The Juan Maclean & Tim Sweeney

DFA @ Lux.

o primeiro concerto DFA depois do showcase no Sudoeste deste ano, The Juan Maclean & Tim Sweeney trouxeram novamente um pedaço de Nova Iorque ao Lux na passada quinta-feira 24 Novembro.

A editora parece planear metodicamente as digressões dos seus artistas: as actuações acontecem geralmente num modelo de Banda+DJ numa definitiva afirmação de identidade de quem chega para marcar uma posição (dias antes, na Escócia – nas noites Optimo do Sub Club de Glasgow – actuaram Delia Gonzalez & Gavin Russom e Hot Chip com os dois Tim, Sweeny e Goldsworthy).

Intenso; talvez seja essa a melhor palavra para descrever The Juan Maclean. Se a sonoridade da banda tinha sido marcada pela sua energia em palco no concerto do verão precedente é num espaço fechado que parece ganhar toda a sua dimensão.

Numa clara discrepância quantitativa entre os dois pisos do Lux, o concerto decorreu com uma afluência de público relativa, mas interessada; apesar de composto houve bastante espaço para assistir à actuação, o que neste caso se revelou um factor positivo.

Inconformismo e revolta são demonstrados não só nas letras de cada música de “Less than Human” como também ao vivo, num jogo entre batidas pesadas e distorção em que John Maclean assume o seu gosto por caos e ruído acompanhado por Eric Broucek e Gerhard Fuchs na percussão, theremin e sintetizadores afins.

Num alinhamento algo curto, que a própria banda parece preferir, houve ainda tempo para o retorno ao palco com uma versão de Moodymann – «I Can`t Kick This Feelin` When It Hits» a fazer lembrar Delia & Gavin pela sua envolvência sonora.

Com concerto terminado foi a vez de Tim Sweeney subir à cabine. Já com alguns dias de estadia em Portugal, em que aproveitou para conhecer melhor Lisboa, teve algumas dificuldades para captar a atenção da discoteca. No entanto, era ainda bastante cedo para os padrões nocturnos nacionais, sendo que a partir das costumeiras 3.30/4am tudo se compôs quer em termos de afluência quer em termos de coordenação da selecção musical com a pista.

Sem um caminho pré-definido  e com um alinhamento de características semelhantes ao seu programa de rádio Beats in Space, acabou por percorrer os caminhos alternativos derivados do House e Techno das últimas décadas, com lugar para alguns 12” DFA ainda por editar.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This