rdb_porumrio_header

“Por um rio”

O fluxo da vida.

No dia 24 de Setembro pelas 21h30, estreou no Cinema-Teatro Joaquim d’Almeida no Montijo o espectáculo de dança “Por um Rio”, interpretado por Marina Nabais, Alban Hall e Tonan Quito, produzido por A Menina Dos Meus Olhos Associação Cultural.

Durante a viagem que somos convidados a fazer vemos o rio que nasce com pequenas pedras que rolam e rolam. De início um fio de água que passa e no momento seguinte a força de um ribeiro junto da casa que idealizámos na nossa infância. Por fim, a passagem pelos rápidos que tudo levam, água que transborda as margens e chega à foz, desaguando no mar.

A performance dos artistas em “Por um Rio” coloca-nos no rio que vemos a crescer e passar ao nosso lado como num plano mais interpessoal, vendo o rio que é também a nossa vida, que nasce, passa de um ribeiro a um fluxo constante de água com força e vida própria que transborda as margens e alimenta o mundo à sua volta. É um espectáculo introspectivo, hipnótico e radiante.

Conversa com Marina Nabais – directora artística d’ A Menina dos Meus Olhos Associação Cultural

Na conversa, Marina Nabais, intérprete e co-criadora de “Por um Rio”, revela-nos que o seu trabalho, enquanto criadora, consiste na sua observação da natureza, partindo da ideia do movimento do Rio e como esse movimento físico se transporta para o corpo humano.

Partindo da repetição de padrões, com a ligação metafórica e física da associação do rio às veias do corpo, as estradas, a sombra das árvores que vão crescendo ao longo do dia, permitem a compreensão de que tudo o que existe em micro escala existe de igual forma na macro escala. Esta curiosidade permite a continuada pesquisa e o contacto mais próximo com a natureza, desde a sua contemplação à observação directa.

Os sentimentos iniciam-se, segundo Marina Nabais, no vazio e medo do primeiro ensaio, mas vai dando lugar à procura incessante de um novo movimento, esquecendo toda a técnica já aprendida. O momento da decisão aguardado ao longo dos ensaios, a afirmação do movimento escolhido e a compreensão do caminho para onde se pretende ir.

No seu movimento contínuo, seus olhos prendem-se na paisagem que nos convida a ver o caminho que percorre ao longo do rio, os desenhos que ficam e as direcções que tomam. Deixa o convite de embarcar na sua viagem pessoal ao rio que passa e não volta atrás ao contrário do ser humano que tem sempre uma segunda oportunidade.

A Menina dos Meus Olhos Associação Cultural

Associação sem fins lucrativos que promove a criação de artistas independentes das artes visuais/multimédia e artesanato, afirmando-se na dança como sua expressão artística de excelência, e fazendo a ponte com comunidades mais carentes.

Este método pretende sensibilizar os diferentes públicos para uma abordagem diferente da cultura, fomentando a participação do público no momento de criação.

A próxima apresentação do “por um rio” é no dia 4 de Novembro no Balleteatro no Porto.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This