Sudoeste TMN 06

10 anos a festejar. De 3 a 6 de Agosto na Zambujeira do Mar.

Cerca de 1 milhão de pessoas passaram pelo festival da Zambujeira do Mar durante as 9 primeiras edições do Sudoeste. Este ano, o “maior” festival nacional comemora 10 anos de existência e apresenta um cartaz diversificado e recheado de motivos de interesse. A festa decorre no local do costume, na Herdade da Casa Branca, bem perto da Zambujeira do Mar, no fim-de-semana de 3 a 6 de Agosto.

O Festival Sudoeste sempre foi um evento especial na agenda festivaleira nacional. Para além de todas as bandas que passam pelos diversos palcos do recinto, o Sudoeste é um pretexto para milhares de pessoas desfrutarem de uma das zonas mais privilegiadas de Portugal. As praias e a beleza natural da Costa Vicentina são um “bónus” para todos aqueles que optam por ali passar.

Para além da localização e da música, o “espírito” festivo do Sudoeste sempre foi uma das principais características do evento. Longe da cidade, no pico do Verão, as noites do festival são sempre especiais e diferentes, com um ambiente muito próprio. Foi assim durante 9 anos. De certeza que será assim na 10ª edição.

Então e o cartaz? Afinal, um festival tem que ter música!

Seguindo a mesma “fórmula” do ano passado, as actuações vão estar dispersas por três palcos: Palco TMN (o principal e mais “comercial”), Palco Planeta Sudoeste (o mais “alternativo”, logo o mais interessante) e Palco Positive Vibes (reggae non-stop).

PALCO TMN

Daft Punk…

Na programação do Palco TMN, sem dúvida que o nome dos Daft Punk se evidencia dos demais. A actuação do projecto francês está agendada para Sábado, dia 5 de Agosto, e marcará a sua estreia em território nacional, nove anos depois de terem editado “Homework”, um dos discos obrigatórios da década de 90 e um marco na proliferação da música electrónica no virar de século.

Criado por dois artistas parisienses, Guy-Manuel de Homem-Christo e Thomas Bangalter, o projecto Daft Punk nasceu após uma crítica da revista inglesa Melody Maker ter classificado o primeiro trabalho do duo (ainda sob o nome de “Darling”), como sendo produzido “by a bunch of daft punk” (uns punks idiotas). O duo aproveitou a “dica” e tornou-se num dos projectos mais emblemáticos da década de 90.

A estreia em disco aconteceu em 1993 com “The New Wave”, uma demo editada pela Soma Records. Em 1997, surge no mercado “Homework”, uma síntese “inovadora” de techno, house, acid house e electro, tendo-se tornado num dos discos mais importantes da música contemporânea do final do século XX. «Around the World», o primeiro single retirado, tornou-se num dos maiores sucessos comerciais da época, sendo presença obrigatória nas playlists das rádios e das televisões, em especial da MTV.

Após um interregno “comercial” de três anos, nos quais o projecto actuou ao vivo e editou um dos primeiros DVD’s na história da indústria musical (“D.A.F.T. A Story About Dogs, Androids, Firemen and Tomatoes”, uma colecção de vídeos realizados por Spike Jonze, Roman Coppola, Michel Gondry e Seb Janiak), o duo regressou aos tops com o single «One More Time», que rapidamente se tornou num êxito global e que antecedeu o lançamento de “Discovery”, em Março de 2001.

Com “Discovery” surgiu também todo um universo “inter-galáctico”, criado pelo japonês Leiji Matsumoto, um dos mestres da “Manga” (responsável também pela “aventura” cinematográfica “Interstalla 5555”, de 2003). Todos os vídeos retirados do álbum recriavam um ambiente espacial futurista, um “universo” que ficou para sempre ligado ao duo que optou desde então por surgir em público com capacetes e luvas, numa mistura entre robots e personagens de ficção científica.

O último trabalho de originais dos Daft Punk foi editado no decorrer de 2005 e marca um “regresso ao passado”. “Human After All” prossegue o conceptualismo do disco anterior mas musicalmente regressa a “Homework”, através de uma diversidade de géneros e sonoridades que abrangem grande parte das vertentes da música electrónica.

Já no decorrer deste ano foi editada uma compilação que reúne todos os êxitos do projecto. “Musique, Vol1: 1993-2005” é o disco que, provavelmente, servirá de mote para a actuação dos Daft Punk no Festival Sudoeste, que promete ser explosiva. Um concerto a não perder.

