Starlux

Foi finalmente editado o primeiro registo de originais dos Starlux. “I’ve been there” é o nome do EP que dá a conhecer a sonoridade da banda e serve também de apresentação a um ano bastante importante de edições da independente Bor Land.

No longínquo ano de 1995, quatro músicos que partilhavam os mesmos gostos e a mesma vontade de experimentar, reuniam-se numa garagem em Oeiras e davam início aos Starlux. As noites de ensaio transformaram-se em encontros de alguns dos mais prolíficos músicos do movimento alternativo nacional e foram baptizadas de sessões azuis, de onde saíram as músicas que foram, em 1998, gravadas nos antigos estúdios da Valentim de Carvalho.

A banda voltou a juntar-se mais tarde, com a companhia de outros músicos convidados, para gravar mais dois temas que fazem parte do registo de estreia que agora é disponibilizado pela Bor Land.

“I’ve been there” funciona também como um manifesto e um registo “histórico”. A edição destas seis faixas (mais um vídeo) é o prémio para aqueles que dinamizaram a música alternativa em Portugal durante a década de 90 e que continuam a remar contra a maré de uma indústria que tem crescido a passo de caracol.

João Leopoldo e João Valente são os dois principais obreiros deste projecto, ao qual se juntaram Rafael Toral e Marta Navarro. Nas gravações deste EP, participaram ainda Nelson Oliveira (dos Gasoleen), Rui Cidra, Carlos Bandeiras, Eduardo Vinhas (dos Jaguar) e Rodolfo Matos (dos Norton).

Ninguém vai fazer novas descobertas e encontrar grandes rupturas neste registo. São faixas onde predomina a harmonia melódica, acompanhada por vozes gentis e meigas, que nos transportam para ambientes de reflexão e relaxamento.

No meio desta harmonia, houve ainda tempo para fazer uma alegre homenagem ao amigo canino “Skud” e introduzir uma faixa multimédia com o premiado vídeo de “Low Radiation” da responsabilidade de Rafael Lopes.

Um registo para ouvir atentamente, altamente recomendado pela rua de baixo.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This