rdb_sonar2010_header

Sónar

Barcelona & La Coruña, a estrear a Galiza.

O Festival Internacional de Música Avançada e Arte Multimédia apresenta este ano, de 17 a 19 de Junho na EXPOCoruña, a versão inédita do formato já clássico: Sónar.

O que fazer depois de se inventar a pólvora, assistir à explosão, atingir estatutos de popularidade e internacionalização, e somar-lhe sucessos e vitórias, ano após ano?

Perguntem ao Mourinho!

… Ou escrevam à organização do festival de nuestros hermanos, que anda desde 1994 a dar cartas à música e às artes do dia, ora por Barcelona ora, desde 2002, a saltar fronteiras e a entregar sons e engenhos, novos e velhos, por Londres, Nova Iorque, São Paulo, Tóquio, Buenos Aires, e outros que tal.

O Sónar nomeia-se um festival de música avançada e artes multimédia, sempre dançado durante três dias do mês de Julho, em Barcelona, entre os eventos do Sónar Dia e as “travessuras” do Sónar Noite.

Acabou por crescer e ir bem mais além. Depois de ter acarretado milhares nas edições anteriores, foi conquistando mais público com mostras de competência provadas e comprovadas por programações de luxo, onde já passaram alguns dos melhores nomes dos panoramas musical e artístico, actualizados às datas dos eventos.

Grace Jones, Beastie Boys, The Chemical Brothers, Ryuichi Sakamoto, Björk, Arthur Baker, Arto Lindsay, Aphex Twin, Gilles Peterson, Stereo MC’s, Kraftwerk, Daft Punk, Herbert, Coldcut, Kruder & Dorfmeister ou Mulatu Astatkét… são um cheirinho atómico da imensidão dos que já lá antes fizeram “das suas”.

Músicas e exibições, filmes na tela, filmes fora da tela, Barcelona tem sido até hoje palco exclusivo das ansiadas edições do festival. Desejadas mas a rebentar, vão este ano poder contar com o apoio da versão irmã: temos Sónar na Galiza.

Os ávidos por novas e menos novas experiências podem agora mudar de cenário, e desfrutar de um novo ponto de encontro. A Corunha vai fazer parelha com o Sónar de sempre, e servir de plataforma urbana e cosmopolita aos que queiram aproveitar os caminhos de Santiago, descobrir a pólvora, ou só mudar de ares ibéricos.

Na ExpoCoruña vai passar-se (de) tudo, não há que mudar do Dia para a Noite. E começa logo na Quinta-feira, 17 de Junho, por oferecer o SonarVillage, onde actuarão ao todo cerca de 30 bandas, nacionais e estrangeiras. No dia seguinte junta-se-lhe o SonarComplex com propostas mais direccionadas à “experimentação do experimental”, e o SonarClub, pista para os dançantes, onde se sugerem já os maiores aglomerados de público imparável, no último dia (e muita noite) do festival: Sábado, 19 de Junho.

A edição extraordinária do Sónar Galicia, meio clone do line up de Barcelona, mas toda ela original por outros lados, vai ainda contar com uma iniciativa expositiva que mostrará trabalhos de artistas, galegos e não só, arte estática ou em movimento, ensaios acústicos e criações multimédia. Ao conceito chamaram SonarMàtica, e estará disponível para contemplação e intervenção durante os três dias do festival.

Não se ficam por aqui. Junta-se a tudo o (que não é) demais o SonarCinema. Sexta e Sábado, o auditório destacado para projectar obras audiovisuais que propaguem imagem e música avançada vai mostrar “Finisterra”, de Sergio Caballero, “Amplified Gesture”, documentário produzido por David Sylvian, “Synth Britannia”, da BBC sobre as origens do pop nos finais dos anos 70, e “Sónar Around The World”, um relato documental desde o interior do festival, produzido pela televisão da Catalunha.

A 5 e 6 de Março deste ano, o Sónar já tinha promovido em Londres uma degustação de celebridades, e do que é capaz. Durante “A Taste of Sónar”, a sala Roundhouse, em Camden, valeu-se do espírito que já influencia muitas férias e calendários culturais em todo o mundo, e de nomes como DOOM, Laurent Garnier, Four Tet, Matthew Herbert, Ryoichi Kurokawa, John Talabot ou Hudson Mohawke para insinuar a “intensa experiência do festival, em tamanho reduzido”.

A rematar os (poucos) argumentos, se ainda houver desconfiados: vão “mas é” celebrar a Ano Santo, Xacobeo! Porque em 2010 se comemora o segundo Ano Santo do Século, celebrado quando o 25 de Julho, dia do Apóstolo Santiago, calha a um Domingo. É um louvor aos Caminhos de Santiago, ao seu espírito e valores, e uma homenagem ao seu protagonista: O Peregrino. Pois é; “havemos de ir a Santiago”. Ou só lá voltamos em 2021, no próximo Xacobeo.

E, se tiverem de apreensivos o mesmo que de preguiçosos, podem já “morder” o que vos espera, no alinhamento dose-dupla-digna (triplo ‘D’=dose tripla) de um novo ponto de vista, e de um posto de escuta diferente: o Sónar Galicia.

Ora, se “não”, vejamos (e escutemos): LCD Soundsystem, Air, Hot Chip, 2manydjs, Laurent Garnier, Sasha, Booka Shade, Matthew Herbert’s One Club, Fuck Buttons, Flying Lotus, Fat Fish, Uffie, Broadcast, anbb / Alva Noto + Blixa Bargeld, Carte Blanche (DJ Mehdi & Riton), Delorean, The Slew featuring, Kid Koala, Octa Push, Cora Novoa, Grobas , Viktor Flores, O.M.E.GA, John Talabot, Labrador + P.MA, Ino, Eme DJ,… (os dedos não podem contar todos…).



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This