19093064_1239587292829946_6831938911474005154_o

Porto, a capital da cerveja artesanal

O Porto Beer Fest invadiu os jardins do Palácio de Cristal, no Port

Há muito que o Porto está na vanguarda no que diz respeito a este fenómeno, que vai ganhando cada vez mais adeptos por cá e além fronteiras.

A prova está na última edição do Porto Beer Fest, que passou há uns dias pelo Palácio de Cristal e levou até aos seus jardins 2 distribuidoras e 30 cervejeiras, muitas delas internacionais.

Durante cinco dias, o Porto Beer Fest foi o lugar predileto dos apreciadores desta nova ‘trend’, que tem conquistado o palato de muitos portugueses. A Rua de Baixo deu lá um salto numa tarde de sábado onde o calor que se fazia sentir e convidava mesmo a provar uma bela ‘loira’.

À conversa com Octávio Costa, membro da OG&Associados, empresa encarregue da organização, a RDB descobriu que, a um dia de se encerrar o certame, o sucesso podia facilmente medir-se: já quase estavam esgotados os copos especiais desta edição (foram produzidos 20 mil copos) e milhares de litros de cerveja já tinham sido consumidos, com muitos cervejeiros a terem de ir buscar mais stock para fazer face aos pedidos.

“Esta edição ficou muito acima das expectativas. Ficamos surpreendidos sobretudo com a afluência de quarta-feira à noite, pois é a primeira e foi uma loucura. Às 17 horas os cervejeiros ainda estavam a abrir as bancas e já cá estava muita gente”, adiantou Octávio Costa.

De livre acesso, o espaço abraçava os jardins deste espaço icónico da cidade do Porto e o Palácio de Cristal ia recebendo muitos curiosos entre os apreciadores da cerveja artesanal. Muitos acabaram por comprar o copo oficial (3 euros) e umas fichas de degustação de cerveja, tentados pelo que viam nas bancas que se iam espalhando pelo espaço.

Fizemos o mesmo. Começamos pela deliciosamente fresca (e muito bem denominada) ‘Sketch for a Summer’, da OPO 74, perfeita para o verão e para os amantes de maracujá. Ficamos rendidos logo à primeira, mas a investigação jornalística obrigávamo-nos a continuar. Seguimos pelas diferentes barracas, subimos a “Oitava Colina” e acabamos por “voar” até à “Dois Corvos”, onde nos esperava mais uma ‘blonde ale’ com sabor a verão.

Pelo caminho também nos cruzamos com a “Vadia”, a “Sovina”, a “Burguesa” e a “Maldita”, entre outras desditas, sempre a dar uma de “Letra” com o “Catraio” e com um olho nas barracas de ‘street food’. Entre umas batatas fritas uma bifana, a tarde foi passando e a cerveja foi enchendo o copo e o paladar.

O ouvido também não ficou órfão e a programação musical foi “escolhida a dedo”, confirmou-nos Octávio Costa. No dia em que por lá passamos, passou também um músico eremita que vive numa serra em Toledo e tem uma “one man band” de rock n roll clássico, “meio atarantinado”.

Foi o suficiente para dar o mote para mais umas cervejas, e esperar que o desejo da organização se concretize rápido. “O Barcelona Beer Festival é um dos melhores da Europa e o Porto Beer Fest, já a partir da segunda edição, quase se equipara. O nosso objetivo é colocar o porto no roteiro internacional dos grandes festivais de cerveja artesanal na Europa, com uma posição forte e visível”. Se a edição deste ano for prenúncio de alguma coisa, a Invicta está muito bem encaminhada…

Créditos fotográficos: Porto Beer Fest



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This