… e os outros

Embora os franceses sejam a maior atracção do palco principal do Sudoeste, existem outros concertos que merecem a nossa referência e destaque.

Os Goldfrapp regressam aos palcos nacionais no dia 4 de Agosto, ainda com o excelente “Supernatural” na mala. A presença e voz de Alison Goldfrapp, associada ao talento musical de Will Gregory, são dois trunfos que o projecto tem demonstrado ao vivo. Quem nunca teve a oportunidade de comprovar o desempenho dos Goldfrapp em cima do palco, tem no Sudoeste uma oportunidade de ouro, num ambiente favorável para um grande espectáculo.

No último dia de festival, Domingo, 5 de Agosto, os Zero 7 regressam a Portugal para apresentar “The Garden”, disco recentemente editado entre nós. Embora menos inspirados que em “Simple Things”, disco de 2001, o projecto de Henry Binns e Sam Hardaker merece o nosso destaque pelos excelentes ambientes electrónicos que continuam a evidenciar em disco e que serão transpostos para o palco.

Ainda no palco principal, convém ficar atento à prestação dos históricos Madness, à explosão dos Prodigy, à festa dos espanhóis Macaco e às palavras de Marcelo D2 (entrevista com o músico AQUI).

Aqui fica a programação completa para o palco TMN

3 de Agosto

Gentleman
Mattafix
Animal Liberation Orchestra
Brazilian Girls
Souls Of Fire
Gaiteiros de Lisboa

4 de Agosto

Prodigy
Goldfrapp
Long Beach Shortbus
David Fonseca
2008

5 de Agosto

Daft Punk
Madness
Skin
Marcelo D2
Boss AC

6 de Agosto

Xutos & Pontapés
Morning Wood
Zero 7
Macaco
Revistados

PALCO PLANETA SUDOESTE

A Alternativa

Já na edição do ano passado do Festival Sudoeste, o Palco Planeta Sudoeste foi o
“refúgio” para os mais curiosos e, porque não dizê-lo, alternativos. As actuações dos LCD Soundsystem, Josh Rouse, The International (Noise) Conspiracy e Ladytron ficarão na memória de todos aqueles que tiveram a oportunidade de estar presentes na edição de 2005 do Sudoeste. Este ano as propostas são outras, mas não deixam de ser muito interessantes.

3 Agosto – Quinta-Feira

Logo no primeiro dia do Sudoeste, Quinta-Feira, dia 3 de Agosto, estão presentes The Twilight Singers, projecto de Greg Dulli (dos Afghan Whigs), que contam com um convidado muito especial: Mark Lanegan dos Screeming Trees e QOTSA. O projecto rock norte-americano vem a Portugal para apresentar “Powder burns”, o seu novo disco de originais.

Provenientes do Reino Unido, os The Kooks vêm apresentar na Zambujeira “Inside In/Inside Out”, o disco revelação que tem contagiado o público e alguma imprensa britânica que os coloca na linha da frente dos novos projectos a ter em conta nos próximos anos. Praticantes de um indie rock com referências que vão dos Kinks aos Strokes, passando por conterrâneos como Kaiser Chiefs ou Arctic Monkeys, os The Kooks são um dos projectos que merecem a nossa atenção na edição deste ano do Sudoeste.

O músico e actor brasileiro Seu Jorge, é mais um nome a ter em conta no primeiro dia de festividades. Com uma carreira bastante cimentada no Brasil como músico, Seu Jorge deu-se a conhecer ao mundo devido à sua participação no filme de Wes Anderson, “Um Peixe Fora de Água”, onde interpretou diversos temas de David Bowie, em português, apenas com o seu “violão”. Uma outra visão da música brasileira, para conhecer na Zambujeira.

Depois de ter incendiado o Lux, Afrika Bambaataa, um dos nomes mais importantes na divulgação do fenómeno do hip-hop, regressa a Portugal para mais um dj set onde a diversidade e a qualidade está garantida.

Aqui fica o cardápio para o primeiro dia no Palco Planeta Sudoeste:

Stereo Addiction
Afrika Bambaataa
Seu Jorge
The Kooks
The Twilight Singers com Mark Lanegan
White Buffalo
Pedro Tochas (stand-up)

4 de Agosto – Sexta-Feira

Criados por Marc Collin e Olivier Liboux, os Nouvelle Vague recuperam temas punk e new wave de bandas como os Joy Divison, New Order, Billy Idol, Bauhaus, The Cramps, entre outros, dando-lhes uma nova roupagem assente, sobretudo, nos sons da bossanova e do lounge. Recentemente editaram “Bande A Part”, disco que será apresentado no Sudoeste.

