Teatro Rápido – Março 2013

Teatro Rápido | Março 2013

Em Março é em nome do Pai!

O Teatro Rápido (TR) brinda-nos com uma viagem pelos quatro elementos: ar, terra, água e fogo estão presentes nas quatro salas da Rua Serpa Pinto, 14. Entre caras conhecidas e ilustres desconhecidos, não pode faltar o quinto elemento: o público!

SALA 1 – “Folhas, e não Credos” +info

Ar: Miguel Ponte e Ricardo Tavares dão vida à ideia de recriar textos bíblicos, com um olhar crítico e bem disposto. Marcantonio Del Carlo deu apoio à encenação que suporta o genial texto do Miguel Ponte.

Nesta sala encontramos, ainda, um cenário engenhoso e que acompanha o fluir da estória e os movimentos dos actores. Miguel e Ricardo assumem várias personagens bíblicas, fazendo-nos viajar pela eternidade da criação, naufragar de riso com o diálogo de Noé e seu filho e conhecer toda a verdade sobre o lavar das mãos de Pilatos.

Miguel e Ricardo são dois ilustres desconhecidos do público e corporizam aquela que é, para nós, a grande surpresa do mês de Março, no TR. São portadores de uma energia muito positiva e de ar fresco para o panorama teatral português. Parabéns, TR, pela aposta!

Horário das sessões: 18h00 | 18h30 | 19h00 | 19h30 | 20h00| M/12 | 3€

 

SALA 2 – “Exorcismo: Uma História de Amor” +info

Eric L da Silva é um “repetente” destas “lides rápidas” no TR. Desta vez presenteia-nos com uma história de amor. Ainda que Deus e o Diabo se confrontem neste texto, no fundo falamos aqui de algo tão “terreno” como o amor.

Na sala 2 encontramos a terra que pisamos os dias, onde fazemos amizades quando menos esperamos. Erik L da Silva e Gonçalo Oliveira personificam dois amigos (altamente) improváveis.

A interpretação de Erik é verdadeiramente “demoníaca” e a transformação que a sua voz sofre ao longo da peça é arrepiante. Ainda que Erik tenha um ar assustador, o certo é que não faz mal a ninguém. Gonçalo é Max, o padre, que tão depressa se veste de certeza, como de dúvida. É, diria Nietzsche, humano, demasiado humano.

Em 15 minutos apenas a estória conhece voltas e reviravoltas (a fazer lembrar a cena do filme “O Exorcista”, em que a cabeça da rapariga rodava, e rodava, e rodava) que nos deixam surpreendidos.

Horário das sessões: 18h05 | 18h35 | 19h05 | 19h35 | 20h05 | M/16 | 3€

SALA 3 – “Submersas” +info

Uma piscina e uma mulher prestes a mergulhar. E água, muita água, onde se lava o corpo, as memórias e os sentimentos.

Catarina Aidos, Catarina Campos Costa e Joana Paes de Freitas constituem o colectivo responsável pela criação de Submersas. Interpretam a peça fazendo com que o espectador mergulhe no interior dos pensamentos daquela mulher que corre à volta da piscina.

“Submersas” é um projecto que nos salpica de memórias, como se de um ritual se tratasse. Uma espécie de baptismo, para abandonar o que não nos interessa e guardar só o que nos aquece o coração. Durante a peça mergulhamos com as actrizes e percebemos que depois disso “o que foi não volta a ser”.

Horário das sessões: 18h15 | 18h45 | 19h15 | 19h45 | 20h15| M/16 | 3€

SALA 4“Europa, Ich Liebe Dich” +info

Já tínhamos anunciado que iria haver festa no TR, quando entrevistámos Cláudia Lucas Chéu e Albano Jerónimo, a propósito do Teatro Nacional 21. Não tínhamos noção de que o fogo iria invadir a sala 4 do TR, num arrojo que começa na performance, passa pelo cenário e “termina” na dramaturgia.

Imagine-se, Albano é Europa, a princesa fenícia que é raptada por um Zeus disfarçado de touro. Imaginem, ainda, um touro mecânico na sala e toda uma festa de luz, cor, som e até um mural onde podemos acompanhar a discoperformance do actor. Actor que monta o touro, baptizado de Angela (sim, o primeiro nome da senhora Merkel).

Deixem-se “carimbar” pela Europa e participem na festa. Wunderbar!

Horário das sessões: 18h20 | 18h50 | 19h20 | 19h50 | 20h25 | M/12 | 3€

Com quatro propostas diferentes, o TR mostra como se tornou num verdadeiro laboratório onde os actores, cenógrafos, encenadores e dramaturgos se encontram para criar e experimentar. O TR é um espaço onde se assumem riscos, num processo que começa numa proposta de projecto e só termina no dia em que se abandona a sala onde durante um mês há entregas de corpo e alma.

Excepcionalmente, “em nome do pai” ficará em cena até ao dia 1 de Abril (inclusivé). E no Dia Mundial do Teatro, abrem-se as portas para sessões extra, das quatro micropeças, a partir das 21h30m. Pelas 21h a actriz Encena Márcia Breia fará a leitura da Mensagem do Dia Mundial do Teatro de 2013. O evento termina com um concerto de Jazz pelo Quarteto de Manuel Lourenço no TR BAR.

Fotografia por Mário Pires



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This