Prince Wadada

À conversa com a RDB.

Numa praça da “liberdade” aconteceu uma entrevista sem perguntas em que Prince Wadada se apresenta como inconformado e lança diversas farpas à forma como a música está instituída em Portugal e à falta de projecção da música portuguesa em Àfrica. “Eu acho estranho músicos brasileiros terem sucesso em Angola e músicos portugueses não. O que se passa? Existe um complexo de superioridade por parte dos portugueses, acham que a música deles não é feita para aquele sítio e para aquela gente.”

Afirma que existe em Portugal um preconceito em relação ao que é lusófono e só quando os músicos deixarem esse complexo é que o mercado musical português crescerá. Está desgostoso com o facto de músicos não portugueses serem discriminados em Portugal, apenas com diferenças nas tendências musicais, mesmo que se expressem em Português.

Apesar de toda a euforia reinante à volta do reggae, Wadada mostra-se apreensivo e surpreendido: “… também sei que esta moda é esquisita, as pessoas querem ouvir sempre as mesmas coisas e não se preocupam em saber o que é o reggae feito em Portugal… o pessoal nem sequer consome reggae jamaicano, só consome reggae alemão…”

Para Wadada, a música que faz não é só reggae. Entristece-o que o seu nome surja sempre associado a algo do género, e não a outras correntes musicais, e irrita-o o facto de o seu trabalho não ser considerado “música portuguesa”, porque, segundo ele, o que faz é “divulgar o português falado” e isso exigiu um grande trabalho de pesquisa ao início, porque “não havia dancehall em Português antes de mim”, com a normalidade de quem constata um facto.

É com estupefacção que nos diz que “as críticas negativas” recebidas “foram por inovar, é ridículo! Como é que recebo críticas por inovar? Sou angolano e vivo em Portugal porque é que não hei-de de inovar? Tenho todas as possibilidades para isso, não sou jamaicano.”

Quanto a concertos, Prince Wadada mostra-se mais selectivo porque prefere fazer um concerto onde acha que tem todas as condições técnicas e logísticas para mostrar aquilo que realmente é o seu trabalho do que correr o risco de ser confundido….

Neste momento, está a preparar os novos concertos que vão incluir temas de todos os discos, de modo a esclarecer o que é a carreira de Prince Wadada.

No final fica a satisfação quanto ao facto de viver da música, apesar de todas as dificuldades que isso acarreta em Portugal, no entanto existe um pormenor importante: “Eu vivo da música… perdão, eu vivo na música”.

Assim é Prince Wadada!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This