Stellular

ROSIE ELINOR DOUGALL | “STELLULAR”

Já há algum tempo que reforço a teoria de que a Grã-Bretanha tem músicos extraordinários em todos os estilos de música, o caso de Rosie Elinor Dougall é só mais um desses exemplos, nesta caso numa vertente mais indie pop, como se pode ouvir em “Stellular”.

Rosie apresentou-se ao mundo da música com 17 anos, altura em que se juntou aos The Pipettes. Não era caso para menos, Rosie tem uma curiosidade, é daquelas pessoas que dá sentido à velha expressão “filho de peixe, sabe nadar”, ou não fosse ela filha de um cantor e tivesse um irmão guitarrista.

A genética e a influência caseira traçaram-lhe o destino. Rosie tinha de ser música e assim foi. Depois dos Pipettes e de colaborar com Mark Ronson, Rosie lançou-se a solo em 2010 com “Without Why” e mais tarde em 2013 lançou “Future Vanishes”.

Este último capítulo na discografia de Rosie é uma boa continuação do que ela já tinha demonstrado antes. Bem contrastado entre temas que puxam mais pela emoção e por nos deixarmos levar com tracks ritmicamente mais trabalhadas e que soltam um pézinho de dança, em mais um bom uso da combinação guitarra/piano, e onde a bateria pinta o resto do cenário.

“Stellular” mostra que este jovem prodígio da música britânica está no caminho certo para se afirmar como um dos nomes de referência da indie, mas não liguem ao que eu digo, e deixem-se levar pela música de Rosie.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This