1

Sonic Forces | Análise

Visualmente impressionante mas longe de ser perfeito

Depois do sucesso de Sonic Mania, que de forma exímia convidou os jogadores de volta para o formato bidimensional das aventuras do ouriço azul, seria de esperar que Sonic Forces correspondesse de igual forma às expectativas no seu formato mais actual em 3D. Infelizmente, ainda que visualmente impressionante, na nossa vertiginosa corrida em direcção à meta vamos deparar-nos com obstáculos difíceis de contornar que só ajudam a que esta nova aventura de Sonic seja difícil de recomendar.

A história começa com Sonic a entrar em cena pronto a ajudar os seus amigos e para mais estragar os planos de Eggman (ou Dr. Robotnik, se preferirem). Enfim, mais um dia na vida de Sonic ou, pelo menos, assim parecia. Acontece que o malvado vilão não estava sozinho. As coisas complicam-se quando Sonic descobre que Robotnik uniu esforços com Shadow, Metal Sonic, Chaos e Zavok. Como se isso não bastasse, a seu lado surge também um novo e misteriosamente poderoso inimigo, de nome Infinite, que facilmente leva a melhor sobre o nosso herói. Seis meses depois, Eggman já conquistou 99% do planeta… Mas Sonic e os seus amigos não baixam os braços e formam um grupo de resistência contra as forças de Robotnik. A nossa aventura começa com a chegada de um novo recruta, uma personagem criada por nós e a qual poderemos personalizar a nosso bel-prazer.

Apesar da premissa, a história não é de todo o ponto alto de Sonic Forces. Não vos vou estragar nada, mas apesar de começar muito bem e de Infinite ser, de facto, um vilão interessante, convenhamos que não será pelo enredo que os fãs vão querer jogar os 30 níveis de Sonic Forces. Em termos de jogabilidade porém, o potencial é outro. Ao longo da nossa aventura vamos estar sempre a alternar entre o nosso recruta e as versões clássica e actual de Sonic. Ambas as versões do simpático ouriço azul fazem-se acompanhar pelas suas habilidades específicas, com a versão clássica a poder contar com o Drop Dash introduzido em Sonic Mania e a versão actual com um salto duplo. O nosso avatar, porém, é quem mais revoluciona o campo de batalha ao poder contar com um vasto arsenal de armas com o qual poderá fazer frente às forças de Dr. Robotnik.

Ora a solo, ou lado a lado com Sonic, a nossa personagem agita um pouco as coisas. Isto não só com o imenso leque de roupas e acessórios que vamos desbloqueando, e com os quais a podemos personalizar, mas sobretudo com o arsenal de armas que nos vai ficando disponível. Desde escudos protectores, a grampos, confesso que não fiquei com vontade de experimentar todas as armas, mas não foi difícil encontrar as que melhor se enquadravam no meu estilo de jogo. Onde mais gostei de passar o meu tempo, porém, foi a percorrer os níveis do Sonic Clássico. Os três protagonistas conferem, cada um, uma diferente forma de jogar Sonic Forces, só que a excitação de percorrer com eles os vários cenários do jogo a altas velocidades é completamente deturpada quando a acção de plataformas entra em conflito com a concepção dos níveis que não sugere lá muito bem o timing certo para evitar os seus vários obstáculos. Ainda que, pontualmente, tenhamos um vislumbre do que Sonic Forces realmente podia ter sido, o facto é que na maior parte das vezes convida à frustração e a várias sessões de tentativa e erro.

Durante as suas cerca de seis horas, se algo ajudou a que Sonic Forces me oferecesse alguns momentos memoráveis foi sem dúvida o seu grafismo exemplar. Ainda que frustrantes de percorrer, os cenários transpiram vida de tão vibrantes que são, seja a percorrer as Mystic Ruins ou a Green Hill Zone. Os fãs da versão Clássica de Sonic, claro que também não se vão sentir defraudados com o seu aspecto tridimensional que lhe assenta que nem uma luva neste jogo e aliás arrisco a dizer o mesmo sobre todas as personagens. Os fãs do universo Sonic vão ainda adorar reencontrar velhos amigos, uma vez que fan-service está por toda a parte. Com tudo isto, é realmente uma pena que, além de oferecer uma história pouco envolvente, Sonic Forces não consiga vingar no seu ponto principal: a jogabilidade.

Se és fã do ouriço azul e procuras uma aventura à tua altura, por enquanto Sonic Mania continua a ser uma aposta mais do que segura e o verdadeiro passo em frente na série.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This