rdb_header_ppsc

Piratas no Tejo e Santos em Terra

Red Bull Music Academy Pirate Popular Soundclash, 12 de Junho

“Alô Alô! Estamos a anunciar uma frequência Pirata: 99.0. Fixem este número”. Ok, já podem largar. Mas os que fixaram não vão esquecer o passado dia 12 de Junho, nem a emissão marginal-legal lançada a partir do barco ferrado no Tejo. Soundsystem dentro de bordas, assim esteve o Príncipe Perfeito a celebrar o nosso Santo António para fora delas.

Um barco no Tejo com perto de quarenta artistas e muitos piratas, de passagem ou ao saque, este foi o evento Pirate Popular Soundclash da Red Bull Music Academy Radio e da Antena 3, numa “delicada operação tecnológica”, em directo para os miradouros de São Pedro de Alcântara e Adamastor.

Se um pirata já foi “um marginal que, de forma autónoma ou organizado em grupos, cruza os mares só com o fito de promover saques e pilhagem a navios e a cidades para obter riquezas e poder”, agora, dizemos nós, a história há-de ser outra.

O conceito da Red Bull Music Academy vem ajudar a desmistificar a pirataria e torná-la numa oferenda. Os piratas fundeados no meio do Tejo estiveram, das 18h às 03h, a presentear todos os sintonizados, convidados e espectadores com música, animação e sardinhas com (ou sem) fartura.

Dos três pontos do evento (barco e miradouros) deu-se conta de uma celebração singular submersa em música e água doce. A banda sonora, essa, esteve merecedora de uma invasão bem sucedida às Caraíbas, e durou as nove horas de emissão sem prego nem tréguas.

Se não, leia-se parte do que por lá se emitia e por todo o lado de ouvia, em 99.0, na internet ou nas projecções para mirones: Orelha Negra, Terrakota, Showcases de Flor Caveira e Amor Fúria, Soulbizness, Discotexas, Mega Bass Club, Unidade Sonora, Octa Push (também no Sonar, estes senhores), Nigga Poison, M.O.T.E. (Movimento de organização Terrorista da Enchufada), Prince Wadada Soundsystem, Sistema Sonoro Fazuma, Sir Scratch e mais, muito mais.

Já no ano passado, a maratona de dez horas organizada pela Antena 3 e pela Red Bull desde o Palácio de Santa Catarina, tinha inventado uma forma diferente de comemorar o Santo António, levando santidade e público ao rubro da nova direcção e palco festivo. Este ano, a Ginga Beat Crew (Violet, DJ Mpula e Rui Miguel Abreu) tomou as rédeas inside boat, e alternou artistas convidados com sets, entusiasmo radiofónico e movimento flutuante.

No estúdio, à cave do barco plantado, estavam prontos a acolher o extenso Line Up que chegava e voltava, e com ele interagir em modo sonoro emerso. Os ‘não-Lisboetas’ não puderam lamentar-se. No site da Red Bull Music Academy, ou em múltiplas transmissões especiais da Antena 3, o real time broadcast deu o seu fiel testemunho aos deslocados sobre tudo e todos que iam passando a bordo.

Certo é também que não puderam desfrutar das deambulações oscilantes, contudo estáticas, da mágica vista over city, ou das iguarias servidas a bordo. Mas também…não se pode gozar tudo, certo? Parecia difícil, e não foi fácil.

Mas nada é impossível quando se juntam os melhores Soundsystems, MCs e animadores de qualidade, uma frequência FM, Streaming audiovisual, muitas sardinhas e milhares de pessoas. Tudo estala mais clash ainda, se for a bordo de um Príncipe Perfeito. Os piratas são gatunos do mar e trabalham por conta própria. Hoje em dia este termo é aplicado a qualquer pessoa que viola alguma coisa (piratas do ar; piratas informáticos…). Ou isso, ou isto é tão verdade como dizer que o crime afinal compensa, e faz o Santo regurgitar.

Fotos por Red Bull Music Academy Portugal



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This