Rock In Rio Lisboa 2014 | Quinto Dia (1 Junho)

Rock In Rio Lisboa 2014 | Quinto Dia (1 Junho)

A noite do "love" e do triunfo do rei da pop

Depois da enchente do segundo dia, o último dia do festival Rock In Rio Lisboa 2014 finalizou em grande com 80 mil pessoas no recinto dos quais 76% foram propositadamente para ver Justin Timberlake (segundo dados da organização). Nem neste último as filas diminuíram, as selfies continuaram e a loucura em busca do lugar perfeito para estar mais próximo do artista do palco mundo não passou despercebida.

Ora então, neste último dia, coube aos quarteto Linda Martini abrir o cartaz do palco Vodafone. No trajecto até lá, vimos pessoas a rockar, outras a mexer a bunda a um ritmo alucinante e ainda outras a mergulhar para um colchão insuflável gigante. Finalmente chegámos ao destino e escutámos a voz do baterista Hélio Morais (desta feita não se apresentou de calções para desilusão das fãs) a dirigir-se aos presentes para que estes se chegassem mais para a grade. Desta feita, Morais, Guerreiro, Henriques e Geraldes percorreram os êxitos de “Casa Ocupada” e do mais recente “Turbo Lento”. Houve ainda tempo para o apelo de “porem bandas portuguesas a tocar a seguir às estrangeiras” – palavras de Hélio Morais – e ainda de pedir ao público para dançarem pois “isso é uma coisa bonita, nós curtimos mais e a festa fica mais bonita”. E assim o fizeram. Todos dançaram, curtiram, gritaram e saíram felizes para sempre.

Achámos por bem passear, de novo, pela Rock Street, que este ano se inspirou no ambiente musical do Reino Unido. Por ali passaram diversos grupos musicais, digamos, alternativos (menos conhecidos do grande público) a fazer a festa com os demais presentes. Parámos um pouco para contemplar o cenário, a diversão, o ruído, e ficámos com a sensação de que aquela rua é tão valiosa como todos os outros palcos do festival. Merece toda a nossa atenção. Passando à frente, no palco mundo tinha começado a interpretação de João Pedro Pais, o artista com mais êxitos saídos de programas de televisão. Com ele, esteve Jorge Palma a interpretar alguns temas tais como «Frágil» e «Encostas-te a Mim». Já no final, antes de interpretar «Nada de Nada», Zé Pedro dos Xutos & Pontapés subiu ao palco para dar um abraço a João Pedro Pais. Concerto simplista para uma noite que se prometia requintada.

O último concerto do festival, pertencente ao palco Vodafone, coube aos Bombay Bicycle Club que deram um concerto ainda mais bonito que o dos Wild Beasts no dia anterior. “É bom estar de volta, todos estes anos depois” comentou Jack Steadman, vocalista do grupo, referindo-se à estreia em palcos nacionais decorria o ano de 2011. Consigo trouxeram o mais recente disco de originais “So Long, See You Tomorrow”. Durante, sensivelmente, 50 minutos, ouviram-se temas como «Luna», «Always Like This», «Still» e «Carry Me». Somos da opinião de que foi um concerto fofinho para o bonito fim de tarde na Bela Vista.

Há dois anos, a britânica Jessie J subiu ao palco do festival Sudoeste TMN. Naquela altura tinha o cabelo mais comprido, mas a mesma ousadia de agora. Com uma roupa digna de uma colecção super preparada para o Verão e que deixou o público masculino em delírio, Jessie J foi a surpresa deste dia, ultrapassando as expectativas. Cada canção, quase um hit, entre os mais badalados «Sexy Lady», «Domino», «Who Are You», «Do It Like a Dude» e «Price Tag». Entre apertos de mão no público, Jessie J ainda teve tempo de esbanjar sensualidade por entre os seguranças e colocar uma multidão em delírio.

Passava pouco das 23:50 e os corações ansiosos dos fãs palpitavam pela presença de Justin Timberlake. Pela primeira vez em Portugal, este nome foi outra aposta mais do que ganha por parte da organização do festival. Justin, ou melhor, “Justino” em Português, deu um grande espectáculo. Por entre coreografias, orquestração da sua maravilhosa banda e bailarinos, Justin Timberlake comprovou que não é apenas um menino bonito da pop / R&B ou outro estilo que lhe queiram atribuir. «Pusher Love Girl» abre assim o conjunto de canções interpretadas pelo norte-americano que surgiu imponente por um ascensor e de cartola na cabeça. Depois de um olhar entre a admiração e a felicidade plena, Justin questiona: “vieram todos para a festa, não foi?” e, como é óbvio, estourou a gritaria e o delírio. Durante praticamente duas horas de espectáculo, sensualidade e coreografias que nos embalam nas histórias de cada canção, Justin consegue prender a atenção e obediência da audiência dando como recompensa todo o seu talento. Recuando um pouco na carreira de Justin, este interpretou «Rock Your Body», «Like I Love You» (o seu primeiro grande hit em nome próprio) e «My Love», que fez com que a multidão correspondesse de forma exímia a tudo o que lhes era pedido. Ouvem-se os acordes de «T.K.O», single retirado do último disco de originais – “The 20/20 Experience” – e, posteriormente, a canção que alguns dizem que é dedicada à sua ex-namorada Britney Spears «Cry Me a River». O irrequieto tema «Señorita» seguido de «Take Back The Night» demonstram o poderoso conjunto de metais que a banda apresenta e depressa surge a homenagem ao seu ídolo Michael Jackson com «Shake Your Body» e «Human Nature» – todas as semelhanças com o falecido rei da pop são pura coincidência. O magistral «What Goes Around… Comes Around» antecipa a loucura de «Suit & Tie» para terminar em grande estilo com «Sexy Back» (bem que o seu companheiro Timbaland podia aparecer em palco…) e a grandiosa «Mirrors». No fim, em modo de agradecimento, Justin Timberlake ajoelha-se perante as 80 mil pessoas, tirando o chapéu da cabeça e esboçando um sorriso sincero de contentamento. Fomos todos mais felizes para casa e com mais um desejo realizado.

Deixamos aqui um balanço final desta 6ª edição de Rock In Rio Lisboa 2014: tivemos pena de não sermos tatuados pelo famoso Ami James do programa televisivo “Miami Ink” que por lá andou a tatuar os pseudo-famosos; as famosas selfies têm o primeiro lugar no pódio na categoria de melhor entretenimento; as contratações para cabeças-de-cartaz resultaram muitíssimo bem naquele que é o único festival em Portugal que reúne toda a família; em 2015 o Rock In Rio terá lugar, pela primeira vez, na cidade de Las Vegas e nós queremos tanto lá estar (fica a dica à organização).

Em 2016 esperamos poder continuar a transmitir-vos tudo o que acontecerá na 7ª edição do certame.

Fotografia por Graziela Costa. Fotos aqui: 25 de Maio; 29 de Maio; 30 de Maio; 31 de Maio;1 de Junho.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This