mission_header

The Mission @ Hard Club

25 anos depois da sua criação, os The Mission provaram que ainda têm muito para dar.

Em 2008, e após uma série de concertos no Shepherds Bush Empire, Wayne Hussey anunciou que os The Mission estavam a dar os seus últimos concertos ao vivo e que a banda iria parar por um tempo indeterminado. Contudo, três anos depois e, juntamente com promessas de não ter sexo ou drogas no autocarro da digressão, Hussey conseguiu convencer o baixista Craig Adams e o guitarrista Simon Hinkler – ambos membros originais da banda – para uma tour de comemoração dos 25 anos da banda.

O Hard Club, local por onde a banda britânica já tinha passado em 2005 mas ainda nas suas antigas instalações, estava lotado no passado dia 14 de Outubro e nem o atraso na abertura de portas fez o muito público deixar de estar em êxtase à espera do concerto.

Tal como em 2005, a banda portuguesa Karpe Diem foi a escolhida para fazer a primeira parte do concerto e o grupo, composto por Paulo Inácio, Luis Bray, David Monge, Nuno Moás e Bernardo Ribeiro, não desapontou. Com um núcleo de fãs muito agradável, foi possível ouvir todas as músicas em coro enquanto a banda actuava de uma forma animada e a cativar a audiência.

No entanto, era dos The Mission que todos estavam à espera. Por volta das 22:30, e ao som de «Dambusters March», da banda sonora do filme “The Dam Busters”, ouviram-se os primeiros gritos de delírio por parte dos fãs da banda. Quando, finalmente, esta subiu ao palco, foi com «Beyond The Pale» que a banda oriunda de Leeds abriu o concerto, mantendo-se em sintonia com o público até à última música.

Hussey, residente há vários anos no Brasil, ia agradecendo em Português ao público entre as músicas. Temas como «Over The Hills», «Severina», «Butterfly On A Wheel» foram alguns dos pontos altos da noite, até à saída da banda do palco com «Deliverance».

Após o impasse, ao qual toda a gente está habituada, apenas Hussey regressou ao palco, anunciando que a música que se seguiria iria ser interpretada apenas por ele. E foi em semi-acústico que tocou «Like a Child Again» e, após deixar o palco, novamente, com «Blood Brother», a banda regressou para o último encore com «1969», que levou toda a gente que se encontrava no Hard Club ao delírio.

Os The Mission deram assim um concerto memorável e que, seguramente, não terá desapontado ninguém que estava presente no Hard Club, deixando assim todos à espera que a banda se volte a reunir “de vez” para lançar novos trabalhos.



There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This