Tales of Graces F – PS3

“Tales Of Graces f”

Desenvolvido pelo Namco Tales Studio e publicado pela Namco Bandai Games para a Nintendo Wii, chega agora em HD para a Playstation 3 mais um título da série "Tales". Um sucesso? Ou será que esta entrada marca o declínio de uma das mais famosas séries de JRPG (Japanese Role Playing Game)?

O jogo segue a história de Asbel Lhant e dos seus amigos de infância. A primeira parte da história retrata a sua infância e os eventos que iriam marcar, e até mesmo alterar, a personalidade dos mesmos no futuro; em alguns casos de forma completamente radical.

Numa aventura ao topo de uma colina perto da cidade, Asbel e Hubert encontram uma rapariga. Esta, ao que parece, não tem qualquer memória de quem é e porque estava ali. Como todos precisamos de um nome, é-lhe dado o nome Sophie. Chegando à cidade com uma nova amiga reúnem-se com Cheria e fica decidido fazer todo o possível para restaurar a memória de Sophie. Mais tarde, com a chegada de Richard, o grupo fica completo. Devido aos vários clichés, à banda sonora extremamente repetitiva e à fraca qualidade das vozes (tão bom que era se pudéssemos jogar com as vozes originais), este não foi um dos pontos fortes da história. Mas nem por isso deixa de ter momentos bastante interessantes e alguns que serão mesmo pontos-chave que nos ajudarão a compreender melhor a história à medida que esta se for desenrolando.

O período da infância das nossas personagens culmina precisamente num desses mesmos momentos em que Asbel, Hubert, Cheria, Sophie e Richard são testemunhas de um acontecimento que irá definir o caminho de cada um. Sete anos depois do que aconteceu às nossas personagens durante a sua infância (do qual não posso falar para não vos estragar a surpresa), encontramos novamente Asbel como um cavaleiro e é aqui que a história verdadeiramente começa. Podem contar com alguns clichés, nomeadamente no que diz respeito ao tema da amizade, mas contem também com várias surpresas. Muitas vezes, o que nos vai parecendo como linear, e quando pensamos que já sabemos o que vai acontecer, eis que acontece algo que nos deixa perplexos. A história consegue ser bastante interessante e até mesmo envolvente, mas infelizmente o som que a acompanha é um constante entrave quando a tentamos apreciar devidamente.

Tales of Graces F - PS3

Visualmente o jogo é cativante, mas não passa disso mesmo. Os cenários são simples e agradáveis mas não o suficiente para que fiquem para sempre na nossa memória como acontece noutros títulos. Não fosse também pelo som e a música extremamente repetitiva, talvez fosse mais fácil apreciá-los.

Em termos de jogabilidade, este é claramente um ponto alto deste título. Os combates são sempre dinâmicos e a costumização das Tácticas, Ataques (ou Artes, como são chamadas no jogo) e Habilidades dos nossos personagens é igualmente vasta, podendo ser sujeitas a alterações durante os próprios combates. Com este vasto nível de costumização torna-se bastante fácil transmitir ao jogo o nosso próprio estilo de combate. Algo que também aumenta o dinamismo dos combates é o facto de as nossas personagens não precisarem de recorrer a Energia ou Mana para executarem as respectivas habilidades. Em vez disso, temos Command Points (CP) que ditam o número de ataques sequenciais que podemos executar. Isto torna os combates dinâmicos na medida em que temos de alternar entre uma posição ofensiva e defensiva quando precisamos de recuperar CP. Mas defender não é só para os fracos; uma defesa bem executada pode garantir auras coloridas que proporcionam contra-ataques ou que, quando passarmos para o ataque, fortificam as nossas habilidades durante algum tempo. Podemos adquirir novas Artes e Habilidades através de Títulos, e existem centenas no jogo. Só podemos equipar um título por personagem e cada um tem o seu efeito. Alguns oferecem novas habilidades, outros fortificam Artes já adquiridas, há também outros que, à medida que forem evoluindo, oferecem resistências maiores a elementos e outros que aumentam as estatísticas das nossas personagens. É descobrir qual o estilo de jogo que mais se adequa à nossa pessoa e jogar de acordo com isso.

“Tales Of Graces f” é um jogo que, apesar de ter alguns clichés, consegue contar uma boa história com várias reviravoltas interessantes, que nos fazem ficar sempre na dúvida sobre o que irá acontecer a seguir. Os combates são igualmente dinâmicos, mas infelizmente o som que acompanha este título, como as músicas repetitivas e a falta de expressividade nas vozes, torna difícil acompanhar as aventuras. Se conseguirem contornar esse aspecto negativo, têm um jogo capaz de vos prender durante várias horas.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This