rdb_ritarolex_header

Rita Rolex

Quando “algo” está a acontecer de relevante em Portugal, o mais provável é encontrarmos por lá a Rita Rolex com as mangas arregaçadas a dar um enorme empurrão para que tudo aconteça da melhor maneira possível.

Num destes extraordinários fins de tarde de Lisboa fomos ao encontro de Rita Rolex, na esplanada do Bairro Alto Hotel, para uma descontraída conversa, com a missão de a conhecer e apresentar o seu percurso profissional, que tem sido determinante para a existência e evolução dos mais marcantes projectos e eventos nacionais, entre os quais a ModaLisboa.

A Rita entrou no mundo da moda e das marcas devido à sua formação académica em Design de Moda, onde foi aluna nº 1 do 1º curso do IADE (que tirou a par com o curso de História da Universidade Nova de Lisboa). Mas na verdade nunca quis desenhar moda propriamente dita, aquilo que sempre a motivou e lhe dá energia neste meio é reconhecer movimentos de expressão artística e definir padrões de tendências e comportamentos. Assume-se como apreciadora de moda como nunca se assumiu como criadora e é assim, a apreciar e estudar a moda como movimento, que retira todo o prazer da sua profissão.

Começou por trabalhar em vitrinismo para uma marca de roupa, seguindo-se a produção de moda no jornal O Independente. A partir daí trabalhou nas mais diversas áreas, entre as quais televisão, e chegou a trabalhar em teatro como assistente de encenação de João Perry em duas peças: “A Disputa” de Marivaux e “Sonho de Uma Noite de Verão” de Shakespeare.

Passou pela XN Brand Dynamics, de Xana Nunes, começando a fazer assessoria de imprensa de marcas, onde trabalhou por exemplo a Levi´s, “uma das marcas que mais me deu gozo trabalhar, pelos seus 150 anos de história e a sua irreverência”, a Cartier, entre outras. Fez inclusive Relações Públicas para o próprio espaço onde estamos sentadas, o Bairro Alto Hotel, tornando-o um dos hotéis mais procurados pelos turistas de visita a Lisboa, e o seu terraço sobre o rio um lugar de eleição para quem quer tomar um copo no final de tarde a descomprimir do trabalho.

Tem uma ligação muito forte ao Mercado Mundo Mix desde o seu início, aliás antes do seu início. Ficámos a saber que foi Rita quem foi ao Brasil falar com o próprio Beto Lago, organizador do evento no Brasil há 15 anos, para trazer para Portugal o mesmo conceito. Podemos dizer que graças à Rita Rolex, desde 2003 assistimos a este festival vanguardista na cultura urbana nas suas variadas vertentes.

Em termos das perspectivas para a cultura portuguesa, a sua opinião é clara e optimista: “Acho que ainda temos muito, muito, muito para evoluir mas de alguma maneira há uma nova geração de pessoas que têm uma energia incrível e que estão a quebrar barreiras e a fazer coisas muito interessantes, tanto a nível de moda, fotografia, cinema, documentários… acho que a nível de documentários Portugal está com uma força incrível, há uma série de pessoas que eu admiro imenso. E isso é uma coisa que me deixa contente e que acho que nos abre as portas.“

A ModaLisboa é um dos projectos com que tem uma grande relação afectiva, porque acompanha o projecto desde as primeiras edições e porque é também uma das associadas. No final de Agosto estará a trabalhar em força na organização da próxima edição (Fashion Force 33) que estará no Estoril pela sua última vez para regressar de volta à capital no próximo ano. Fica no entanto a sua herança pela cidade de Cascais, onde a partir de 2010 vai decorrer anualmente o Estoril Fashion Festival, que promete contagiar a cidade com um evento inovador.

Em Setembro, vamos poder ver a Rita na SpeakyTV, num programa de conversas com pessoas ligadas à moda, mas actualmente o seu foco principal são os projectos da sua própria empresa, a SIM See it Done, no Saldanha: “(…) uma pequena empresa de comunicação que trabalha assessoria de imprensa, organização de eventos e conteúdos nas áreas de moda, cultura urbana e luxo.” Onde trabalham clientes como a PIanegonda, Manuel dos Santos Jóias, Torres Joalheiros, Frank Muller, RTP, Adidas, Moet & Chandon, Grey Goose, entre muitos outros. Dos mais recentes eventos que organizaram destacam-se por exemplo “a festa “Gold”, que produzimos para a Möet & Chandon na Casa de Serralves, e uma festa de apresentação dos relógios Frank Muller na Torre de Belém”.

A Rita caminha do Chiado para a SIM no Saldanha (e de volta) todos os dias! Não gosta de conduzir porque a apavora verdadeiramente mas tornou a fraqueza em oportunidade (como parece ser característico da sua pessoa, um optimismo, uma perseverança e proactividade inacreditáveis que faz parecer tudo simples de executar) e aproveita assim as caminhadas pela cidade como os seus momentos de reflexão fundamentais para o seu bem-estar. O pior diz ser os dias em que os projectos se multiplicam e as deslocações para diversos pontos da cidade são obrigatórios. Nesses dias é preciso uma grande dose de destreza e uma fantástica gestão do tempo para chegar a todo o lado, sem carro e sempre com uma pontualidade britânica, daí vem o “Rolex”, da pontualidade e do gosto eterno por marcas, claro!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This