Test Tube

O balão de ensaio da mono¨cromatica na Internet. Não custa nada testar.

Na edição passada, se ainda se recordam, destacámos a MiMi Records, uma netlabel que se dedica principalmente à nova música japonesa e que nos introduziu à temática das netlabels, editoras que apenas existem na Internet e que, de uma forma completamente gratuita, disponibilizam álbuns, EP’s e temas de artistas que de outra forma nunca iriam ter o seu trabalho editado, ou que promovem projectos que embora já tenham registos editados, necessitam de mais alguma divulgação. Este mês continuamos a explorar este novo universo e apresentamos a Test Tube, a primeira netlabel nacional que está associada a uma editora, a mono¨cromatica.

Para quem não conhece, a mono¨cromatica é uma editora que se dedica principalmente à música electrónica e que conta com ínumeros lançamentos no mercado mais alternativo de discos dos quais se distinguiu a compilação Volun ou o excelente álbum Elastic Void. A grande quantidade de projectos que se encontravam na “prateleira” e que possivelmente não iriam ser editados, assim como a necessidade de divulgar alguns projectos da editora, fez nascer durante este ano a Test Tube.

Para conhecer um pouco melhor este projecto, entrámos em contacto com Pedro Leitão, um dos responsáveis da mono¨cromatica e da Test Tube. Embora a principal área de acção da mono¨cromatica seja a música electrónica, a Test Tube tenta alargar um pouco mais esse espectro temático, como nos confidenciou Pedro Leitão, “queremos dedicar a Netlabel a lançamentos de tom mais exploratório e menos imediato, sem deixar que torne difícil a sua audição. Electrónica que surpreenda o ouvinte, mas que lhe prenda a atenção”.

Ainda com poucos meses de existência, a Test Tube já conta com dois lançamentos na sua carteira, que exemplificam a diversidade de sonoridades que podemos encontrar nesta Netlabel. A primeira edição foi o EP do Phoebus, “Peri Sable”, onde são apresentados dois temas que têm por base a manipulação da guitarra eléctrica. No fim de Julho foi editado o primeiro álbum do projecto Pitch Boys da responsabilidade de Nuno Meneses que apresenta sete faixas instrumentais bastante influenciadas pelo hip-hop e a electrónica. De notar que todas as edições têm a respectiva “artwork” pronta a ser retirada para que não falte nada a quem por lá passar.

Embora estas duas primeiras edições tenham incidido sobre maquetes nacionais, a ideia será alargar estas edições a artistas e projectos de todo o mundo, através de convite directo, como nos conta Pedro Leitão, “tenho endereçado convites a vários músicos e produtores estrangeiros, desde norte-americanos, sul-americanos, canadianos, europeus e japoneses. Uns movem-se apenas no território das Netlabels, outros têm já carreira nas edições em disco. Confirmações há já algumas”.

A aceitação por parte do público tem sido bastante boa com cerca de 600 visitas diárias e as críticas têm sido óptimas, sendo que “Phoebus” (a primeira edição da Test Tube) passou em duas rádios: uma em Estrasburgo e outra em Madrid, em programas específicos, dedicados a material de Netlabels”. Já existem muitos lançamentos programados assim como muitas outras iniciativas, “a curto/médio prazo pretendemos estrear a test tube em formato live, ou seja, com concertos e live acts. Pretendemos aumentar também a oferta de artistas e de conteúdos, lançar uns samplers (talvez mesmo em suporte físico) e procurar estabelecer parcerias com outras Netlabels”.

Para Pedro Leitão, “o mundo está cada vez mais cheio de gente com talento, mas infelizmente cada vez com menos espaço para mostrar essas pessoas, através dos meios convencionais. A Internet é o meio ideal para disseminar conteúdos, e chegar a um número gigantesco de utilizadores, pessoas com tempo e vontade de descobrir e ouvir coisas novas”. Numa época em que o mercado discográfico está em mutação, as Netlabels podem marcar a diferença, “não apenas pelo motivo óbvio de oferecer música sem contrapartidas, mas também porque são estruturas mais livres, no sentido de não estarem espartilhadas por máquinas promocionais com o olho nos cifrões”.

A Test Tube é em Portugal a primeira netlabel associada a uma editora, algo que para Pedro Leitão, não se irá generalizar, “não me parece que de repente as editoras se lembrem e comecem a fazer o mesmo. É uma tarefa que consome tempo e não dá dinheiro”.

A Test Tube é uma óptima oportunidade para começar a explorar o universo das netlabels que irão ser um meio bastante importante no futuro da música mundial. Não deixem de visitar este projecto porque não há “nada como ouvir as coisas com um espírito aberto”.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This