RPG de Tino Navarro e David Rebordão

“RPG”

Parar no tempo?

Tino Navarro e David Rebordão apostaram numa versão portuguesa que faz lembrar “The Hunger Games” (“Os Jogos da Fome”), de Gary Ross. Contudo, para além de ser um filme com acção, “RPG” (“Real Playing Game”) impõe-nos outro tipo de reflexões: e se tivesse a consciência que lhe restava pouco tempo de vida? A juventude eterna seria uma opção a ponderar? O que fazer para a conseguir? Gostava de ser jovem para sempre?

Ao se deparar com estas questões, Steve Battier (Rutger Hauer) procura uma empresa biotecnológica – RPG – que oferece a um grupo muito restrito de clientes (que é como quem diz, a quem tenha muuuito dinheiro) a possibilidade de voltarem a ser jovens durante algum tempo. Como? Através de um jogo. Parece fácil, não é?! Mas não.

Chris Tashima, que já ganhou um Óscar como realizador da curta-metragem “Visas and Virtue”, é o gamekeeper do jogo e, como tal, é quem dita as regras: durante 10 horas, 10 homens e mulheres cujas vidas estão repletas de dinheiro, fama e poder vão incorporar corpos jovens e atraentes, escolhidos por si próprios, e vão aventurar-se num jogo em que alguém terá de morrer a cada hora, e no qual, no fim, apenas um sobreviverá. Assim já não parece tão simples… Mas há mais! Os jogadores apenas podem matar-se uns aos outros quando descobrirem quem são na realidade…

E no final?! Quem ganhou? Será que valeu a pena…?

Trata-se de uma produção cinematográfica cujo argumento é apelativo e, sobretudo, trata-se de um filme novo no panorama do cinema nacional, pelo facto de se tratar de ficção científica e por estar repleto de efeitos especiais, algo que não fora visto até então no cinema português. No entanto, e apesar desses serem aspectos a valorizar, a ideia segundo a qual o filme se rege podia ter sido melhor concretizada. Não se percebe, por exemplo, o porquê de algumas das personagens se envolverem fisicamente umas com as outras… Algo que, muitas vezes, é apontado como sendo pejorativo para o cinema português, e neste caso não foi excepção.

Acresce que, para além dos realizadores, o filme conta com outras participações portuguesas, tais como as das actrizes Soraia Chaves e Victória Guerra (no papel de motorista de Steve Battier), que dão um ar da sua graça, e entre os dez jovens presentes no jogo organizado pela RPG, podemos contar com os desempenhos de Débora Monteiro e Pedro Granger, cuja personagem é a mais cómica do filme!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This