pes2017-ucl-fcb-v-ars_suarez-volley214

PES 2017 | Análise

Está dado o pontapé de saída para mais uma temporada de futebol!

Com as principais ligas europeias já em andamento, os amantes dos videojogos e do mundo do futebol chegam àquela altura do ano em que a versão anual do seu simulador de futebol preferido chega às suas consolas. É também nesta altura do ano que a Konami e a EA colocam as suas garras de fora e divulgam as grandes novidades que introduziram nos seus respectivos jogos de futebol e que farão as delícias dos fãs durantes toda a temporada. Esta é, afinal de contas, uma das batalhas entre produtoras de videojogos mais profícuas para os fãs que acabam por, ano após ano, desfrutar de um ainda melhor simulador de futebol em casa.

Depois de alguns anos menos bem sucedidos, no ano passado a Konami apostou todas as suas armas no PES 2016 e a mudança de paradigma foi notória, tendo reduzido significativamente a distância que a separava da qualidade introduzida por FIFA nos anos mais recentes. Com PES 2017, a Konami aposta em refinar ainda mais o seu produto, numa jogada inteligente que pode marcar a diferença este ano, aquando da atribuição do título de “videojogo rei” dos simuladores de futebol.

Este ano, com a introdução de Real Touch e Precise Pass, o estilo de jogo baseado no passe, já habitual na série da Konami, alcança outro nível de realismo. Conforme a capacidade dos jogadores, a recepção e o primeiro toque funcionará de maneira diferente. Também o uso do espaço será fundamental mas mais fácil de explorar com o simples uso do analógico esquerdo. É também graças a estas novas mecânicas que as acções no último terço do campo se tornam muito mais espectaculares, embora careçam de um melhor cálculo por parte do jogador. Aproveitar os espaços das defesas contrárias é essencial, assim como cada jogada deve ser pensada conforme os jogadores que temos em campo. Por exemplo, se queremos construir uma jogada que levará a um cruzamento para a área, vamos supor que temos Leonel Messi em campo, será importante levar a bola para o seu flanco esquerdo e aproveitar a sua extraordinária capacidade de cruzamento, tirando depois partido da capacidade finalizadora de Luis Suárez. Para isto ajuda também a nova funcionalidade PlayerID que recria as capacidades de drible e os vários estilos de múltiplos jogadores como Ronaldo ou Messi. Esta novidade ajuda a que consigamos reconhecer em campo vários jogadores apenas pela forma como se movimentam em campo. As semelhanças com o mundo real são claras e este é um ponto extremamente positivo para PES 2017.

Existem algumas novidades ao nível das celebrações dos golos, com o maior destaque a cair sobre a possibilidade do jogador que marca um golo decisivo poder despir a camisola em plena celebração. Uma acção que obviamente não passará impune aos olhos do árbitro mas que acrescentará alguma emoção ao momento.

pes2017-fcb-celebration795

O momento chave do desporto rei – o golo – foi também ele alvo de melhorias nos seus dois elemento fulcrais de jogabilidade: os remates e o realismo dos guarda-redes. Algumas diferenças são notórias em relação a PES 2016, como o refinar do chapéu aos guarda-redes que se tornou agora bastante mais complicado de concretizar. Algo que novamente é influenciado pelas características dos jogadores e claro, pela capacidade dos guarda-redes para reagirem às nossas jogadas. Tendo isso em conta, este é provavelmente o ano em que, na série PES, os guarda-redes melhor desempenham o seu papel. A sua inteligência artificial foi bastante melhorada mas, sobretudo, houve enormes melhorias nas suas capacidades de reflexo a ressaltos e remates consecutivos.

Relativamente a PES 2016, a edição deste ano não introduz qualquer modo de jogo novo, embora existam algumas novidades no modo Master League. A maior delas é a inclusão do último dia do mercado de transferências pela primeira vez na série, com um contador a marcar as horas que restam para o fecho do mercado. Por outro lado, a nível de clubes, é também novidade a divisão do orçamento geral em orçamento para salários e orçamento para transferências. Embora existam modos online, para esta análise não conseguimos experimentá-los já que os servidores não estavam ainda disponíveis quando testámos o jogo para esta análise.

pes2017-ucl-fcb-v-ars_messi-vaselina795

Apesar de muitas novidades e melhorias em PES 2017, aquilo que normalmente afasta os jogadores habituais de FIFA da série Pro Evolution Soccer continua presente: a falta de licenciamento de clubes e ligas. Algo que este ano parece ainda agravar-se com a falta de licenciamento da Liga BBVA de Espanha. Apesar de uma enorme parceria com o Barcelona e Atlético de Madrid, que se traduz até na temática dos menus, a verdade é que as restantes equipas espanholas não possuem os nomes correctos e isso verifica-se até em algumas das equipas principais como o Real Madrid ou o Valencia. Na liga portuguesa, apenas Sporting e Benfica possuem os nomes reais, com as restantes equipas a possuírem nomes alternativos. Não obstante, a Konami continua a ter presentes as licenças da UEFA Champions League e Liga Europa, sendo estes dois importantes trunfos que poderiam ser melhor aproveitados se PES 2017 possuísse mais equipas licenciadas. O que vemos muitas vezes são grupos das competições preenchidos por equipas com nomes completamente aleatórios que não têm nada a ver com a realidade.

A falta de licenciamentos é de alguma forma remediada com a larga possibilidade de edição que é, também ela, característica da série Pro Evolution Soccer e que nos permite editar os jogadores, as equipas e as próprias ligas de futebol. Para ajudar esta função de PES 2017, os jogadores podem usar pens USB para importar imagens, como emblemas, para a versão PS4 ou utilizar mods na versão PC, algo que infelizmente não está disponível de todo na versão Xbox One. Para editar tudo à nossa maneira serão precisas algumas horas, mas tudo é compensado pela excelente jogabilidade de PES 2017.

pes2017-ucl-fcb-v-ars_iniesta-dribble795

A Konami apostou num refinar do título do ano passado e foi muito bem sucedida. PES 2017 é provavelmente o melhor título da série e eleva bastante a fasquia para os simuladores de futebol deste ano. Com uma melhor jogabilidade e algumas novidades dentro dos seus modos de jogo habituais, PES 2017 é um excelente título de futebol que só perde pontos no que diz respeito ao seu licenciamento de equipas e ligas de futebol. Resta saber se FIFA 2017 conseguirá acompanhar aquilo que a Konami fez. Para já, PES 2017 é fácil de recomendar a todos os adeptos do desporto rei que não passam sem o seu simulador de futebol favorito.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This