rdb_ruaaberta_header

Rua Aberta

O dia 14 de Maio vai ser um dia muito especial. A Sala da Porta Giratória do 3º piso da LxFactory vai acolher o primeiro evento totalmente produzido pela RDB e que vai juntar diferentes áreas de expressão artística, num fim de tarde/noite que promete ser memorável. A entrada é livre e a tua presença é obrigatória.

No próximo dia 14 de Maio, a RDB promove um evento multidisciplinar na LxFactory, englobado no programa oficial do Open Day do espaço da capital. Durante cerca de doze horas (a partir das 17 horas, sem intervalos), na Sala da Porta Giratória do terceiro piso da fábrica, passam dezenas de artistas, de diversas expressões artísticas. Todos com um objectivo. Homenagear a cultura urbana, a comunidade criativa e todos aqueles que se dedicam à exploração das diversas formas de comunicação.

Mas este evento só faz sentido se a comunidade RDB estiver presente. Lançamos aqui o desafio. Passem pela Lxfactory, subam as escadas e estejam no maior evento independente do ano. A entrada é gratuita.

Para a RDB, a organização e sucesso deste evento é um passo importante para alargar o nosso raio de acção. Apesar do sucesso online ser uma realidade, queremos contribuir de uma forma mais activa para a dinamização da cultura nacional.

O espaço

O espaço reservado para a RDB tem todas as condições para receber um grande evento. Dividido em diferentes salas, tem uma vista privilegiada para o Rio Tejo e Ponte 25 de Abril. Todas as divisões vão ser aproveitadas, até as menos convencionais.

Durante todo o evento decorrem diversas intervenções. As paredes vão ser totalmente customizadas pelos nossos artistas de serviço – ARM (Ram & Mar), Eko Five, Devir, Lázaro, Sara Franco e Pedro Cunha. As suas tintas, desenhos e criatividade vão dar cor e vida a paredes despidas, dando a todos aqueles que se interessem por street art a oportunidade de presenciarem, aprenderem e interagirem com os artistas. As tintas começam a sair das latas por volta das 17 horas e a intervenção apenas termina quando a última lata vazar ou não existir um pedaço de parede onde possam desenhar.

A Rua Aberta é um projecto interventivo (para nós é “O” projecto, se permitem), integrado na quarta edição do Open Day da LxFactory. O antigo complexo de fiação e tecidos, com quase 300 anos, tem vindo a tornar-se no cenário perfeito para investidores destemidos, ideias arrojadas e concretizações refrescantes. O que se aspirava, mas não existia, começa agora a ganhar forma, em Lisboa, à boa arte de Andy Warhol e da sua visionária Factory nova-iorquina dos anos 60.

E para isso, e mais qualquer coisa, o Open Day abre caminho a todos os que queiram apresentar, criar, realizar ou mostrar. Num só dia, com muitos atrás de preparação, as portas da imaginação individual, ou dos esforços colectivos, estão abertas a todos que queiram contemplar, intervir ou “só curtir”. Instalações, projecções, exposições, workshops, música, teatro, dança, performances, e tudo que acabe em Open, valem no dia (e noite) de 14 de Maio.

O evento

A Rua Aberta inicia-se com algumas das prestações criativas, previamente instaladas no espaço pelos nossos ilustres artífices convidados. Assim, recomenda-se uma visita às 14 intervenções realizadas em chuveiros. Isso, chuveiros! É ir para ver, ver para perceber.

Como não deveria deixar de ser, também outras das artes favoritas da Rua (Dança, Teatro, Vídeo, Som e Luzes) marcam presença, à pata de semear de um… porco! Os vegetarianos que se cuidem.

A música é uma constante e surge em diferentes formatos, marcando diversos estilos e vertentes.

Para o arranque do evento, uma nova editora de Setúbal aproveita a tarde para dar a conhecer os seus dois primeiros projectos. A Experimentáculo é uma associação cultural, que, nas palavras de um dos responsáveis, Pedro Soares, “pretende dinamizar a cultura da cidade de Setúbal, sobretudo na área da música e do cinema”. Com uma programação bastante regular, esta associação tem conseguido organizar diversos eventos naquela que é uma das mais populosas cidades de Portugal, mas que apresenta uma enorme lacuna cultural.

