SALA 1 – Sapato Branco em Janeiro – Fotografia de Mário Pires

Teatro Rápido | Janeiro 2014

Janeiro rima com... - é o tema proposto. Rimemos, pois.

O Teatro Rápido (TR) inicia 2014 com quatro propostas que procuram rimar com aquilo que significa o mês de Janeiro: começos, promessas, resoluções de ano novo, transições, tomadas de decisão.

SALA 1 – Sapato Branco em Janeiro

Começamos com uma proposta que entra directamente para a categoria “murro no estômago”. O texto de Francisco Braz e a interpretação de Paula Sousa arrebatam-nos, tiram-nos o chão e devolvem-nos à terra, à realidade crua dos dias. Uma história contada na primeira pessoa, de uma mulher sem abrigo – também por não ter casa, mas sobretudo por não ter pai. Resta-lhe uma memória em forma de sapato, cuja beleza contrasta com as vestes rasgadas e o ar perdido daquela mulher.

“Quando não se tem nada, acredita-se” – e não há lugar para o medo, porque o medo é para os ricos; quem nada tem não pode ter medo que algo seja tirado.

Paula Sousa assinala, durante 2014, 30 anos de carreira. Quanto a nós, a comemoração não podia começar de outra maneira: com um monólogo forte, despido de ilusões e prenhe de realidade. A não perder.

SALA 1 – Sapato Branco em Janeiro - Fotografia de Mário Pires

Horário das sessões: 18h00 | 18h30 | 19h00 | 19h30 | 20h00
Texto e Encenação: Francisco Braz
Interpretação: Paula Sousa

SALA 2 – Janeiro rima com… Solteiro

Se há peça que rima com Janeiro… é a da sala 2. Mais um monólogo, desta feita interpretado por Marisa Carvalho, que assina também o texto. A encenação de Flávio Gil transporta-nos para a casa de uma mulher para quem o mês de Janeiro  significa tudo menos coisas boas ou felizes. “Em Janeiro tudo me acontece” – diz, entre uma rima e outra, numa interpretação que retrata muito bem a desorientação típica do começos – do ano, do emprego, do desemprego, das relações, dos fins das relações.

Uma peça que contagia pela boa disposição e por uma interpretação muito feliz. Deixem-se contagiar, também.

SALA 2 – Janeiro rima com… Solteiro - Fotografia de Mário Pires

Horário das sessões: 18h05 | 18h35 | 19h05 | 19h35 | 20h05
Texto: Marisa Carvalho
Encenação: Flávio Gil
Interpretação: Marisa Carvalho

SALA 3 – Um Bocado de Carne

Anna Carvalho regressa ao TR, na companhia de A. Branco e Alexandre Tavares – também eles repetentes. Maria Ana Filipe e Daniela Serra asseguram a parceria da interpretação, em momentos alternados.

Um encontro inquietante, num lugar onde não há câmaras nem lugar para registos. O ambiente é frio e escuro – e a cenografia de Alexandre Tavares faz-nos sentir isso mesmo, na pele. Ainda que não nos seja evidente o motivo do encontro, a relação entre as duas mulheres ou até mesmo o motivo do desfecho – que não vamos partilhar convosco – percebemos que ambas se encontram de costas voltadas, defendendo “questões de princípio” verdadeiramente opostas. Questões de princípio que as precipitam para o fim.

SALA 3 – Um Bocado de Carne - Fotografia de Mário Pires

Horário das sessões: 18h15 | 18h45 | 19h15 | 19h45 | 20h15
Texto: A. Branco
Encenação e Cenografia: Alexandre Tavares
Interpretação: Anna Carvalho e Maria Ana Filipe (de 02 a 26) / Daniela Serra (de 27 a 31)

 

SALA 4 – O Sôtor é que sabe

Afonso Araújo, Andreia Forno e Luís Simões estreiam-se no TR com uma peça bem humorada sobre o primeiro dia do resto da vida de um médico estagiário. Marco Menezes Peres assina a autoria do texto e partilha com Afonso a encenação deste trabalho.

A sala 4 vê-se transformada num hospital onde os doentes se acumulam e há uma enfermeira irritante, um familiar que faz perguntas pertinentes a um médico que respira dúvidas. No final, acaba por descobrir algumas certezas.

SALA 4 – O Sôtor é que sabe - Fotografia de Mário Pires

Horário das sessões: 18h20 | 18h50 | 19h20 | 19h50 | 20h25
Autoria e coencenação: Marco Menezes Peres
Coencenação: Afonso Araújo
Interpretação: Afonso Araújo; Andreia Forno e Luís Simões

Janeiro rima com realidade e humor, no TR. São quatro propostas distintas, para todos os gostos, num mês durante o qual o TR apresenta uma programação intensa e variada.

Aos fins de semana há teatro para a infância, a cargo da Trupilariante Companhia de Teatro Circo, com a história de Brites de Almeida, a Padeira de Portugal.

No TR Bar a programação inclui cinema, teatro e concertos. Destaque ainda para uma tarde de leitura de uma peça de teatro de Pedro Saavedra, “A Casa do Lugar de Cima”, a ter lugar no dia 18, pelas 16h.

Para mais informações consulte http://teatrorapido.blogspot.pt



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This