Ryoji Ikeda

Um dos músicos mais prestigiados na música electrónica, Ryoji Ikeda, visita o nosso país a 16 de Outubro, na fundação Serralves, no Porto.

Um dos músicos mais prestigiados na música electrónica, Ryoji Ikeda, visita o nosso país a 16 de Outubro, na fundação Serralves, no Porto.

Nascido no Japão em 1966, Ryoji Ikeda, é um dos artistas mais influentes no que respeita à arte de fazer música electrónica. Desde 1990 que o mundo tem a oportunidade de escutar o som feito por Ryoji. Começando por trabalhar em clubes techno nocturnos, como dj, Ikeda sempre demonstrou grande interesse em se envolver no processo de produção de alguma séries televisivas e bandas sonoras.

Assim, em 1995 surge uma oportunidade única quando se transforma no operador de som e compositor de um grupo artístico japonês que se destacava na área da multimédia, os Dumb Type. É através deste colectivo que começa a ganhar uma considerável notoriedade, viajando em digressão por todo o Japão, Nova Zelândia, Brasil e Europa. Já com um grande reconhecimento no plano musical, Ikeda vê como oportunidade única colaborar com Christophe Charles, na instalação Sonora do metro de Tóquio.

O seu trabalho encontra-se em várias compilações ,e a partir do momento que forma a sua própria editora, a CCI, vê a possibilidade de participar com outros artistas como o belga Stefaan Decostere.

Com a promoção do seu primeiro álbum Touch (1997), é intitulado como um compositor musical dono de uma invulgar sonoridade recheada de sons futuristas.
Neste mesmo ano Ikeda realiza o seu primeiro concerto a solo, em Cologne, na Alemanha, onde participam outros nomes como David Toop, David Moss e Bernd Friedman.
Da autoria de Ikeda constam ainda alguns trabalhos, onde se destaca o cd duplo intitulado Matrix, que conclui a ambição da trilogia começada com os primeiros dois álbuns que realiza.
Para termos uma ideia do que esperar deste músico experimental, resta salientar que os seus cd´s se encontram repletos de sonoridades diferentes, mas que ao mesmo tempo nos são bastante familiares. O bater do coração ou o código morse são alguns dos sons que, misturados com uma batida electrónica, conseguem servir de pano de fundo para alguns dos seus trabalhos.
Ryoji Ikeda vai estar em Portugal na fundação serralves, no dia 16 de Outubro, onde promete surpreender pela positiva o público português.

Este é um artista considerado pela crítica como um dos melhores vultos no que respeita à música experimental, mas também um dos maiores contribuidores para a inovação da música electrónica. A provar estas características, encontra-se o prémio Golden Nica Prix ars Electronica, que lhe foi atribuído no ano de 2001, na categoria de Musica Digital.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This