Na Rua Aberta começa uma nova aventura para a Experimentáculo: o lançamento de uma editora, ou melhor, de “uma plataforma de divulgação e apoio a novas bandas nacionais”, que procura “marcar a diferença”, privilegiando o conceito do disco enquanto “objecto, com uma componente readymade, artesanal e DIY. Acreditamos que continua a valer a pena comprar discos e não apenas ouvir a música”, disse-nos Pedro Soares.

E o que vamos ver e ouvir no dia 14 de Maio? “Para já vamos lançar o álbum de estreia de Hell Hound, o alter-ego do Diogo Augusto, o vocalista dos saudosos The Wage. Chama-se “21st Century Mississipi Blues” um disco de blues e folk feito por um bluesman que se enganou e nasceu na Marinha Grande em vez do Mississipi. Vamos também conhecer o EP dos Sympathy For Chaos, chamado “Rock n’ Core Extravaganza”. Os Sympathy for Chaos, como bons setubalenses que são, trazem influências hardcore, mas fazem-no de forma mais violenta, mais noise e mais rock’n’roll”.

Às 18:30 está prevista a actuação do Filho da Mãe, projecto a solo de Rui Carvalho, guitarrista dos If Lucy Fell, onde explora a guitarra portuguesa e clássica. “Achei que estava na altura de começar a pôr essas coisas cá fora”, disse-nos. Nós agradecemos. Ao ouvir os dois temas que disponibilizou no Myspace rapidamente nos apercebemos do seu virtuosismo. Admite ter sido “pressionado a avançar” por amigos mas prefere dar passos curtos, bem devagarinho. O concerto de dia 14 de Maio vai ser “quase um primeiro passo”. «Sobretudo», uma das músicas que está disponível no Myspace, foi editada na compilação de novos valores da FNAC mas já existem planos para gravar “aquilo que pode ser uma demo ou um EP (quem sabe)”.

Ao final da tarde/início de noite, a Rua Aberta recebe a fusão de Electrónica, Dub e Reggae dos 3Wyzemen. Yari (finlandês radicado em Lisboa), Budha e Zezé são os responsáveis por este projecto híbrido que alia um Dj Set com um Live Act misturando tudo com energia e improvisação. Não existindo uma linha definida, vamos de certeza ouvir clássicos do Reggae com diferentes roupagens que passam do digidub, dancehall, dubstep e drum’n’bass.

A fechar as actuações da noite no palco da Rua Aberta (às 22 horas), recebemos a “terapia sonora” das dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS, banda que deu os primeiros passos em 2007 juntando músicos de diferentes projectos e que em três anos conseguiu percorrer mais de uma dezena de países actuando para todo o tipo de plateias. “O nome, assim como a banda, foi um acidente… procurávamos um símbolo e acabámos por optar pela figura musical de duas colcheias invertidas. Quando foi necessário transformar o símbolo em palavras ficou, por engano, dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS”. O que não é nenhum erro nem engano é o som que praticam.  “O som que produzimos é instrumental e improvável. Vive essencialmente do improviso e tem por base estruturas que conjugam elementos de diversos estilos como a liberdade do free jazz, a atitude do punk, o poder do noise ou a urgência do rock”. Convencidos? Passem pelo Myspace da banda para tomarem o gosto. Provavelmente ao vivo será completamente diferente.

A partir das 23h a pista está oficialmente aberta. Até às 6 da manhã passam pela cabine DJs que acumulam funções editoriais na RDB ou que foram alvo de artigo no site; o alinhamento será o seguinte: ZODA/CADE, STVS., Mário João, José Belo, Photonz, Ka§par e John Holmes.

