RQ # 9 – Batman

Black and White Vol.1 & Top 10 Vilões.

Batman – Black and White Vol.1

Editado em 1996, nos meses de Junho a Setembro, “Black and White” acabou de comemorar o seu décimo aniversário. Um livro cujo ideia era a de convidar vários artistas de renome e criar mini-estórias a preto e branco sobre o homem morcego. Como resultado final temos vinte contos, de oito páginas cada, que nos transportam para o mundo de Batman, abordando a personagem sob diferentes perspectivas e a influência que este manifesta na sua cidade.

O livro começa muito bem com “Perpetual Mourning”, uma estória estilo CSI que tem início na morgue onde Batman, assumindo o papel de um médico legista, procura as respostas no corpo de uma mulher encontrada momentos antes em Gotham City sem roupa, sem vida e sem identidade… E durante 8 páginas assistimos a uma reflexão sobre a vida, a morte e a memória, que nunca esqueceremos.

Bruce Timm, mais conhecido pelas séries animadas de Batman, escreve e ilustra “Two of a kind”, a primeira estória do livro centrada, não no homem morcego, mas no seu vilão Two-Face. Aqui encontramo-lo recuperado, após uma cirurgia reconstrutiva da sua face desfigurada, a fim de terminar com a disfunção psicológica sobre a dualidade e poder recomeçar a sua vida livre do crime. Uma estória sobre os problemas e dilemas de uma personagem clássica deste universo e como esta interage com um mundo onde a existência de um guardião da noite é real. No mínimo muito interessante.

Muito curiosas são também as estórias que retratam Batman através dos olhos de outros como em “An innocent guy”, uma visão arrepiante sobre o bem e o mal, que nos leva a questionar se uma pessoa pode ser verdadeiramente boa sem nunca ter experimentado o mal. Perturbador e aliciante ao mesmo tempo. Ou em “Good Evening Midnight”, onde somos conduzidos por Alfred, o mordomo de Bruce Wayne, numa volta ao passado quando este (re)encontra e lê uma carta de Thomas Wayne. E durante uma estória seguimos as palavras ternas de um pai para um filho, onde “irá sempre haver uma luz para nos afastar da escuridão”.

Em “Dead Boys Eyes” a imagem do herói não nos é dada por outras personagens mas pela própria cidade em si, onde acompanhamos um Batman moribundo a deambular pelos esgotos de Gotham, enquanto ouve o seu chamamento.

O estilo que tornou o homem morcego famoso está também presente neste livro. Falo obviamente dos policiais. Afinal, Batman será sempre o eterno detective. E se em “Petty Crimes” observamos um assassino a ser perseguido por Batman, em “The Devil’s Children” observamos Batman a perseguir um assassino. O mesmo estilo de estória, dois pontos de vista opostos.

Mais conhecido pelo seu trabalho em “Akira”, um dos Mangas mais revolucionários da história, Katsuhiro Otomo apresenta-nos aqui também a sua visão do homem morcego. Quem está familiarizado com o seu trabalho irá encontrar determinados traços familiares, misturados agora com o universo desta personagem. Uma estória sobre personalidades e o modo como elas nos afectam a nós e aos outros.

Antes de terminar, não podia deixar de realçar três das minhas estórias preferidas. Falo de “The Devils Trumpet”, sobre a lenda do músico Coley Treadwell, que numa noite, enquanto tocava trompete foi desafiado pelo Diabo, que perdendo deixou o seu trompete nas mãos de Coley. Uma estória magnífica que mistura lendas da cultura jazz com a lenda do homem morcego, imperdível.

“Heroes” escrito por Archie Goodwin e vencedor de um préimo Eisner, é uma das mais belas estórias de “Black and White”, onde através dos olhos de uma criança observamos os heróis do nosso mundo, e como muitos se encontram mais perto do que alguma vez imaginávamos.

Por fim, Neil Gaiman assinala a única estória humorística desta compilação e uma das melhores também. “A Black and White World” mostra-nos um mundo onde Batman e Joker não passam de actores a representar personagens de banda desenhada. É contagiante o humor presente nos diálogos entre os dois. Conhecidos como os eternos rivais, aqui são retratados simplesmente como colegas de trabalho a discutir o estado do emprego e até a fazerem palavras cruzadas enquanto esperam pela próxima cena. Resumindo em uma palavra: hilariante.

Top 10 vilões do Batman

Uma vez que existem tantos é preciso ter em atenção várias referências para a elaboração de um Top 10. Temos por exemplo a continuidade, pois existem vilões que são presenças constantes em Gotham City e outros que raramente apareceram nos comics. Outro factor é o grau de ameaça que representam por exemplo, existem vilões que aparecendo poucas vezes marcaram mais a vida de Batman do que alguns dos “chamados clássicos” algum dia o conseguirão fazer.

A Catwoman foi uma das personagens que ficou de fora deste Top, simplesmente porque não a considero uma vilã. Selina Kyle é uma ladra e já combateu várias vezes contra o cavaleiro das trevas, mas no fundo não é o verdadeiro inimigo.

Para terminar, esta lista é baseada apenas nos meus conhecimentos de banda desenhada, tirei algumas imagens e informação do site da Wikipedia, nomeadamente o nome dos livros em que os personagens tiveram a sua primeira aparição.

10 – Riddler

O Riddler nunca matou ninguém, e normalmente só ameaça as vidas do Batman e Robin, porém é uma mente brilhante no que trata a resolver enigmas, e aparentando ser muitas vezes ridículo, acabou por descobrir a verdadeira identidade do homem morcego e isso não tem nada de rídiculo.

1º aparição – Detective Comics #140 (1948)
Livros aconselhados: Long Halloween, Dark Victory, Hush.

