tenis-vegan-rutz-como-sao-feitos-sapatos-vegan

Sapatos veganos

Como são feitos?

O termo “vegan” foi, em tempos, associado a uma dieta alimentar, mas o conceito evoluiu e tornou-se mais abrangente; atualmente vegan está associado a um estilo de vida, o veganismo.

O veganismo rejeita a exploração, a crueldade e os maus-tratos a animais. A sua prática implica uma visão no futuro para que, daqui a uns anos, todos os seres vivos estejam livros destes comportamentos.

O pensamento de que a exploração de animais não deve estar associado ao comer, vestir, trabalhar, entre outros, levou à produção de alguns produtos do dia-a-dia, como é o caso dos sapatos vegan.

Como são feitos os sapatos vegan?

O processo de produção do calçado ecológico é idêntico ao processo do calçado normal. Ou seja, a matéria-prima chega aos locais de fabrico, é cortada de acordo com o molde do sapato, existe uma inspeção rigorosa e, finalmente, o sapato é costurado.

Durante toda a produção, a questão ecológica é tida em consideração e, por exemplo, a cola não é nociva. Mas muitos outros produtos foram substituídos para que estes sapatos, realmente, estejam de acordo com a filosofia do veganismo.

Quase todo o processo é manual e, claro, já existe uma fábrica portuguesa que produz este tipo de calçado, sendo que se situa na Benedita. Nesta fábrica são produzidos 200 pares de sapatos diariamente, trabalho de 40 funcionários.

Ao contrário do que muitos podem pensar, e como irá entender mais abaixo, os sapatos não são os únicos produtos associados ao veganismo atualmente. Um exemplo é uma marca 100% portuguesa, Rutz, que vende calçado vegan, como ténis vegan, que se expandiu, mas que começou a vender calçado de cortiça.

Quais os produtos usados na produção deste calçado?

Na fábrica da Benedita, além da cola que é a melhor escolha ecológica disponível no mercado, também é usada borracha natural, cortiça, linho e algodão orgânico. A borracha, por exemplo, é reaproveitada, seguindo uma das premissas essenciais do movimento ecológico.

Mas existem muitos produtos que se podem associar a esta produção, nomeadamente as fibras sintéticas, como acrílico, microfibra, cetim, organza, poliéster, nylon, veludo e couro sintético, e muito mais.

Quem regula ou certifica estes produtos?

A certificação destes produtos está encarregue a entidades terceiras, independentes, e que têm como objetivo a promoção do movimento vegan, dos direitos dos animais ou outras que estejam em sintonia com este propósito.

Um exemplo de certificado de aprovação que pode procurar é o PETA Approved, da PETA. Esta é uma enorme organização, a nível mundial, que conta com mais de 5 milhões de membros e apoiantes.

O certificado desta entidade é excelente para consumidores e produtores; enquanto os consumidores sabem que a certificação vem por parte de uma entidade que aprova muitas outras lojas ou produtos, os produtores conseguem mais visibilidade. 

3 mitos associados aos sapatos vegan

O calçado vegan tem uma qualidade mais fraca

Os sapatos vegan, apesar de serem excelentes para o meio ambiente, deixam alguns portugueses desconfiados quanto à qualidade. Se este é o seu caso, deixe que lhe digamos que não irá sentir diferença na qualidade ou durabilidade dos seus sapatos.

Aliás, além de sapatos confortáveis, terá algumas opções impermeáveis, respiráveis e muito leves. O que queremos dizer com isto? Nada vai mudar no seu calçado; ou melhor, vai, irá ajudar os animais e o meio ambiente.

Existe pouca variedade de produtos

A área do calçado vegan está em crescimento e existem cada vez mais opções que se adequam a diferentes gostos, tanto visualmente como a nível prático. Aliás, com uma pesquisa rápida irá encontrar tanto sapatos como ténis vegan.

Além da variedade a nível de calçado, já pode encontrar outros produtos de outras áreas, como produtos para a cozinha. Mochilas e bolsas também são opções atualmente.

São poucas as pessoas que aderem a este calçado

Aqui está outro mito. Sim, a verdade é que ainda existe um longo caminho para percorrer em Portugal, mas não são poucas as pessoas que aderem a estes calçados. Aliás, uma marca de sapatos vegan aumentou as suas vendas, sendo que em 2012 vendeu 3.500 pares, cerca de 250 mil euros.

Se quiser ir um pouco mais longe, o número de empresas que oferecem calçado ecológico – e não só calçado, outros produtos também tem crescido – como o caso do crescimento na hotelaria e restauração, como o caso do restaurante asiático em Lisboa, Boa-Bao, que oferece além da gastronomia asiática, opções vegans no seu menu. Uma adaptação à realidade cada vez mais expressiva na nossa sociedade.

Para escolher a melhor opção do mercado, confirme se a empresa tem produtos certificados. O processo de produção de calçado vegan é idêntico. O conforto e qualidade que o consumidor sente é o mesmo. Portanto porque não optar por opções mais amigas dos animais e do ambiente?



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This