Patrick Wolf ao vivo no TMN ao vivo, em 16/10.

Patrick Wolf @ TMN AO VIVO

Estrela pop.

Patrick Wolf já cá anda há bastante tempo. A exuberância em palco aumenta de disco para disco – e já lá vão cinco – e pudemos testemunhar esse crescendo de exuberância ao longo dos últimos anos. Em 2007, no Sudoeste, fechou um tema mostrando o traseiro ao público do palco secundário do festival. Em 2009 passeou um dos vestuários mais bizarros de sempre do Festival Paredes de Coura. Este ano passou pelo Optimus Alive e, diz quem lá esteve (e nós acreditamos), tornou-se no grande concerto dessa noite.

O espectáculo que promove “Lupercalia”, o quinto disco de estúdio, é um espectáculo pop no sentido mais lato do termo, é um espectáculo pop extravagante, com várias mudanças de roupa. O músico faz-se acompanhar por uma pequena orquestra – há uma bateria, um baixo e teclados, mas também uma harpa, violinos e vários instrumentos de sopro. O primeiro Patrick Wolf que vemos em palco no dia 16 de Outubro parece um Patrick Wolf bastante normal para aquilo que são os cânones do artista – surge maquilhado, com um casaco vermelho e um penteado que tem pinta de ter influenciado muitos outros penteados.

As canções são bastante adornadas, cheias de camadas, os violinos puxam para o épico, apelam à emoção, à lágrima, fazem-nos vagamente lembrar uns Arcade Fire. São canções que crescem – chegamos a ver, no final de uma canção, Patrick Wolf levantar o violino como se de uma guitarra se tratasse, como que em jeito de celebração. As projecções funcionam como mero adorno, projecta-se Patrick Wolf a abraçar um lobo, vemos o artista com o rosto ensanguentado, tudo isto em loop, sem grande preponderância ou eficácia.

Perto do fim, começa o rodopio: Wolf troca de roupa, despe o casaco e surge com uma camisa de todas as cores, sai do palco, ruma ao backstage, volta a trocar de roupa, regressa com novo casaco brilhante, como que a anunciar um início de festa que duraria apenas cinco minutos. Sai para o backstage, regressa para encore, novamente com nova vestimenta, um casaco preto às bolas amarelas (ou brancas, a luz não nos deixa distinguir). Senta-se no corrimão que dá para o primeiro andar, puxa pelo público e desce o pilar que dá para o meio desse mesmo público que nesta altura está eufórico. Oferece «Magic Position» e «In the City», aperta as mãos dos fãs da fila da frente, beija as mãos das fãs (um cavalheiro) e promete regressar.

O espectáculo é de estrela pop, mas Patrick Wolf não tem as manias de uma. Bom concerto.

Fotografia por Rui de Freitas.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This