The Gift

O diário de bordo de uma semana com a banda de Alcobaça.

A Ruadebaixo.com passou pouco mais de uma semana na companhia de uma das mais activas bandas nacionais do momento. O diário de bordo encontra-se aqui…

Poucas bandas portuguesas lograram alcançar o estatuto alcançado pelos The Gift. Com quatro discos de originais editados («Digital Atmosphere», «Vinyl», «Film» e «AM-FM»), a banda de Alcobaça é, actualmente, uma das mais dinâmicas forças musicais de Portugal. Depois da edição, em Novembro passado, do último «AM-FM», têm andado em digressão por todo o país, fazendo de 2005 um ano verdadeiramente prendado para todos os interessados em ver ao vivo a banda de Sónia Tavares e Nuno Gonçalves.

Concertos. Autógrafos. Festas. Sessões de DJ. Entrevistas. Ensaios. Mais concertos. Tudo isto faz parte da vida de uma banda, e foi este lado que nos fez acompanhar os The Gift ao longo de sensivelmente 10 dias, entre o concerto integrado no Festival Super Bock Super Rock (SBSR), no dia 28 de Maio, e a data dupla na Aula Magna de Lisboa, a 8 e 9 de Junho.

Primeira etapa: 29 de Maio de 2005
Actuação no Festival Super Bock Super Rock

De tarde, descobrem o recinto, dão autógrafos nos stands do Blitz e da Antena 3, poupam energias para a actuação da noite. Nuno Gonçalves passeia-se com uma t-shirt dos Norte-Americanos The Strokes. Influências para um futuro registo?

De noite, o concerto. O timing da actuação dos The Gift não era fácil: entalados no palco Quinta dos Portugueses entre as actuações no palco principal dos New Order e de Moby, a banda arranca a sua actuação ao som de «Music», faixa incluída no último «AM-FM». Em pouco mais de meia hora conseguem mostrar algumas canções do novo registo, recordando somente «Question of Love» de tempos passados. Promovem, ainda, o concerto agendado para dia 9 de Junho na Aula Magna. “Sabendo nós de antemão que as bandas do palco secundário tocariam pouco tempo – avança Nuno Gonçalves – creio que o concerto correu bem, apresentámos parte do nosso espectáculo. Os festivais são mesmo assim, com limitações de tempo”, remata o compositor maior dos The Gift.

Segunda etapa: 2 de Junho de 2005
Showcase na Fnac Cascaishopping

O que é, verdadeiramente, um showcase? Na prática, não é mais do que uma pequena amostra, com recursos materiais reduzidos, do que pode, em dimensões maiores, ser um concerto de determinada banda. E este showcase em Cascais serviu, uma vez mais, para promover o tão aguardado espectáculo na Aula Magna. Tocam-se temas novos, recupera-se, de novo, «Question of Love», termina-se com a faixa escondida de «AM-FM», por sinal uma das mais belas canções dos quatro de Alcobaça: «Fácil de Entender». Depois, autografam-se mais discos, tiram-se fotografias com os fãs, promove-se a marca The Gift. E o concerto de dia 9 alí tão perto…

Terceira etapa: 7 de Junho de 2005
Sessão de autógrafos na Vodafone Action Store, no Parque das Nações

Uma banda, é certo e sabido, não vive exclusivamente de concertos e discos. Vive também de promoção, divulgação, contacto com os fãs. Alguns dias antes desta terceira etapa, soube-se que havia sido anunciado o dia 8 de Junho como data extra para actuação na Aula Magna. Dose dupla em vista. Nesta sessão de autógrafos realizada na Vodafone Action Store, no Parque das Nações, oferecem-se bilhetes para o concerto de dia 8, tiram-se fotografias através de novos modelos de telefone, autografam-se discos, posters, t-shirts. A máquina promocional dos The Gift ao seu mais alto nível. Para Nuno Gonçalves, o facto de “o Estado não comparticipar concertos, espectáculos, etc, obriga-nos das duas uma: ou a pedir cachets muito elevados por concerto ou a procurar parceiros estratégicos. A marca The Gift é muito forte e é nosso desejo percorrer todo o país, desde cidades como Lisboa e Porto até vilas e aldeias, daí a necessidade de uma boa promoção”.

Quarta etapa: 8 de Junho de 2005
Actuação na Aula Magna da Universidade de Lisboa – Dia 1

Foi com a Aula Magna não totalmente esgotada que os The Gift arrancaram a sua data dupla na capital portuguesa ao som de «I am AM», habitual começo dos concertos da «Vodafone AM-FM Tour». Como de costume, o prato forte do concerto foi o disco editado em finais do ano passado, com pontuais passagens pelo repertório passado da banda de Alcobaça. Marcada poucos dias antes, esta data extra acaba por ficar aquém das expectativas a nível de público, cenário que, contudo, não desmoraliza a banda, que partiu para um concerto profissionalíssimo. Sem os inconvenientes que é tocar num festival, como a limitação de tempo, os The Gift mostraram verdadeiramente o seu espectáculo, a sua força, o seu dinamismo de palco. Convenceram, num espectáculo que terá servido, porventura, de balão de ensaio para o dia seguinte. Esse dia era dia 9, o dia verdadeiramente reservado para os fãs, que há muito aguardavam este concerto…