Cibelle Cavalli Bastos é natural de São Paulo mas vive em Londres. Este ano editou o surpreendente “The Shine of Dried Electric Leaves”, onde contou com colaborações de luxo (Devendra Banhart, MC Spleen – colaborador das CocoRosie e Seu Jorge). No Sudoeste podem contar com texturas electrónicas, ambientes requintados e a voz sublime de uma das mais interessantes compositoras brasileiras da nova geração.

A representar as cores nacionais, os Linda Martini e os X-Wife são dois dos projectos onde incide uma maior curiosidade. A banda de DJ Kitten continua a promover “Side Effects” e tem no Festival do Sudoeste uma oportunidade de ouro para brilhar. Os Linda Martini são um dos projectos nacionais mais promissores da actualidade. Ainda sem disco editado (algo que estará para breve), a banda lisboeta tem mostrado ao vivo toda a sua qualidade, através de um rock poderoso e cativante.

Aqui fica a programação para dia 4 de Agosto:

DJ Nuno Reis
X-Wife
Brakes
Toranja
Dengue Fever
Nouvelle Vague
Cibelle
Linda Martini
Oioai
Hiena

5 de Agosto – Sábado

Oriundos do México, Los de Abajo praticam uma sonoridade que de tão difícil descrição ganhou um nome próprio, TropiPunk. O sucesso à escala mundial surgiu quando venceram, em 1993, um troféu BBC para Melhor Artista de World Music, na categoria “Américas”. Os espectáculos ao vivo pautam-se por uma festa contagiante a que ninguém fica indiferente.

O nome vem de um disco dos AC/DC (que é uma banda sonora de um filme de Stephen King). Os Who Made Who são uma mistura explosiva de pop electrónica, punk-funk e electro. O álbum homónimo de estreia, lançado pela Gomma, foi muito bem recebido pela crítica e principalmente pelo público. Depois de terem passado pela festa da Oxigénio, os noruegueses estão de volta a Portugal.

Ainda no Sábado, passam pelo Palco Planeta Sudoeste dois projectos nacionais que merecem o nosso destaque: Os Houdini Blues (entrevista AQUI) e os Buraka Som Sistema (texto sobre o projecto AQUI).

O cardápio para Sábado:

Dezperados
Buraka Som Sistema
Who Made Who
Loto
Los de Abajo
Pedro Luis e a Parede
Houdini Blues
Rock Group Tiger
Mundo Secreto

6 de Agosto – Domingo

No último dia do Festival Sudoeste, destacamos a presença de Owen Pallett, colaborador dos Arcade Fire, com o seu projecto a solo, Final Fantasy. Conhecido por ser um dos grandes impulsionadores da cena de Toronto, Owen foi o responsável pelos magníficos arranjos de cordas de “Funeral”, o disco que deu a conhecer a banda do Canadá ao mundo. No Sudoeste irá apresentar “He Poos Clouds”, o seu mais recente trabalho. Vale a pena conhecer.

Com 27 anos, José Gonzales é uma das revelações da música escandinava e apresenta um som acústico e intimista. Centrando-se apenas na guitarra clássica e na voz, possui letras emotivas e provocadoras, tornando-se por vezes exótico, com rasgos de flamengo, tango e sons brasileiros. Interessante?

Depois do ano passado ter estado no Sudoeste com os Wray Gunn, Paulo Furtado regressa à Zambujeira a solo, mascarado de The Legendary Tiger Man. “Masquerade”, o excelente novo disco de originais do projecto, será o mote para a actuação no Sudoeste, onde não vão faltar os temas mais emblemáticos dois dois anteriores registos.

A programação para Domingo:

Rui Vargas
Ivan Smagghe
Breakestra
The Legendary Tiger Man
Final Fantasy
José Gonzaléz
Kalibrados
Factos Reais
Olivetree

Para além destes dois palcos, a malta do reggae tem um espaço próprio no Sudoeste. O Palco Positive Vibes vai funcionar de Sexta a Domingo, sempre com muitas vibrações positivas para todos. Por lá vão passar nomes como Max Romeo, Anthony B. e Israel Vibrations. Os portugueses estão representados por Prince Wadada e Sir Giant.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This