9 – Lady Shiva

Uma assassina letal, é a única vilã de Batman capaz de o igualar fisicamente, sendo considerada juntamente com ele um dos melhores lutadores de artes marciais do universo DC comics.
Na saga em que Bane fracturou a coluna a Batman, foi Shiva quem o ajudou a recuperar o seu estado físico e o seu espírito, apenas por respeito ao homem que ele uma vez tinha sido.

1º aparição – Richard Dragon, Kung Fu Fighter #5 (1975).
Livros aconselhados – A death in the fammily, Knightsend, Hush.

8 – Bane

É conhecido pelo vilão que colocou Batman numa cadeira de rodas, mas a verdade é que ele fez mais do que isso, além de descobrir a sua identidade, não só quebrou a sua coluna, como quebrou o seu espírito também, duas coisas nunca conseguidas antes.

1º aparição – Batman: Vengeance of Bane #1 (1993).
Livros Aconselhados – Knightfall.

7 – Poison Ivy

Dr. Pamela Lillian Isley apresenta uma certa tonalidade verde, usa o nome de uma planta que provoca alergia e comichão e continua a ser um dos “sex symbols” do universo Batman. Não se tem conhecimento total sobre a sua sexualidade, mas ela já afirmou que nenhum homem ou mulher conseguem resistir-lhe, e o próprio homem morcego já provou do seu veneno.

1º aparição – Batman #181 (1966).
Livros Aconselhados – Batman: Poison Ivy and Shadow of the Bat: Annual #3, Batman & Poison Ivy: Cast Shadows, The Long Halloween, Dark Victory, Hush.

6 – Azrael

Jean-Paul Valley pertence à “Ordem Sagrada de São Dumas” e foi escolhido desde criança para desempenhar o papel de “Azrael – Anjo da Morte”. Depois de Batman ter ficado paralisado por Bane, Gotham City precisava de um novo protector, Azrael foi o escolhido.
Com o tempo começou a considerar-se o verdadeiro Batman criando o caos, até ser destronado por Bruce Wayne quando este voltou totalmente recuperado.

1º aparição – Batman: Sword of Azrael #1 (1992)
Livros Aconselhados – Batman: Sword of Azrael #1, Azrael: Agent of the Bat #49, Knightfall.

5 – Scarecrow

Dr. Jonathan Crane é um psiquiatra que se tornou obcecado na temática do medo, utilizando inúmeras drogas de forma a despoletar os medos e fobias inerentes de cada um.
O Espantalho já conseguiu provar em algumas ocasiões que é um adversário a ter em conta. Na saga “Dark Victory” ele usa o seu famoso “gás do medo” em Batman e é aliciante ver o homem morcego completamente paranóico.

1º aparição – World´s Finest Comics #3 (1941).
Livros Aconselhados – Arkham Asylum, The Long Halloween, Dark Victory, Hush.

4 – Holiday

Holiday é o nome do assassino da saga “The Long Halloween”. A sua identidade é um mistério até ao final do livro, e daí a complicação em falar desta personagem, não querendo assim estragar o mistério Considero que merece um lugar alto no pódio, porque foi o único caso (que eu conheço) que não foi completamente resolvido e um vilão que consiga isso numa estória do melhor detective do mundo dos super heróis, merece muita consideração.

1º aparição – The Long Halloween (1996-1997).
Livros Aconselhados – The Long Halloween, Dark Victory.

3 – Ra’s al Ghul (The Demons Head)

Se Lady Shiva é o melhor adversário de Batman em termos físicos, Ra´s é-o em termos mentais. Tem grandes ideais e valores, mas os seus métodos são cruéis, acredita que os meios justificam os fins, e se para tornar o mundo um sítio melhor tiver de matar grande parte da população, então que seja. Normalmente os vilões de Batman ameaçam Gotham City, Ra´s al Ghul é dos únicos que muitas vezes ameaça o mundo.

1º aparição – Batman #232 (1971).
Livros Aconselhados – Birth of the demon, Son of the demon, Babel Tower, Hush.

2 – Two-Face

Harvey Dent, era juntamente com Bruce Wayne e Jim Gordon um dos poucos homens honestos em Gotham City. No dia em que “Boss” Maroni estava a ser acusado em tribunal, este atirou-lhe com ácido desfigurando-lhe metade da cara e despoletando uma dualidade na sua personalidade.
Batman sempre se culpabilizou pela perda de Dent para o outro lado e apesar de lutarem constantemente um contra o outro, podemos sempre notar que não é a típica relação herói-vilão.

1ºaparição – Detective Comics #66 (1942).
Livros Aconselhados – Batman: Year One, Arkham Asylum, The Dark Knight Returns, Black & White, The Long Halloween, Dark Victory.

1 – The Joker

Nenhum vilão teve tanto impacto na vida do homem morcego, como o Joker, foi ele o responsável pela morte do seu protegido Jason Todd (2º Robin), o único acto de qual Batman nunca recuperou e o atormenta ainda hoje. Também foi responsável por colocar Barbara Gordon (Batgirl) numa cadeira de rodas no livro “The Killing Joke”, uma brilhante estória de Alan Moore, em que este cria uma possível origem para este personagem.

Imaginem a insanidade mental encarnada em uma pessoa e têm o Joker, a personagem mais louca desta saga e mais divertida também, o seu olhar transpira loucura e frieza e o seu riso é agoniante e assustador.

1º aparição – Batman #1 (1940).
Livros Aconselhados – Arkham Asylum, The Dark Knight Returns, The Killing Joke, Black & White, The Long Halloween, The Dark Victory, Hush, A death in the fammily.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This