Quinta etapa: 8 de Junho de 2005
DJ-Set de Nuno Gonçalves no Lux

Depois do bem sucedido concerto na Aula Magna, a noite estava ainda longe de acabar para Nuno Gonçalves. Nessa noite, os Norton celebravam na discoteca Lux o lançamento do disco «Frames – Remixes and Versions», compilação com remisturas de diversos nomes de renome da música portuguesa, incluindo os Loto, Kubik e In Her Space. «Swirling Sound – Something to Dance With…!», remisturado por Nuno Gonçalves, foi o single de apresentação do disco. Após uma curta actuação da banda, o membro dos Gift tomou de assalto os pratos do Lux e brindou a assistência com uma sessão por onde passaram os Blur, Frank Sinatra ou Kylie Minogue. Momentos de relativa descontracção para alguém que, em virtude do espaço Clinic, em Alcobaça, já se encontra rotinado com estas actuações enquanto DJ. “Sempre foi algo que fiz desde pequeno”, nota Nuno Gonçalves sobre o seu trabalho enquanto DJ. “O meu pai tinha uma discoteca e eu gostava de passar música lá, e ultimamente com os Gift e com o Clinic redescobri esse trabalho. É uma diversão, acima de tudo”, remata.

Sexta etapa: 9 de Junho de 2005
Actuação na Aula Magna da Universidade de Lisboa – Dia 2

O grande dia havia chegado. Para a banda, para os fãs, para todos. À quarta canção, Sónia Tavares deixa o alerta: “É para nós uma data muito especial, visto que faz hoje 6 anos desde que pisámos este palco pela primeira vez”. Este foi um dia preparado por todos com muita antecedência. De tarde, o G.I.S (Gift Information System), clube de fãs oficial, acompanhava a produção e as actividades da banda. Por outro lado, o T.G.V. (The Gift Vibration), clube de fãs não-oficial da banda, organizava-se para um dos seus maiores eventos da sua curta história de 6 meses. “Um clube de fãs é, acima de tudo, um grupo de amigos. O convívio é muito importante”, afirma João Loureiro, membro da Direcção do T.G.V. Segundo reforça Tânia Cruz, também da Direcção do clube, “um dos pontos fortes do nosso grupo é mesmo a amizade”. Com mais de 100 membros inscritos, todos os gastos inerentes ao T.G.V. são suportados pela sua Direcção: “somos nós que sustentamos todos os custos do projecto”, remata Tânia Cruz. Para este concerto na Aula Magna, reuniram mais de 30 membros que, ao longo da tarde, foram pintando faixas de incentivo à banda no relvado da Alameda da Universidade de Lisboa.

O G.I.S, ao contrário do T.G.V., tem o apoio financeiro da banda. Dirigido por Vanessa Rôla e Vanessa Braz, o clube existe há já 6 anos, caracterizando-se pelas diversas regalias existentes para os seus membros. “A maior das vantagens dos sócios é a possibilidade de assistir a um concerto anual exclusivo para fãs, de carácter intimista. O último foi realizado no Clinic, em Alcobaça”, afirma Vanessa Braz. Hoje em dia, o G.I.S encontra-se suspenso, estando para breve agendado o regresso às actividades com uma e-zine regular. Quanto às “Vanessas” (assim apelidadas pela banda), tratam de toda a organização do site oficial da banda, alojado em www.thegift.pt, para além de prestarem auxílio humano em momentos diversos. O dia de hoje é um desses exemplos.

De noite, o concerto. O alinhamento do espectáculo agradou a (quase) todos. Relativamente mais extenso que a noite anterior, apresentou algumas surpresas, como «Butterfly» ou «Actress (AM-FM)», músicas de «Film». De fora, ficaram ainda assim alguns temas ensaiados de tarde, casos de «Concret» ou «My Lovely Mirror». “Correu bastante bem”, começa por dizer, no final, um bem disposto Nuno Gonçalves, que conclui: “comparando com o concerto de há 6 anos, há que ter em consideração que nada se repete. Hoje em dia somos uma banda muito menos inocente, e mais abrangente artisticamente”. Provando que hoje, mais do que nunca, os The Gift continuam a ser uma banda à frente da concorrência, no final do espectáculo foi comercializado um CD com o registo áudio do concerto que havia terminado poucos minutos antes. Algo feito no estrangeiro por bandas como os Pixies ou os Einstürzende Neubauten, por exemplo.

Para o comum espectador, é complicado entender toda a dinâmica inerente à vida de uma banda. Ao escolhermos os The Gift para este projecto, pretendemos mostrar como se vive nos bastidores de uma banda, tudo isto numa semana de elevada intensidade, resultante do regresso à mítica Aula Magna de Lisboa. Quem quiser encontrar-se com um dos mais interessantes espectáculos musicais que percorrem Portugal é favor estar atento à digressão dos The Gift. Um dia destes, numa cidade, vila ou aldeia perto de si…



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This