youth Thurston Moore. O realizador estará presente na sessão.

O IndieLisboa começa já no próximo dia 20 de Abril, conhece o programa completo aqui.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This