Super Smash Bros. for 3DS

Super Smash Bros. for 3DS

Duelo de titãs portátil

Super Smash Bros. dispensa apresentações para qualquer fã Nintendo. Mas para os que não conhecem, esta será talvez a melhor altura para ficarem a par da loucura que esta série proporciona. Tendo feito a sua estreia em 1999, na velhinha Nintendo64, esta série tem vindo a passar de consola em consola ao longo destes anos, fazendo agora a sua primeira incursão portátil na Nintendo 3DS. E melhor estreia não poderia ter sido.

A premissa de Super Smash Bros. é muito simples: meter uma catrefada de personagens famosas de videojogos à pancada umas com as outras, em diversas arenas onde prevalece a que sofrer menos no combate seja por tempo ou por pontos. Ao contrário da tradicional barra de energia, aqui temos uma percentagem que vai subindo ao sofrermos danos e assim que ultrapassa os 100% temos uma enorme chance de sairmos a voar da arena. A ideia é fazermos isto aos restantes combatentes utilizando para tal não só golpes normais mas também golpes especiais, tudo designado a dois botões apenas mas que em conjunto com o circle pad nos permite uma panóplia diversa de ataques. Temos ainda dois botões para saltar, um para agarrar os adversários e ainda um de defesa que também nos permite esquivar de ataques quando usado em simultâneo com o circle pad. E isto é a base que serve para todos os lutadores.

Aprendidas estas noções, estamos prontos para entrar no mundo de Super Smash Bros., que nos disponibiliza logo à partida mais de 30 personagens diferentes, oriundas de diversas sagas Nintendo, Sega, Namco e até Capcom. Algumas já são velhas conhecidas de jogos anteriores mas outras tais como Pac-Man, Mega Man, a instrutora do WiiFit e até Shulk, de Xenoblade Chronicles fazem aqui a sua estreia triunfal. Mais personagens são reveladas à medida que vamos jogando, desafiando-nos para combater e ficando disponíveis após as derrotarmos. Ainda que a base do jogo seja a mesma para todas as personagens, cada uma tem os seus pontos fortes e fracos, sendo algumas mais fortes, outras mais rápidas, aliciando assim qualquer tipo de jogador pois é fácil de aprender a jogar mas um verdadeiro desafio se pretendermos bater-nos contra os maiores. Para além disso, estando completamente em Português, serve tanto para miúdos como para os graúdos, pois estes últimos certamente cresceram com algumas destas personagens.

Tal como as personagens, as arenas são todas oriundas de vários jogos, cada qual com as suas armadilhas e manhas, algumas relativamente simples em termos estéticos mas outras bastante mais complexas contando sempre com duas versões: uma normal, onde o caos acontece de todas as maneiras e outra versão alternativa, sempre com um plano horizontal e sem objectos para nos ajudar na demanda de bater nos outros. O surpreendente neste título é todo este frenesim se processar a 60 frames por segundo, sem abrandamento de espécie alguma, mesmo se jogado com o 3D ligado, que proporciona um bom efeito de profundidade ainda que não seja nada de espectacular como noutros jogos. Visualmente, este Super Smash Bros. é muito bom e acima de tudo variado, levando a 3DS aos seus limites. As personagens são bastante detalhadas mas perdeu-se um pouco no detalhe de alguns cenários, algo que contudo não interfere na experiência de jogo, embora por vezes as personagens fiquem demasiado pequenas, sobretudo se estiverem 4 ao mesmo tempo no ecrã. Sonoramente, é soberbo, com bastantes faixas conhecidas, algumas remisturadas e outras tantas mantidas na sua versão original, como é o caso da Mute City de F-Zero, um verdadeiro pedacinho de nostalgia. E todas estas podem ser ouvidas sem termos de estar a jogar.

Embora seja um jogo de luta, Super Smash Bros. tem imensos modos de jogo que vão desde o simples Smash, onde jogamos contra mais 2 ou 3 lutadores, segundo as regras que podemos definir a nosso gosto, passando pelo modo clássico de jogos anteriores, onde após seguirmos uma rota no mapa, defrontamos a infame Master Hand no final. Um dos modos iniciais, o Smash Run, mete-nos durante 5 minutos num ambiente semi aberto onde podemos derrotar vários tipos de inimigos e ganharmos power-ups, abrir arcas de tesouro e afins, para no final confrontarmos outros lutadores numa batalha, que tanto pode ser uma luta como uma corrida para ver quem chega primeiro à meta. Os modos extra incluem ainda um modo de treino para aperfeiçoarmos a nossa técnica, vários modos Smash e outros mini-jogos como rebentar blocos, alvos e bater num saco de areia com o intuito de o projectar o mais longe possível.

Tudo isto recompensa-nos sempre com algo, sejam troféus, golpes extra que nos permitem modificar as personagens existentes, criarmos uma baseada nos Mii’s ou simplesmente dinheiro para podermos desbloquear tudo o resto. O jogo conta ainda com um modo online e um modo local para desafiarmos amigos e desconhecidos. Finalmente, fazendo utilização do StreetPass, existe ainda um mini jogo onde controlamos uma personagem nossa representada por um circulo numa arena vista de cima, cujo o objectivo é empurrar para fora da mesma todos os adversários que recolhermos enquanto andamos com a consola no sleep mode. De futuro, podemos também passar os nossos dados para a versão da WiiU e continuar a pancadaria em FullHD.

A Nintendo prova mais uma vez que sabe o que faz no que respeita a videojogos. Super Smash Bros. para 3DS é um jogo espantoso do ponto de vista técnico e ainda melhor quando chega a hora de jogar. Se têm uma 3DS este jogo tem de constar na vossa colecção, é obrigatório!

O jogo estará disponível no seu formato físico e digital na eShop, a partir de dia 3 de Outubro.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This