ZODA/CADE é uma dupla formada por Pedro Paulos e Francisco Abrunhosa – ambos colaboradores da RDB que aqui se dedicam à música de dança sem barreiras temporais, mas escavando alguns clássicos e re-editando-os para o presente. Rui Esteves na escrita, mas na cabine STVS. sem vogais mas sempre íntegro, com base sólida em Almada e presença cada vez mais pontual em Lisboa, centra-se na House com tónica no Jack, dançável e inesperado. Mário João, é um dos editores da RDB e dedica-se aos discos desde… sempre; essa presença constante é inversa pela diversidade dos temas que escolhe num set. Nunca existem barreiras ou compromissos. José Belo é um dos três Bloop, editora responsável por algumas das festas mais inesperadas em autocarros, barcos, de noite ou de dia, nunca se sabe o que esperar a não ser qualidade e coerência. Photonz também não precisam de grandes apresentações. O trabalho da dupla de produtores/DJs tem sido reconhecido internacionalmente, aos 12″ já se perderam a conta e os seus sets desbastam qualquer pista. Ka§par é um DJ de convicções fortes e quem o lê – na RDB ou no clube – sabe disso; é também um afincado estudioso, especializado no impacto no som nos corpos na pista. John Holmes define-se como “a batida perfeita”, Shaken not Stirred, entre a House e o Disco, mas géneros não convém especificar muito: a música é um todo. Longe de ser só uma passagem para a outra margem ou uma viagem no tempo.

É Aberta, é nacional, se não for boa não cresce, se prometer pode cumprir. É a vontade de idiotas: é a nossa vontade. A Rua é de todos!

RUA ABERTA @ Lx Factory
14 de Maio | OpenDay
17h/06h

O Espaço no 3º Piso da LxFactory, ao fundo do corredor, recebe um evento dedicado às diferentes vertentes de exploração artística. Intervenções ao vivo em todo o espaço, Instalações, Performances, Dança, Música, Live Acts, Djs e muitas surpresas. Um dia único para festejar, beber um copo, e participar activamente no processo criativo, à luz do Tejo…

Promovido por RDB Cultural Collective: Um Evento feito por Muitos, uma Rua Aberta a Todos!

UM BRINDE AOS PIONEIROS (Cocktail e Tapas)
17:00/19:00

Uma surpresa para quem chega cedo e fica até tarde. Oportunidade para conhecer a equipa da Rua de Baixo, o seu trajecto, e os intervenientes Online.

ARTE AO VIVO (Ataque a Paredes, Conversas Pó Tecto e Olhos no Chão)
17:00/00:00

Graffiti, Stencil, Pintura, Instalação, Espaço Cénico.
Artistas: ARM (Ram & Mar) – Eko Five – Devir – Lázaro – Sara Franco – Pedro Cunha – Inês Murta – Vânia Gala

LAVA-ME AS COSTAS (Intervenções em Duches)
17:00/06:00

Intervenções artísticas em espaços pouco prováveis.
Convidados: António Neu – Joana Florêncio – Filipa Campos – Yukie Hori – Nadine Rodrigues & José Smith – Rita Cascais – Sofia Xavier – Sandra Guerreiro & Samir – Rui de Freitas – Marta Gonzalez – Bolastik da Silva – Vasco Mourato – Povo da Floresta – Scalp & Friends (Cut Your Hair!)

RDB HÁ PORCO (Vale quase Tudo)
17:00/06:00

Uma sala dedicada à contemplação interactiva, numa zona de Chillout partilhada com um Porco.
Performances:  Hipócritas (Teatro Interventivo) – Valise d’Images (Lights, Sound & Video Action)

CONCERTOS (Ouvir e Dançar por Mais)
17:00/23:30

17:00/18:00
Experimentáculo Showcase
As primeiras apostas desta nova editora para conhecer em exclusivo.
http://www.myspace.com/ahoundfromhell
http://www.myspace.com/mothershippt

19:00/20:00
Filho da Mãe
Projecto a solo de Rui Carvalho, guitarrista dos If Lucy Fell.
http://www.myspace.com/filhodamae

21:00/22:00
3WyseMen
Projecto de Dub e Reggae de Yari, Zezé e Buda. Para começar a noite com boas vibrações.
http://www.myspace.com/3wyzemen

22:30/23:30
dUASsEMIcOLCHEIASiNVERTIDAS
Colectivo de terapeutas do ruído que tem viajado pelo mundo a libertar tensões em formato Dub/Punk/Experimental.
http://www.myspace.com/duassemicolcheiasinvertidas

PISTA ABERTA (DJs in Action)
00:00/06:00

Actuação de alguns dos nomes mais importantes do panorama da música electrónica actual:

ZODA/CADE
Mário João (RDB/Rooster)
STVS (RDB)
John Holmes (RDB)
Photonz (Rooster)
Ka§par (RDB/Groovement)
José Belo (Bloop)
… e visitas (in)esperadas!

(This is not) The End…
A RUA É DE TODOS!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This