Pimenta Rosa – Fotografia de Ricardo Freire Mateus

Pimenta Rosa

Cozinha tradicional portuguesa, com certeza!

Se está cansado de restaurantes com influências dos quatro cantos do mundo, de conceitos como gourmet, nouvelle cuisine e trendy e de espaços ultra lotados e barulhentos, temos a solução ideal para si: voltar às origens da cozinha tradicional portuguesa aliada ao gosto mediterrânico. O Pimenta Rosa, situado em pleno coração de Campo de Ourique, reinventa constantemente os pratos mais emblemáticos da nossa gastronomia, relembrando-nos que a genuinidade dos sabores esquecidos pela restauração nos últimos anos podem ser recriados e elevados aos paladares mais exigentes.

Com portas abertas desde Março de 2013, o Pimenta Rosa surgiu na sequência da mercearia com o mesmo nome (e a escassos metros do restaurante) que os proprietários Marco Puga, jornalista, e Luís Martins, engenheiro civil, conceberam. O sucesso da loja de produtos típicos portugueses instalada no bairro há quase 6 anos fez com que esta dupla de sócios se aventurasse no mundo da restauração: «Ambos trabalhávamos em áreas completamente diferentes e, a determinada altura, decidimos parar com as profissões que tínhamos. Não foi por circunstâncias da vida, nem nada disso, foi mesmo uma opção pessoal para dedicarmo-nos totalmente a este projecto», conta Marco em entrevista. Assim nasceu o conceito dos espaços Pimenta Rosa: «Transmitir o que se passa a nível nacional, de norte a sul do país, e trazer para Lisboa o melhor que se produz em Portugal». Marco confessa que «inicialmente muita gente pensava que seria um restaurante gourmet, mas não, pelo contrário, pretendemos refazer e recriar outras formas das receitas mais tradicionais genuínas da cozinha portuguesa».

Pimenta Rosa - Fotografia de Ricardo Freire Mateus

Sob esta premissa, aqui é possível degustar refeições que fazem parte da riqueza e variedade da nossa gastronomia. Para abrir o apetite, como diz a própria carta, pode começar por pedir umas ameijoas à bulhão pato, uma saladinha de polvo, uns ovos mexidos com farinheira ou uma morcela da Guarda com laranja (os preços oscilam entre 6 e 14€) . Continue a sua viagem pelos sabores nacionais com pato no forno, arroz de cabidela, lulinhas à algarvia, bacalhau em trouxa de massa filo, lombinhos de peixe-galo em emulsão de espumante, polvo na grelha, costeletinhas de borrego ou espetada de tamboril e camarão, tudo pratos que rondam os 15€. Apesar de não constar no cardápio, não deixe de pedir uma sobremesa: arroz doce branco à moda da Beira, pudim de ovos (receita da avó Maria), leite creme queimadinho na hora, torta de laranja ou mousse de chocolate branco com chocolate crocante negro e framboesas são apenas alguns dos doces de Verão do Pimenta Rosa que pode provar por 4,50€. Se preferir fruta, opte por laranja, abacaxi ou manga (3,50€).

Pimenta Rosa - Fotografia de Ricardo Freire Mateus

Confessamos que foi difícil escolher o que comer por entre uma ementa tão rica e variada, no entanto, começámos por um creme aveludado de marisco e outro de tomate com ovo de codorniz e presunto esfarrapado (por 5,50€ e 4,50€, respectivamente). A registar o gosto bem vincado dos ingredientes que compõem estes pratos. O desfile de sabores seguiu-se com um delicioso bacalhau no forno com broa de milho tostado assente numa cama de batatas, grelos e azeite (18€) e umas bochechas de porco preto no forno, acompanhadas com batatas douradas e grelos salteados (14€). A destacar a posta generosa de bacalhau cujas lascas se desfazem facilmente, a broa bem estaladiça e as batatas e grelos cozinhados no ponto, a rematar com o toque final do azeite de qualidade superior. As bochechas de porco preto evidenciam o sabor característico desta carne tenra, estando bem regada com um molho que torna este prato delicioso. As guarnições igualmente bem confeccionadas com destaque para a batata crocante. Contraste e equilíbrio perfeito entre sabores e texturas.

Pimenta Rosa - Fotografia de Ricardo Freire Mateus

Pimenta Rosa - Fotografia de Ricardo Freire Mateus

Encerrámos esta degustação com um cheesecake com redução de frutos silvestres e uma mousse de framboesa (4,50€ cada). A salientar o sabor intenso das frutas e a consistência ideal em cada uma das sobremesas.

Esta é apenas uma pequena amostra do que pode provar no Pimenta Rosa neste momento, uma vez que a carta é sazonal e adaptada à oferta de mercado, de forma a garantir a frescura de todos os produtos: «Isso é uma pesquisa diária que é feita com todos os fornecedores e, por vezes, retiro mesmo os pratos porque não tenho o ingrediente base ou a qualidade exigida», explica Marco.

Pimenta Rosa - Fotografia de Ricardo Freire Mateus

Todas as receitas são seleccionadas por Marco que, em conjunto com os dois cozinheiros profissionais da equipa, são posteriormente interpretadas e resultam em autênticas maravilhas gastronómicas. De referir que são os próprios proprietários quem faz o serviço de mesa, um ponto a favor para quem procura um atendimento personalizado.

Quando fomos conhecer o Pimenta Rosa, foi Luís quem acompanhou do início ao fim o nosso jantar, fazendo uma explicação bastante pormenorizada, tanto a nós como a todos os clientes, sobre o que comer e beber. Com uma carta variada no que concerne a regiões e tipologias vinícolas que oscila entre os 12€ e os 45€, o engenheiro de formação aconselhou-nos a provar um Vinha do Almo Escolha, um tinto alentejano de 2011, cujas castas Touriga Nacional, Trincadeira e Aragonez evidenciam o seu paladar harmonioso e concentrado.

Em relação às opções de vinhos, Luís justifica dizendo que «são de pequenos produtores, não são muito divulgados, nem estão nas grandes superfícies», apesar de terem algumas marcas mais emblemáticas para o cliente menos entendido no sector vínico identificar facilmente. «A carta está sempre a mudar, porque vamos descobrindo coisas novas e vamos alterando».

Pimenta Rosa - Fotografia de Ricardo Freire Mateus

Aliada à excelência do serviço e qualidade dos pratos, junta-se a decoração diferenciadora e informal q.b., que mescla peças vintage com outras mais arrojadas num registo harmonioso e atencioso aos detalhes. De salientar a sala do piso inferior, de cariz simultaneamente sofisticado e acolhedor, ideal para grupos de 8 pessoas que procuram um pouco de mais privacidade do que é comum nos restaurantes.

Apesar de ser relativamente recente, o Pimenta Rosa já tem os ingredientes certos para fazer deste espaço, alojado neste bairro tradicional lisboeta, num dos melhores sítios da cidade para desfrutar de (boa) comida verdadeiramente portuguesa.

 

Horário de funcionamento:

De Terça a Domingo
Encerra ao Domingo à noite e Segunda-feira todo o dia
Rua Tomás da Anunciação, 9-B, 1350-328 Lisboa (Campo de Ourique)

 

Fotografia de Ricardo Freire Mateus 



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This