The Feeling

De passagem por Portugal, uma das novas sensações da pop britânica desvenda alguns segredos ...

“Twelve Stops and Home”, editado este ano, marcou a estreia discográfica dos The Feeling. Chegou a alcançar o segundo lugar na tabela britânica de discos mais vendidos, tem tido relativo apelo radiofónico (pelos singles «Sewn» e «Never be Lonely») e, resultado de tudo isto, tem levado a banda em digressão um pouco por todo o mundo. A Aula Magna de Lisboa teve a oportunidade de acolher a estreia dos The Feeling em solo luso no final de Setembro.

Assumem-se como inequivocamente britânicos mas nem tanto. Isto é: “Nem sequer somos grandes fãs de futebol (risos) ”, avança o baterista Paul Stewart. “Só ligamos a isso durante os Mundiais e Europeus. Curiosamente, no jogo de Inglaterra contra Portugal estávamos a tocar num Festival e só conseguimos ver os primeiros quinze minutos do jogo (risos) ”, remata. “Sinto que o nosso som tem uma identidade muito britânica mas também acho que pode ser muito mais que isso. Acredito plenamente na transversalidade da nossa música, na capacidade de chegar um pouco a todo o lado não obstante alguma englishness natural”, continua Stewart.

Os irmãos Ciaran (teclados) e Kevin (guitarra) Jeremiah afiançam, depois, que isto de estar numa banda rock foi sempre o sonho por estes lados – “Sem dúvida”, faz notar Kevin. “Em criança tocávamos com os nossos pais e sempre tivemos uma enorme educação musical, fazer parte deste mundo foi sempre o nosso grande sonho”. Não só em matéria de criação musical mas também, e essencialmente, no que concerne à reprodução ao vivo. Os concertos, lá está – “O nosso som nem muda assim muito de disco para formato ao vivo. Introduzimos algumas mudanças suaves e mantemos a nossa aposta na harmonia, melodia e coros”, avisa o baterista da banda.

O sentimento britânico, já por aqui falado, vê por estes dias multiplicarem-se as bandas da escola Arctic Monkeys: “Certamente que há imensas bandas como os Monkeys, mas isso é, em grande parte, culpa da imprensa”, começa por dizer Kevin Jeremiah. “Contudo, há imensas bandas de imensa qualidade noutros registos. Neste momento estou a adorar o novo disco dos Scissor Sisters, por exemplo”, avisa Ciaran.

Finda a digressão europeia, os The Feeling seguem agora para algumas datas em solo norte-americano. “Vai ser uma primeira apresentação da banda por aqueles lados”, começa por dizer Paul Stewart. “O nosso disco só vai sair na América no final do ano e, por enquanto, vamos apenas fazer algumas primeiras partes e dar um primeiro cheirinho às pessoas daquilo que são os The Feeling”.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This