rdb_ShunLi_header

“Shun Li e o Poeta”

Triste e amargo mas acima de tudo um deleite visual.

Escrava do seu maior desejo, Shun Li trabalha arduamente numa fábrica de confecção de tecidos acreditando que o esforço lhe trará o seu filho para junto de si. É em Chioggia, para onde é levada a trabalhar como empregada de balcão que conhece Bepi, um pescador eslavo apelidado de “o poeta”.

Saliento o carácter visual do filme. Não só a fotografia de Luca Bigazzi mas todo o processo de concepção de planos e a própria répèrage, reflectindo a intimidade do realizador com Chioggia. As imagens estão carregadas de simbolismos: o mar, a lagoa ou a ambiência onírica que envolve a personagem Lian. Personagem esta que acaba por ser um ponto bem interessante na interpretação de Shun Li e o Poeta e principalmente da sua protagonista. A veracidade da personagem mistério pode implodir em diferentes pontos de vista. A presença de Lian existe apenas no foro íntimo de Shun Li: quando a protagonista é levada para Chioggia a personagem espera-a no seu novo quarto, sempre com poucas palavras e envolta numa aura enigmática. A verdade é que Lian aparece sempre nos momentos em que Shun Li mais precisa de suporte. A sua fuga ou ausência da narrativa é justificada pelo facto de Shun Li ter conseguido o seu objectivo: o reencontro com o seu menino. Lian deixa então de ser necessária.

Confrontado com a opinião do público, o realizador assumiu ter já ouvido interpretações bem mais interessantes do que a sua; salientou a importância de existir um espaço para a livre interpretação do espectador, nos diferentes géneros de expressão artística e indicou a personagem Lian como esse espaço dentro da obra.

Shun Li e Bepi tanto têm de belo como de triste. Ambos estrangeiros num país que os acolhe acabam por sofrer pelo preconceito do povo de Chioggia. A bondade de Shun Li e as suas acções puras acabam por ser o grande contraste com este preconceito que nos faz questionar o alcance do desdém da sociedade.

Esta que foi a estreia de Andrea no Cinema de ficção demonstra uma enorme maturidade sobre o tema tratado. O seu percurso pelo cinema documental tem sem dúvida influência na beleza, tristeza e realidade que Shun Li e o Poeta nos transmite. Actores, cenários e acções tão bem trabalhadas como exploradas são os principais pilares dessa aproximação à realidade.

De: Andrea Segre
Com: Zhao Tao, Rade Sherbedgia, Marco Paolini, Roberto Citran, Giuseppe Battiston
Outros dados: Itália, 2011, Cores, 102 min



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This